Política e futebol: porque não enxergá-los da mesma maneira?

Quando um time vai mal, logo pedem a cabeça do treinador... E quando um político atua de forma irresponsável?

Postado dia 29/02/2016 às 09:30 por Sociedade Pública

político

Foto: Divulgação/Internet – cartão vermelho para político que faz falta grave

A política e o futebol são dois mundos diferentes, opostos na verdade, mas que exercem papeis importantes na vida dos brasileiros: a política rege a nossa sociedade e o futebol é responsável pela paixão e alegria dos nossos corações.

Apesar de serem tão importantes para as nossas vidas, esses dois mundos recebem tratamentos diferenciados. A reação que os brasileiros têm em relação ao futebol não é vista, nem de longe, no campo político. Toda a indignação, atenção e importância dadas às questões clubísticas, não são utilizadas quando o assunto é a política.

Tudo bem que o futebol é sentimento, algo que vem do coração, e a política é uma coisa fria e, porque não dizer, extremamente chata, mas se pararmos para analisar a importância de cada um em nossas vidas, chegaremos à conclusão de que o brasileiro necessita dessa paixão clubística para ser feliz, mas a “tal” política está presente em tudo no nosso dia-a-dia, ou seja, ela é muito mais atuante e necessária do que o futebol.

Sendo assim, porque não nos indignamos com os políticos que não cumprem com as suas promessas, que não conduzem a cidades, estados e País conforme esperamos e merecemos, assim como ficamos “put#s da vid@” quando um técnico não consegue dar uma padrão de jogo para o nosso time e, sequer, vitórias?

No quadro futebolístico, quando um time vai mal, logo pedem a cabeça do treinador, o presidente é acusado de má administração, o departamento médico é rotulado como “imprestável” porque não recupera jogadores importantes, isso sem falar no craque do time que passa a ser visto como o pior jogador do mundo por não desempenhar no campo o que os torcedores esperam dele, mas e na política? Qual é a nossa reação quando vemos um político importante como um prefeito, não resolvendo os problemas da cidade, ou vereadores que não o fiscalizam e governadores que não conseguem nos dar uma qualidade de vida melhor e um presidente que, literalmente, está afundando o País?

Mais uma vez estamos às vésperas de uma eleição, desta vez teremos a missão de eleger prefeitos e vereadores, o poder estará em nossas mãos novamente, pois é o nosso voto quem decidirá o nosso futuro, mas para não termos decepções, poderíamos analisar os candidatos com olhos de torcedores, ver o histórico dele para saber se ele já rendeu ou rende o que nós “torcedores” queremos dele, chegou a hora de sermos o “presidente do clube” que tem a missão de contratar o “craque” que vai salvar o nosso “time”, caso contrário, serão mais quatro anos fugindo do rebaixamento e, pior, sabendo que tivemos a chance de evitar isso, mas optamos pelo caminho errado.

ronaldoNome: Ronaldo Andrade
Profissão: Jornalista
Cidade: Suzano
Atua como assessor de imprensa da Câmara Municipal de Itaquaquecetuba, formado em Jornalismo, desde 2004, na Universidade de Mogi das Cruzes (UMC).

Entre em contato com Ronaldo Andrade pelo facebook

Compartilhar:

Leia também

Assine a nossa newsletter