Tá na hora da “boia”

Alimentar-se com sabedoria assegura a saúde do corpo

Postado dia 30/03/2016 às 08:30 por Renato Faury

fome

Foto: Reprodução/Internet

A fome é o aviso de que o corpo está necessitando de energia para as atividades normais do organismo. É aquela sensação de estômago vazio e indica que precisamos de comida. O apetite é diferente, é uma necessidade mais psicológica que fisiológica.

Alimentar-se com sabedoria assegura a saúde do corpo, já que o alimento é a matéria-prima do desenvolvimento e da manutenção do organismo. A alimentação saudável deve conter fontes adequadas de nutrientes (proteínas, gorduras, vitaminas, sais minerais, fibras e água).

Muitas pessoas não sabem preparar as refeições de forma simples e saborosa, não tendo tempo, disposição ou recursos para tanto. Utilizando alimentos impróprios, abusando do álcool e dos remédios, tendo ansiedade, certamente adoecemos.

Os produtos químicos adicionados às plantações e à comida para conservar e dar melhor aparência e sabor têm efeitos colaterais indesejáveis e podem comprometer a saúde que tanto desejamos proteger.

Nosso organismo necessita de diversos tipos de nutrientes, como nem todos são encontrados num único alimento, precisamos buscar uma alimentação diversificada. Tanto a falta como o excesso de um ou mais nutrientes podem ocasionar desequilíbrio no organismo e problemas com a saúde.

Muitas das chamadas “doenças da abundância”, como os distúrbios cardiovasculares e intestinais, são resultados de uma alimentação inadequada, à base de excessos alimentares, como de frituras, açúcar, gorduras etc…

Ao longo da história, para sobreviver, a espécie humana utilizou umas 300 espécies de plantas e cultivou mais ou menos 150, as quais vêm servindo para a nossa alimentação. Este número foi reduzido através dos tempos e atualmente são utilizadas as espécies mais “eficientes”, de tal modo que hoje a maior parte das pessoas se alimenta de apenas 14 espécies:

– 4 cereais: arroz, trigo, milho e sorgo.

– 2 plantas açucareiras: cana-de-açúcar e beterraba açucareira.

– 3 plantas subterrâneas: batata, batata-doce e mandioca.

– 3 plantas de sementes comestíveis: feijão, soja e amendoim.

– 2 árvores de frutas: coqueiro e bananeira.

As plantas atuais não existiam na conjuntura doméstica; elas foram moldadas pelo homem no transcorrer dos séculos, a partir de híbridos acidentais ou de mutações favoráveis e imediatamente exploradas (por serem espécies de melhor qualidade e rendimento).

Por exemplo, a batata trazida dos Andes fez sucesso na Irlanda, no entanto, apenas uma variedade foi cultivada. Uma única espécie de batata se tornou a comida principal.

Foi um erro; essa variedade foi atacada por fungos e todas as plantações foram destruídas, tornando a Irlanda faminta, numa época em que não havia recursos para trazer alimentos de outros países.

A consequência foi a fome e o desastre que seguiu:

– 3 milhões de mortos

– 3 milhões emigraram para outros países.

 

Compartilhar:

Sobre o Autor

avatar

Renato Faury

Engenheiro civil pós graduado em Engenharia Ecológica, e Assessor do meio ambiente do LIONS Internacional Governadoria LC-5

Obs: As postagens do autor são de plena responsabilidade do mesmo, o portal se isenta de qualquer conteúdo que possa ser ofensivo.

Veja mais posts deste autor

Leia também

Assine a nossa newsletter