Riscos e oportunidades no cenário econômico atual

Crises econômicas incomodam: Criam pessimismo, reduzem expectativas e ampliam riscos. Mas ela são normais e apresentam chances para o empresário repensar seu negócio

Postado dia 29/07/2015 às 17:29 por Sociedade Pública

Crise-no-mercado-de-trabalho

O fato de toda crise parecer uma anormalidade acaba por produzir uma sensação inerente de desconforto. No entanto, a verdade é que as crises são um elemento intrínseco das sociedades modernas e, portanto, não deixam de ser normais. O cerne da questão é como se encaram tais períodos considerados mais nebulosos.

“Seja medroso quando os outros são gananciosos, e seja ganancioso quando os outros estão com medo”. Essa é frase conhecida do bilionário norte-americano Warren Buffett. O problema é que nas tormentas até os clichês mais óbvios costumam ser esquecidos. Buffet faturou 10 bilhões na crise de 2008, mantendo a frieza e fazendo as apostas certas. Sendo assim, a pergunta do momento é: o que deve ser feito?

Um dos aspectos centrais para o crescimento dos negócios é a solidez. Nas crises é que resistência de uma empresa é colocada à prova. Em tempos de bonança, as fragilidades não são perceptíveis. Fazendo uma analogia, podemos dizer que o corpo humano somente revela seu vigor e sua saúde quando é colocado diante de adversidades. No caso das empresas, o elemento jurídico é crucial para manter a estabilidade diante das crises.

Duas partes celebram um contrato. Quando tudo está bem, ninguém lembra das diversas cláusulas existentes (ou que os dois lados deveriam ter inserido). Quando as pessoas se lembram da existência do contrato e de suas minúcias? Nas crises. Uma das partes se vê em dificuldades: descumpre o contrato. Quais eram as multas? As demais sanções? As garantias? O contrato vem à tona.

Uma empresa demite funcionários. Quais passivos trabalhistas ocultos virão à tona? Como lidar com eles? Tais perguntas surgem nas crises. E muitas outras: que oportunidades tributárias e previdenciárias não foram aproveitadas nos tempos em que os negócios iam bem? Por que aquele planejamento tributário oferecido outrora não recebeu a devida atenção? Enfim, tais perguntas pertencem ao universo jurídico e se traduzem em vantagens competitivas.

Crises são oportunidades para repensar o negócio e para reestruturar juridicamente as atividades em diversos âmbitos: cível, trabalhista, tributário etc. A exemplo do que ocorre em outras áreas, aqueles que mantêm a serenidade e foco nas soluções resistem às dificuldades e saem delas ainda mais fortalecidos.

Crises econômicas incomodam: criam pessimismo, reduzem expectativas e ampliam riscos. Mas ela são normais e apresentam chances para o empresário repensar seu negóci

#:
Compartilhar:

Leia também

Assine a nossa newsletter