Quanto vale a sua empresa?

Quanto vale sua empresa? Esta é uma pergunta muito frequente entre os empresários.

Postado dia 12/04/2016 às 07:56 por Leonardo Suyama

empresarios

Foto: Reprodução/Internet

É frequente encontrarmos situações em que o empresário defina o valor de sua empresa através de um multiplicador sobre o faturamento bruto mensal. Em geral, esse multiplicador é de 24 vezes o faturamento. Esta forma de cálculo desconsidera alguns fatores importantes para a avaliação do valor da empresa como os seus ativos e passivos, a lucratividade e a rentabilidade.

Imagine uma empresa que possua um faturamento baixo por culpa de alguma dificuldade que esteja enfrentando, mas com grande quantidade de ativos fixos, como máquinas, equipamentos e veículos. Se considerarmos apenas o faturamento bruto para avaliar seu valor, esses ativos podem entrar na negociação abaixo da avaliação de mercado. Outra situação comum é não considerar os passivos da empresa no cálculo. O comprador poderá ter uma surpresa verificando altos valores de dívidas e obrigações da empresa após concluída a negociação.

Portanto, um fator importante para considerar o valor da empresa que não seja somente através do faturamento bruto é levar em conta os ativos e passivos, tendo como resultado lógico o Patrimônio Líquido. Para o cálculo, é fundamental que um contabilista esteja à frente, para levantar corretamente todas as contas que fazem parte do balanço patrimonial.

Muitas empresas, grupos ou fundos de aquisições de empresas consideram o faturamento bruto mensal um dos principais fatores, incluindo o segmento em que atua e qual a participação que essa empresa possui no mercado, o que chamamos de “market share”.

Outras aquisições utilizam a “rentabilidade” como principal índice a se considerar. Nesta forma de avaliação, os investidores analisam o fluxo de pagamentos da empresa após considerar todos os custos e as despesas envolvidas na operação. A partir dessa análise, a empresa terá um fluxo de pagamentos líquido mensal, o que chamamos de resultado operacional, cujo valor é fundamental para a análise da rentabilidade do negócio. Neste cálculo, a análise concentra-se no percentual que o comprador ou investidor deseja sobre o capital que deve desembolsar para a aquisição da companhia. Esse comprador ou investidor analisa o quanto essa compra renderá mensalmente de retorno sobre o investimento. Considerando o risco da operação, prazo de retorno e rentabilidade, é possível comparar a compra de uma empresa com a aquisição de ativos disponíveis no mercado, como títulos públicos, privados e ações.

A recomendação é que os negociadores entendam as formas de calcular o valor da empresa e saibam utilizá-las de maneira que possam se complementar ao estudo. Isso facilita a negociação porque inclui parâmetros concretos além de realizar negócios justos e compatíveis com o mercado.

Compartilhar:

Sobre o Autor

avatar

Leonardo Suyama

Desde 2003 como Consultor de Finanças no SEBRAE/SP atua no atendimento das consultorias

Obs: As postagens do autor são de plena responsabilidade do mesmo, o portal se isenta de qualquer conteúdo que possa ser ofensivo.

Veja mais posts deste autor

Leia também

Assine a nossa newsletter