Temidas olheiras – tipos e causas

Queixa frequente nos consultórios estéticos e de dermatologia, as olheiras estão normalmente relacionadas aos hábitos e à qualidade de vida
olheiras

Postado dia 21/03/2016 às 00:00 por Pamela Arantes

olheiras

Foto: Divulgação/Internet

A hiperpigmentação periorbital, mais conhecida como olheira, tem causas multifatoriais que vão desde problemas genéticos até os adquiridos no dia a dia, como exposição solar excessiva, fumo, álcool ou má qualidade e privação do sono.

Basicamente, encontramos dois tipos de olheiras. As causadas pelo excesso de melanina e aquelas predominantemente de origem vascular. Porém, em sua maioria encontramos a associação dos dois fatores relacionados.

A exposição solar excessiva e por período prolongado afina a pele, dilata os vasos e, assim, predispõe o aparecimento da hiperpigmentação periorbital melânica.

A anatomia da região dos olhos pode estar relacionada também ao problema. A pálpebra, sendo mais funda, forma uma sombra na região inferior, causando um escurecimento local, piorando a aparência das olheiras.

Descendentes de turcos, árabes, ibéricos e hindus apresentam intensa vascularização. Sendo assim, sua pele dos olhos é mais escurecida, devido à facilidade de visualização desses vasos, e assim, há hiperpigmentação periorbital por transparência da pele.

Outros fatores extrínsecos que podem levar ao aparecimento ou agravamento das olheiras são:

O tabagismo – por ação vasoconstritora, causada pelo efeito da nicotina, causa aumento de palidez na pele (fica acinzentada pela diminuição da circulação periférica), salientando a aparência escura das olheiras.

O etilismo e a diminuição e/ou má qualidade do sono – causam vasodilatação periférica, aumento do extravasamento sanguíneo local e aumento no depósito de hemosiderina residual, que torna a região mais arroxeada.

Hiperpigmentação pós-inflamatória – deposito de melanina local, após algum procedimento que cause processo inflamatório, como cirurgias por exemplo.

A respiração bucal – geram edema na região nasal, e dificuldade da drenagem local, causando dificuldade e diminuição sanguínea local, escurecendo na pele.

Alterações hormonais – a fase menstrual, gestação, terapias de reposição hormonal, além do uso de anticoncepcionais, costumam aumentar as olheiras, pois essas alterações hormonais estimulam a produção de melanina, piorando sua aparência.

Envelhecimento Cutâneo – leva a frouxidão e flacidez da pálpebra, piorando o aspecto e aparência das olheiras.

Deficiência de Vitamina K– pode causar pequenas hemorragias e fragilidade capilar, aumentando a aparência das olheiras, devido ao depósito de hemosiderina, que torna a região arroxeada.

No nosso próximo artigo falaremos sobre os tratamentos! Não perca!

Compartilhar:

Sobre o Autor

avatar

Pamela Arantes

Fisioterapeuta e Esteticista coordenadora do Curso de Estética da Universidade Braz Cubas.

Obs: As postagens do autor são de plena responsabilidade do mesmo, o portal se isenta de qualquer conteúdo que possa ser ofensivo.

Veja mais posts deste autor

Leia também

Assine a nossa newsletter