Silvia De Simone

Nessa entrevista, a artista plástica Silvia De Simone fala sobre arte, espiritualidade e sua ligação com o Sagrado Feminino

Postado dia 07/07/2016 às 10:30 por Sociedade Pública

silvia

Foto: Silvia de Simone exibindo uma de suas belíssimas obras de arte

##SP: Silvia: Faça uma apresentação sua

Sou Artista Plástica, Pedagoga e Arte-Terapeuta em formação. Ensino Artes Plásticas unidas à Educação Ambiental como caminho de reconexão com a essência. Trabalho como facilitadora de Círculos do Sagrado Feminino, como Moon Mother (mãe lua), Terapeuta Energética e coaching de Mulheres, tendo sido iniciada no caminho do Sagrado Feminino por  Miranda Gray. Tenho como caminho de vida e missão pessoal integrar a arte, a expansão da consciência, da beleza e da harmonia dentro de mim e no meu trabalho e relações. Sou idealizadora do espaço terapêutico e artístico Casa Ateliê, onde dou aulas de artes, crio e recebo mulheres para círculos, vivencias e atendimentos energéticos e terapêuticos.

##SP: O que é arte?

Para mim, Arte é um caminho de viver a vida de forma criativa; um estado de ser, perceber, receber, interagir e viver a realidade de forma amorosa e meditativa. Através da arte, podemos experienciar a  realidade de uma forma mais profunda e sensível. Ampliamos nossos sentidos, experimentando tudo de um lugar de observador, manifestador da realidade, assim como o próprio objeto que se transforma e se recria com o processo criativo. Experiencio como a Arte tem um grande poder de despertar e integrar a consciência. Através dela, nós podemos desvelar aspectos adormecidos do inconsciente, trazendo à luz dores, traumas, antigos bloqueios, permitindo que através da tomada de consciência, possamos dar significado e  curar nossa alma. A Natureza é eternamente criadora. Gosto muito de uma frase de Osho que diz assim: “Você se torna mais divino à medida que fica mais criativo”. Quanto mais criativos nos tornamos, chegamos mais próximos do êxtase e da bem aventurança!

##SP: Como a arte entrou na sua vida?

A Arte chegou bem cedo, quando criança. Através dos desenhos, me encontrava, refletia e tinha prazer. Desenhava e me recriava. Era a atividade mais reveladora e verdadeira que conhecia. Sempre desenhei. Amava me recolher e criar. Sempre foi a expressão que me guiou e resgatou em momentos de dor e dúvidas. Para ela me voltava quando buscava equilíbrio, assim como em momentos de celebração e alegria. Até quando isto se tornou profissão e compreendi que poderia levar cura e harmonia através da expressão do que crio para o outro, como também ensinar ao outro a encontrar este caminho dentro de si, quando ensino ao outro a trazer a sua  Arte.

##SP: Qual a ligação da sua arte com seu universo pessoal?

silviaA minha expressão na arte reflete o que sinto, vivo e acredito. Meu universo pessoal fala do que vivencio, do que aprendo, do processo de  desenvolvimento  de minha relação com o mundo material e espiritual. Represento nas imagens o que toca fundo minha alma. Minhas inspirações são a Natureza em sua beleza, as relações do Homem e da Mulher em sua divindade e humanidade, a harmonia da energia Feminina, símbolos sagrados; assim como culturas indígenas, portadores de memórias e informações tão importantes da humanidade ou a Natureza quando busco retratar suas formas, cores e padrões perfeitos.

##SP: O que a espiritualidade representa para você

Espiritualidade é viver de acordo com a guiança da nossa Consciência Superior. Viver a experiência na matéria de forma plena, amorosa e criativa, trazendo para as experiências a visão espiritual, buscando  equilíbrio, compreensão e harmonia em tudo o que se vive. É transformar nosso chumbo em ouro, purificando nossas sombras e trazendo consciência para nossas partes sem luz. Compreende unir os aspectos separados de nossa personalidade, cuidando de nossas feridas, nos percebendo como integrantes de um corpo só, refletidos em todas as manifestações viventes, assim cuidando de todas as nossas relações com amor e compaixão, despertando a cada dia e ajudando no despertar de todos.

##SP: O Santo Daime influencia você de que forma para compor suas obras?

Através deste sacramento sagrado, recebo inspiração, instrução e condução para viver uma vida alinhada com os princípios Superiores. A Arte, como manifestação da minha vida, recebe influências do que vivo e aprendo. Vejo a natureza em todo o seu esplendor e aprendo a amar a cada dia mais tudo o que faço e que a inspiração me dá. Recebo no Daime uma visão límpida e busco passar isto para minhas obras. Reafirmo na compreensão o meu papel de curadora de mim mesma e das correntes de vida que me rodeiam, através de minhas criações. Então tudo tem um sentido maior. Cada traço e cada cor tem um sentido e uma informação que ressoam em consonância com o coração.

##SP: Sua forma de ver a arte mudou depois do Santo Daime?

Nesta Doutrina, despertei para o Amor, a Verdade e a Justiça, em sentidos muito profundos da alma. Aprendo a confiar em mim mesma e a trazer para a vida o que recebo. O amor aumentou, o coração abriu para a vida, para a Arte e para todas as relações. A vida se tornou  fluída e muito mais criativa, confiante e leve. Guiada pela verdade, olho para dentro e posso manifestar o meu melhor, colocando na balança da justiça o que é preciso transformar, agindo de acordo com as ordens internas. A Arte se torna, assim, o resultado de uma construção pessoal;  um pilar essencial na vida, de manifestação da energia e inspiração Divina, através de minha consciência.

