Rota da Luz irá promover o turismo e movimentar a economia local

A popularidade do novo caminho brasileiro a "Rota da Luz" ainda não é grande, mas muitos dos peregrinos mais devotos já estão se programando para conhecê-lo

Postado dia 11/04/2016 às 07:28 por Renato Castrezana

luz

Foto: Reprodução/Internet

No mundo inteiro existem caminhos religiosos que atraem milhares de peregrinos com os mais diversos objetivos. Há peregrinos que se arrastam apoiados em bengalas, rasgando dolorosamente o caminho ao longo de sua viagem. Ou então, também há aqueles de visual tranquilo que percorrem uma rota mais curta, ou que pagam uma agência de turismo para carregar suas mochilas. Entretanto, todos precisam passar por várias cidades onde encontram um volume crescente de lojas de lembrancinhas que vendem chaveiros, camisetas ou imagens religiosas.

A medida em que a popularidade da peregrinação aumenta, transforma essa viagem espiritual em uma parte fundamental da indústria do turismo. Em um momento em que outras partes da economia ainda enfrentam problemas, a peregrinação se transformou em um negócio importante, tanto que se tornou foco de ações do governo estadual e prefeituras municipais, renovou não apenas a economia local, mas o debate sobre como equilibrar o turismo de massa com a reflexão espiritual.

Um misto de experiências mais e menos prazerosas, diante das dificuldades que se apresentam para vencer o caminho, mas que atraem, mesmo assim, milhares de pessoas por sua fé e religiosidade. Esses desafios se estendem de Mogi das Cruzes a cidade de Aparecida, na região do Vale do Paraíba, que já recebe 18 milhões de pessoas por ano que frequentam o seu circuito religioso, e que, além da cidade de Aparecida, contempla também Cachoeira Paulista, Guaratinguetá e Lorena.

Inaugurada em um evento ecumênico realizado no parque Centenário da Imigração Japonesa, este novo caminho pretende retirar os milhares de peregrinos que antes iam para Aparecida pela rodovia Presidente Dutra, arriscando suas vidas nos mais diversos perigos existentes para quem caminha em uma das rodovias mais movimentadas do país.

A Rota da Luz faz parte do programa Caminha São Paulo, realizado pela Secretaria de Estado do Turismo, e tem 194 quilômetros, partindo de Mogi das Cruzes para o Vale do Paraíba. Na cidade de Mogi das Cruzes, o trajeto conta com 27,2 quilômetros. No Centro de Informações Turísticas do Parque Centenário, os participantes recebem o Passaporte da Rota da Luz, com informações sobre o caminho e também campos para identificação de quem está caminhando e as marcações das cidades por onde ele passará.

Além de uma viagem exterior porque é um trajeto muito bonito, também é uma viagem interior, que permite a reflexão, o fortalecimento da fé, a oração e a meditação dos caminhantes.

A nova rota, por suas características mencionadas, despertará o interesse de milhares de pessoas e consequentemente trará desenvolvimento do turismo para as cidades que serão cortadas por ela. Oportunidade de renda para quem mora nas estradas rurais, pois suas casas poderão ser transformadas em pequenas pousadas ou pequenos restaurantes.

Além de Mogi das Cruzes, a Rota da Luz passa por outras oito cidades e o traçado é formado por estradas secundárias. Após os 27,2 quilômetros de Mogi das Cruzes, os participantes percorrerão 19,9 quilômetros em Guararema em direção à Santa Branca. A estrada seguinte tem 30,9 quilômetros e leva até Paraibuna. Continuando por mais 30,8 quilômetros, o peregrino chegará em Redenção da Serra, que está a 33,5 quilômetros de Taubaté. O percurso segue sentido Pindamonhangaba. Depois, serão 23,1 quilômetros para chegar à Roseira, onde começa a parte final do trajeto rumo à Aparecida, em uma caminhada de 26 quilômetros.

Todo o percurso é sinalizado com placas indicativas e os caminhantes poderão registrar a sua passagem pelos municípios com a utilização de QR Code (código quadrado em 2D que pode ser escaneado pela câmera fotográfica do celular), instalados em estabelecimentos comerciais e locação públicos indicados no site www.rotadaluz.com.br. No endereço, os caminhantes também encontram informações sobre as cidades participantes e orientações. A rota também é indicada para os amantes de viagens em veículos 4×4, cicloturismo e cavalgadas.

Assim como o caminho de Santiago de Compostela, que nos arredores local, fez com que dezenas de pequenas empresas começassem a se desenvolver e competir ao longo das cidades que cortam o caminho, sua história tornou-se exemplo e outras regiões ao redor do mundo tentam recriar novas rotas oficiais com o intuito de beneficiar o turismo local e atender melhor uma demanda de peregrinos já existente. O Caminho de Santiago de Compostela ajudou a transformar o turismo em uma das poucas partes da economia espanhola que não foi afetada com as crises econômicas. Só no ano passado, colaborou para a Espanha receber um recorde de 60,6 milhões de visitantes.

A popularidade do novo caminho brasileiro a “Rota da Luz” ainda não é grande, mas muitos dos peregrinos mais devotos já estão se programando para conhecê-lo.

Compartilhar:

Sobre o Autor

avatar

Renato Castrezana

Publicitário e professor de marketing, chefe de divisão de marketing e projetos turísticos na Prefeitura de Mogi das Cruzes

Obs: As postagens do autor são de plena responsabilidade do mesmo, o portal se isenta de qualquer conteúdo que possa ser ofensivo.

Veja mais posts deste autor

Leia também

Assine a nossa newsletter