PT – uma estrela anã

O PT realmente cavou seu próprio túmulo na política brasileira. Seus candidatos esconderam suas bandeiras vermelhas por pura e simples vergonha

Postado dia 04/10/2016 às 09:27 por Pedro Henrique

PT

Foto: Reprodução/Internet

O Partido dos Trabalhadores está em queda livre, todos nós sabemos. Hoje o PT possui 635 prefeituras em todo o país. A partir da 2017, terá apenas 256, resultado do primeiro turno das eleições municipais, realizado neste domingo, dia 2[1]. A grande realidade é que o PT está sangrando em consequência dos repetidos tombos que suas políticas corruptas vêm angariando através dos últimos 4 anos.

O partido perdeu credibilidade entre os seus. Muitos dos seus políticos debandaram, a exemplo de Marta Suplicy, outrora aguerrida candidata defensora de sua bandeira partidária e hoje crítica ferrenhamente do PT e seus líderes.

O PT realmente cavou seu próprio túmulo na política brasileira, a verdade é que ele perdeu terreno até mesmo entre os seus. Aqueles que acreditavam em sua bandeira trabalhista e nas suas lutas contra o capital, hoje não sabem se realmente essas eram suas lutas.

Agora que foi desvendada a trama do petrolão, conhecemos todas ligações criminosas que o PT fez com inúmeras empreiteiras donas do tão terrível capital. Ligações estas com a única e descarada intenção de se manter a todo custo no poder.

O antigo partido de extrema esquerda, aquele que nasceu gritando contra o capital estrangeiro e pisando forte sobre o chão dos sindicatos, mostrou a todos que deixou-se seduzir pelo capital demoníaco que criticava anteriormente. Através de propinas, angariou luxuosos templos de sacrifícios de dinheiro público. Nem mesmo seus discursos piegas, ou seus punhos cerrados no ar, conseguem seduzir mais que alguns olhares errantes.

O PT não possui mais força nacional – pelo menos não agora. O PT, entre aqueles que analisam a política de forma crítica, não possui mais expressão nenhuma, além, é claro, daquele espectro embaçado do que um dia significou aos seus eleitores. A verdade é que o partido se mostra sem forças para se reerguer. A própria esquerda que, em outras épocas, deixava de apoiar seus candidatos para apoiarem o PT, hoje está se mobilizando em novos partidos, que se coligam com outros grupos. Candidatos do PT estão escondendo suas bandeiras vermelhas por pura e simples vergonha e estratégia de marketing.

Não posso, com nenhuma certeza metódica, dizer que o PT está se diluindo ao ponto de não poder voltar ao tamanho que um dia teve, mas posso garantir que sua má fama se espalhou de maneira viral por todos os espaços políticos desse país — e fora dele também.

Hoje seus líderes estão lidando com os olhares de desprezo e desconfianças daqueles que um dia foram seus principais apoiadores. O PT está com a lepra da corrupção, com o fedor da devassidão moral, há pedaços de sua carne podre para todos os lados. Com certeza não é boa coisa andar ao seu lado nesse momento.

Veremos esta semana quais serão as atitudes do partido após as apurações das eleições. A tendência é que, mais uma vez, o partido tenha que lidar com a perda de espaço no cenário político. O PT é um anão que já foi gigante e, agora, terá de aprender a lidar com o seu nanismo político.

Aliás, é bom aprender a lidar com a pequenez política que deverá vir nos próximos anos, pois a pequenez de caráter, esta parece que eles conseguem administrar sempre com muita maestria.

[1]<http://g1.globo.com/politica/eleicoes/2016/blog/eleicao-2016-em-numeros/post/em-4-anos-pt-perde-mais-da-metade-das-prefeituras.html>
Compartilhar:

Sobre o Autor

avatar

Pedro Henrique

Pedro Henrique, filósofo, ensaísta, crítico social, estudioso de política e palestrante

Obs: As postagens do autor são de plena responsabilidade do mesmo, o portal se isenta de qualquer conteúdo que possa ser ofensivo.

Veja mais posts deste autor

Leia também

Assine a nossa newsletter