RPG – A sensação de protagonizar tudo!

Uma história bem contada é algo bom, mas fazer parte da história que se é contada... Ah isso sim é épico!

Postado dia 25/02/2016 às 08:00 por Écio Diniz

RPG

Hoje em dia não é mais novidade que o tão aclamado “Role Playing Game” tenha chegado a muitas pessoas como uma forma de diversão interativa e instrutiva. O que marca ainda mais o brilhantismo desse sistema é o fato de ser infinitamente duradouro com histórias produzidas por todos os jogadores, seja ele herói ou vilão… Não importa. É você quem faz a história. Muitas obras literárias abrem espaço para esse mundo e criam universos complexos cheios de novidades e mistérios capazes de transformar qualquer aventura em filme, best-seller de livros, seriados e etc.

No meu artigo anterior, falei do mundo cyber e o quanto ele faz parte de um pensamento corrente até os dias atuais (se você ainda não leu, corre lá pra ler que irá entender). E lógico, minha inspiração para esse tema surgiu não só dos filmes como do cenário de jogos de RPG que vinham tratando esse assunto também. E muitos dos filmes com essa temática foram primariamente escritos para serem jogados em mesa (isso não é sensacional hehe!). Claro que o universo do jogo é altamente estudado conforme a própria sociedade trata os assuntos de forma didática; seja mitológica, tecnológica, econômica, filosófica e assim por diante. Costumo dizer que toda pessoa que começa a jogar RPG abre um leque de conhecimentos que anterior a isso, não era tratado ou era até mesmo ignorado.

Quando falamos em jogos de mesa, muita gente já se inclina para os jogos de tabuleiro. Eles sem dúvida são maravilhosos, mas limitam os jogadores naquele cenário único de jogo, diferente do “role-play” que você só se limita a sua própria imaginação (demais não é!?).

Agora vamos lá, imagine que você é um camponês de um reinado longínquo arrasado por guerras tirânicas que assolam o povo e trazem miséria e caos. Imaginou? Agora você sabendo disso já começa a pensar nesse cenário e como toda e qualquer pessoa, quer que isso acabe, afinal, você e todos ao seu redor na história estão sofrendo. Correto? Bom você poderá dizer que sim, mas seu amigo que está jogando com você é servo de um mago mal que perpetua os desastres na sua região e para ele quanto mais sofrimento mais poder, aí já existe alguém se beneficiando com isso e pode fazer de tudo para atrapalhar você de tentar melhorar as vidas das pessoas, certo? Mas tudo depende apenas de você, ele pode te oferecer algo que você queira muito e aí você se torna também o vilão, ele pode tentar algo, mas você ainda quer a justiça, logo você é o herói. Você pode não querer nada disso e ir apenas para taverna encher a cara e jogar dardos até amanhecer hehe. Viu, as possibilidades são infinitas e podem gerar rumos maravilhosos limitados somente a sua capacidade de criar.

Mas claro, leia, leia muito, pois quanto mais leitura você tiver, garanto que mais combustível imaginativo terá. E não só isso, muitas pessoas através do RPG, descobriram vocações e habilidades que nem pensavam que tinham. As que tinham, aprimoraram e desenvolveram outras e isso pelo simples prazer de jogar um jogo ultra didático e interativo. Sou suspeito para falar, mas até hoje não vi jogos mais educativos em toda uma gama de esferas que são defasadas para muitas pessoas (história, ciências, geografia, matemática e etc.).

É bom lembrar que existem alguns jogos com classificação etária indicativa, assim é importante que os pais ou responsáveis se atentem ao divertimento da juventude. Em todo caso fica aqui minha recomendação: Uma história bem contada é algo bom, mas fazer parte da história que se é contada… Ah isso sim é épico!

Abraços!!!

Compartilhar:

Sobre o Autor

avatar

Écio Diniz

Écio Diniz é jornalista atuante, formado pela Universidade Brás Cubas, gosta de história

Obs: As postagens do autor são de plena responsabilidade do mesmo, o portal se isenta de qualquer conteúdo que possa ser ofensivo.

Veja mais posts deste autor

Leia também

Assine a nossa newsletter