Solta o Barrabás

O povo que vota é o mesmo povo que sabota

Postado dia 04/04/2016 às 13:07 por Wilson ADM

povo

Foto: Reprodução/Internet

Hoje em dia parece que o brasileiro resolveu levar política mais a sério, o que é bem bom, mas desenvolvendo um repentino e incoerente senso de justiça, o que é bem ruim.

De um lado temos os defensores do governo que protegem o mandato da presidente Dilma, defendem a inocência de Lula, e evitam responsabilizar o governo pela crise. Acusam os tucanos e os peemedebistas de corrupção e de conspirarem um ilegítimo golpe de Estado. Sendo assim, qualquer tentativa de apurar erros do governo fica sendo considerada uma tentativa de atentado contra a nação, evitando investigações e causando atritos com a população, que é quem mais sofre com tanta irresponsabilidade.

Por outro lado, existem pessoas opostas ao atual governo. Estas pedem o Impeachment de Dilma pelas diversas falhas, mas concordam ao mesmo tempo que sejam investigados e punidos os políticos envolvidos em corrupção, como por exemplo, Eduardo Cunha e Aécio Neves, e qualquer outro que tenha agido de má fé e prejudicado o Brasil por posse de dinheiro público em benefício próprio.

Tem muito brasileiro que se diz patriota trocando gato por lebre para satisfazer o seu próprio senso de justiça ideológico e prejudicando o país que insiste querer bem. Exemplificando melhor: para os que defendem o governo, os erros da presidente podem ser perdoados se a oposição também errou.

Todos conhecem o Paulo Salim Maluf, envolvido em tantos escândalos que hoje está com uma foto de procurado no site da Interpol. Isso mesmo, se ele pisar em terras internacionais vai preso. No entanto, ele continua livre no Brasil, sempre sorridente e negando convictamente qualquer coisa que o acusem. Maluf é mais popular do que populista, por isso dificilmente haverá passeatas com milhares de pessoas para inocentá-lo de crimes contra a nação. As pessoas parecem indiferentes em relação a este sujeito. É preciso examinar esse tipo de coisa.

Não é possível que uma população que despertou uma consciência política queira falar de democracia favorecendo e atestando a inocência de políticos que devem dentro da lei, responderem por seus erros e pagarem por isso.

As coisas são simples, investigar todos é a solução. É hora de parar de discutir quem roubou mais e quem roubou menos, pois quando o sujo fala do mal lavado, o ambiente fica fétido.

#:
Compartilhar:

Leia também

Assine a nossa newsletter