Profissão Chef III – Os anos de experiência

Desenvolver-se como profissional da gastronomia é uma viagem que leva a vida toda, exigindo o aprendizado de muitos detalhes e anos de experiência. É desafiador e absorvente

Postado dia 16/03/2016 às 07:30 por Roque Thomazini

chef

Foto: Divulgação/Internet

Nestes ensaios, onde procuro informar àqueles que pretendem adotar a gastronomia como profissão, tento discorrer de maneira clara e objetiva sobre o que é esta linda profissão e o que o novato irá encontrar pela frente assim que formado em uma faculdade. Mas não posso me furtar de esclarecer alguns pontos em que a profissão leva ao mais puro prazer se levada com seriedade e coragem.

Nos discursos que tenho proferido sobre a profissão de Chef, costumo elencar os seguintes elementos fundamentais para a profissão:

Que a gastronomia é um ramo que abrange a culinária, as bebidas, os materiais usados na alimentação e, em geral, todos os aspectos culturais a ela associados;

Um gastrônomo (gourmet, em francês) pode ser um (a) cozinheiro (a), mas pode igualmente ser uma pessoa que se preocupa com o refinamento da alimentação, incluindo não só a forma como os alimentos são preparados, mas também como são apresentados, por exemplo, o vestuário e a música ou dança que acompanham as refeições;

A gastronomia é uma arte-ciência que abrange o ato de alimentar-se como um todo, refletindo uma tendência e destinada a diversos objetivos: hospitalidade, comportamento social, prazer, sobrevivência, saúde;

Abrange toda a evolução do homem e pode ser traduzida pelas tendências gastronômicas, pois assim como a moda de se vestir, a gastronomia também é regida por tendências.

Vejamos como exemplo a “gastronomia molecular”, uma tendência que poucos conhecem, mas que fascina aqueles que têm nas veias um sangue ávido por um prazer gastronômico e que, lançada há mais de 20 anos, consagra-se como tendência que veio para ficar.

Gastronomia Molecular tem como objetivo desafiar os sentimentos e a imaginação de forma a maximizar sensações. A introdução destas novas técnicas permite introduzir características estéticas e até lúdicas nos pratos, que de outra forma não se podem obter. Nestes últimos anos têm sido postos à disposição dos cozinheiros um conjunto de produtos usados pela indústria alimentar a décadas, mas que ainda não tinham tinha chegado às cozinhas, como é o caso dos espessantes, gelificantes, emulsionantes, enzimas e liofilizados, o uso de azoto líquido ou de novos equipamentos de cozinha como, por exemplo, os banhos termoestatizados, máquinas de vácuo ou destilação. Estes equipamentos e ingredientes permitem alterar texturas e introduzir características inovadoras nos pratos.

Desta forma, o ideal é unir técnica e arte. Desenvolver-se como profissional da gastronomia é uma viagem que leva a vida toda, exigindo o aprendizado de muitos detalhes e anos de experiência. É desafiador e absorvente. Técnicas específicas e os conhecimentos adquiridos são ininterruptamente testados e melhorados.

Tornar-se chef é um processo tão longo quanto a própria carreira.

Cozinhar é uma profissão dinâmica – que oferece alguns dos maiores desafios, assim como algumas das maiores recompensas.

#:
Compartilhar:

Sobre o Autor

avatar

Roque Thomazini

Roque Thomazini, formado Bacharel em direito, optou pela gastronomia como profissão

Obs: As postagens do autor são de plena responsabilidade do mesmo, o portal se isenta de qualquer conteúdo que possa ser ofensivo.

Veja mais posts deste autor

Leia também

Assine a nossa newsletter