Turismo rural e meio ambiente

A oportunidade que a atividade rural está tendo tem que ser trabalhada por grupos que a represente e exigir do poder publico um olhar mais crítico e cuidadoso.

Postado dia 20/11/2015 às 00:49 por Fabio Barbosa

turismo-rural-alentejo-portugal

Com a nova Lei do Turismo Rural em vigor, cria-se a oportunidade de regularização de muitas propriedades que já trabalham com turismo nas áreas rurais. Até então, a maior dificuldade desses espaços estava na prestação de contas dos serviços realizados por terceiros, como agentes de viagens que precisam de notas fiscais, mas nem por isso deixavam de levar turistas para as propriedades. Muitas vezes, quando os serviços eram prestados, as notas fiscais eram emitidas como produtores rurais, outros sequer tinham notas.

A informalidade era e ainda é muito grande nesse segmento, mas agora as propriedades terão a oportunidade de se regularizarem e se enquadrarem na lei. No entanto, acredito que será uma luta, pois mais do que justo, é necessário superar a informalidade e criar mecanismos de fiscalização nessas propriedades e cobrar do poder publico ações que valorizem esses espaços. Se existirão novos impostos para o município, gerados pelos espaços rurais classificados na nova lei, parte desses recursos tem de ter retorno.

Pode parecer utópico, pois sabemos que quase todo recurso gerado pela atividade turística, sejam por meios de hospedagem, alimentação e eventos, por exemplo, pouco se traduz em investimento de retorno. Basta observar os orçamentos do turismo de cada município, que recebem os tributos em seus caixas e pouco ou nada é reinvestido na área.

A oportunidade que a atividade rural está tendo tem que ser trabalhada por grupos que a represente e exigir do poder publico um olhar mais crítico e cuidadoso. Ter uma aproximação dos órgãos públicos competentes de turismo e agricultura acredito ser de fundamental importância.

Importante ressaltar que a realização de toda atividade econômica envolve recursos e que o entorno envolvido é afetado, seja positiva ou negativamente. Considerando turismo em áreas rurais, há uma interferência direta no meio ambiente. Por este ponto de vista, cada propriedade tem de conhecer seus limites na capacidade de recepção e preparar sua mão de obra visando as questões ambientais. O poder público pode orientar através de seus órgãos ambientais.

Muitas vezes, em nome do desenvolvimento, a atividade turística é aplicada em muitos espaços de forma equivocada, não respeitando o entorno e a capacidade de adaptação dos ecossistemas.

A busca de alternativas ao turismo tradicional tem levado diversos turistas a procurar novos lugares e muitas vezes próximos a grandes conglomerados urbanos, pois as pessoas parecem estar percebendo que muitas vezes não é necessário fazer viagens de três ou quatro horas para praticar o turismo rural, sendo que a menos de uma hora é possível visitar lugares incríveis.

Com isso, já há uma grande contribuição com o meio ambiente andando menos de carro, melhor qualidade de vida em suas viagens e contribuindo com o desenvolvimento da atividade turística de novos espaços rurais.

 

Compartilhar:

Sobre o Autor

avatar

Fabio Barbosa

Consultor em Turismo pela THG Consultoria e Turismo. Turismólogo pela UNIP . Mestre em turismo pela Iberoamericana.

Obs: As postagens do autor são de plena responsabilidade do mesmo, o portal se isenta de qualquer conteúdo que possa ser ofensivo.

Veja mais posts deste autor

Leia também

Assine a nossa newsletter