Será que eu tenho personalidade?

Quantas vezes nos questionamos sobre essa tal personalidade e caímos no modismo, sem saber explicar ao certo, quando dizemos que "fulano de tal tem personalidade"? 

Postado dia 25/04/2016 às 09:00 por Priscilla Brandeker

personalidade

Foto: Reprodução/Internet

Afinal, o que é ter personalidade? Confundimos personalidade com o simples fato de uma pessoa ter um “gênio forte”, ou ter opiniões diferentes da grande maioria, ou também ter escolhas excêntricas ou diferentes.

Bem sabemos que agimos diferentes uns dos outros às mesmas situações, de acordo com a nossa cultura, os nossos valores, a nossa criação e as nossas próprias vivências, certo?

Podemos dizer que a personalidade nada mais é que um conjunto de características que nos diferencia uns dos outros, em aspectos cognitivos, afetivos, fisiológicos, psíquicos. Resulta em padrões de comportamentos e atitudes que determinam nossa ação no dia a dia, seja no modo como percebemos as situações, como pensamos a respeito de nós mesmos e do mundo e como nos relacionamos. Mas por que nos esforçamos tanto para sermos aceitos e iguais aos outros?

Podemos responder a essa questão, baseando-nos no fato de que todo ser humano é considerado como produto de seu meio, da sua cultura e valores familiares e que, para nos sentirmos pertencentes a este grupo, usamos uma espécie de máscara, passando a agir sob o aval da aceitação e do sentimento de pertencimento a ele.

O medo de não sermos aceitos faz com que busquemos constantemente “aplausos” e aceitações e esse é um ponto extremamente importante e uma linha tênue que devemos nos atentar, pois não refletir e não desafiar as vontades próprias pode ser uma grande armadilha ao conhecimento e fortalecimento do próprio eu.

Quando estimulados e encorajados a encarar desafios e assumir nossas próprias vontades desde crianças, podemos ter mais subsídios para construir uma personalidade com maior auto-estima e saber lidar melhor com desafios e frustrações ao longo de toda vida, afinal, quem disse que é possível agradar a todos?

 A mensagem principal deste texto é que saibamos que não existe personalidade certa ou errada, boa ou ruim. Todos somos produtos do que construímos ao longo da vida e estamos em constante mudança, até o fim de nossas vidas, através de novas amizades, novas experiências, novas relações e situações de vida. Não tenha medo de ser quem você é. Não crie máscaras o tempo todo. Não seja apenas mais e sinta a delícia que é ser aquilo que realmente quer!

Ser único é fascinante!!

Compartilhar:

Sobre o Autor

avatar

Priscilla Brandeker

Priscila Brandeker é psicóloga especializada. Atende crianças, adolescentes, adultos e também pessoas da terceira idade. Priscilla T. Brandeker Psicóloga (CRP 06/123945)

Obs: As postagens do autor são de plena responsabilidade do mesmo, o portal se isenta de qualquer conteúdo que possa ser ofensivo.

Veja mais posts deste autor

Leia também

Assine a nossa newsletter