 ##SP: Qual o sentido de unir espiritualidade com arte?

silviadestaqueA arte ensina a trazer o espiritual para a matéria, para a vida. Ensina a ter qualidade, amor e criatividade em tudo o que se faz. Não importa o que se faz. Importa o como se faz. A arte é expressar a vida através da conexão com o Criador. Se traz alegria e prazer, crescimento, compreensão e amor, é criativo e é Divino! E este é o sentido. Viver criativamente, com alegria e mergulhados nos mistérios da alma, aprendendo através de nossa conexão e experiência.

##SP: O que é o sagrado feminino?

O Sagrado Feminino é um movimento de reconexão das forças das mulheres com as energias da Terra, da Lua e de toda a Natureza. Reconectamo-nos com nossos ciclos naturais, resgatando a harmonia com nossos arquétipos femininos, reconhecendo as diferentes energias que nos envolvem e conduzem. É um resgate de memórias e sabedorias de nossas ancestrais, com profundos saberes, perdidos ao longo dos tempos de cultura patriarcal e materialista. É um convite para seguir ancorando a energia, amorosa e curadora da Mãe nas nossas relações. Através dos círculos sagrados e da dedicação às energias do princípio feminino, criamos uma realidade amorosa, amparadora e criativa na nossa corrente de vida. Conectamo-nos com as forças da Mãe Divina, da Terra e do Amor, curando nossa sexualidade ferida, reconectando-nos com todos os nossos potenciais criativos, resgatamos nossa filiação divina, nos tornando filhas, curadoras, irmãs e ensinadoras.

##SP: Como você atua dentro dessa movimento?

Facilito círculos de mulheres com os resgates do conhecimento, abrindo espaço para a  interiorização, revelação e ajuda,  amparo, criatividade e fortalecimento, com foco da abertura do coração para o amor e da mente para a verdade Superior. Facilito também Círculos da Benção do Útero Mundial, que é uma sincronização com os círculos de mulheres do mundo em algumas datas especiais no ano. E, individualmente, com o alinhamento das energias femininas de mulheres, com a Benção, Cura do Útero e Coaching dos ciclos femininos.

##SP: O que o sagrado feminino representa para a atual sociedade?

O Sagrado Feminino é um lindo resgate, essencial para a reconstrução de uma sociedade saudável. Vivemos por longas eras a cultura patriarcal, que foi antecedida por culturas matriarcais. Hoje o que criamos e buscamos é o equilíbrio. Desenvolvemos até então com as forças do princípio masculino, o mundo material, objetivo e racional, também essenciais no processo evolutivo, que porém não se basta sozinho, sendo vazio. O princípio feminino vem ancorar a receptividade, a profundidade, a amorosidade e a conexão com o Divino, a conexão com o mundo interior, com o existencial. Da união destas duas forças, em harmonia, criamos uma realidade saudável e equilibrada, um lugar harmônico e abundante para a vida. Assim, sendo inteiros, nos tornamos sagrados, dissolvendo o que nos mantêm separados.

 ##SP: Qual sua visão sobre a feminilidade nas composições artísticas, e como você utiliza isso?

sagradoA Arte é para mim a manifestação do princípio feminino e criativo. Isto não diz de ser mulher, pois tanto homens quanto mulheres trazem este princípio em si. Diz de utilizar a intuição, a sensibilidade, a receptividade e o sentido da harmonia para manifestar algo. Assim como as águas, a natureza feminina nos abre para as emoções. As artes então nos conectam com nossas profundidades. É uma linguagem subjetiva, cheia de significados que nas dimensões internas podemos decodificar. Aprendemos a ouvir, a receber e a nos tornar passivos como um útero, fazendo e contemplando a arte. Neste espaço de silêncio e contemplação, o Divino habita e ali podemos ouvi-lo. Através desta escuta, a arte se manifesta, como uma comunicação pura. As formas femininas, harmônicas e belas evocam este sentido, dançando e integrando informações em cores, traços e frequências.

##SP: O que é a mulher?

A Mulher é a representação da receptividade e da vida. São as mulheres as ancoradoras da Força e do Amor . É ser fêmea e incorporar a alma feminina. A mulher inteira aceita seu corpo, sua vida, sua fertilidade, criatividade, sexualidade e espiritualidade. Reconhece e celebra sua condição de mulher. Mulheres têm uma profunda conexão com a natureza. Atuam como mediadoras entre os planos divino e humano. São leves, celebrantes e criativas, escutam o coração e o próprio corpo, honrando a Terra e a própria sexualidade. Mulheres inteiras reconhecem que são cíclicas e que assim, dançam com a vida, manifestando energias distintas, assim como a Lua e a Estações. Ser mulher é conhecer e manifestar nosso poder pessoal, vivendo nossos mistérios com amor. É amar, sabendo que é assim que nossas forças aumentam. É doadora na vida, atuando como um receptáculo para a vida e a criação. 

Veja a galeria com as obras de Silvia de Simone

Compartilhar:

Leia também

Assine a nossa newsletter