Planejamento sucessório

Analisando as partes e os interesses envolvidos torna-se possível criar a estrutura necessária para uma sucessão tranquila e para preservação daquilo que foi conquistado ao longo da vida

Postado dia 15/12/2015 às 00:00 por Sociedade Pública

24020784

24020784

Conforme estudo da revista EXAME, 72% das empresas possuem planejamento de sucessão de liderança empresarial. Seis anos antes, este índice era de 46%. O mundo corporativo está se tornando mais consciente acerca dessa necessidade. E sua empresa? Está preparada?

Pensar na sucessão é algo inevitável, ainda que, muitas vezes, seja algo indesejável. Ninguém ignora o fato óbvio de que uma pessoa não pode liderar uma empresa eternamente. No entanto, mesmo ciente disso, nem todos os empresários conduzem este processo de uma forma planejada. Como consequência, todo patrimônio amealhado durante décadas pode se perder em poucos anos ou meses. Ganhar e conquista é difícil. Perder e gastar é fácil.

O planejamento sucessório envolve dois aspectos essencialmente: o administrativo e o judicial. Do ponto de vista da administração, é imprescindível que um processo de transição seja feito de modo lento e gradual até que os sucessores adquiram autonomia completa. O mais difícil, neste caso, consiste justamente em fechar um ciclo completamente e deixar o outro se iniciar sem que ingerências cotidianas permaneçam.

Do ponto de vista jurídico, o planejamento sucessório envolve três aspectos: (i) criar uma organização societária capaz de garantir que o antigo líder mantenha seus ganhos e seja capaz de intervir, eventualmente, se necessário, em decisões estratégicas, sem a necessidade da administração diária; (ii) organizar uma estrutura jurídica apta à administração profissional, de modo que os sucessores, mesmo sem vocação ou interesse em dar continuidade aos negócios, tenham seus direitos e dividendos garantidos; (iii)  proteger o patrimônio pessoal conquistado por meio da empresa, na hipótese dos negócios não prosperarem após a sucessão.

O planejamento sucessório permite ainda ganhos tributários expressivos. Se feito da maneira correta e com antecedência, existe sempre a possibilidade de se reduzir substancialmente valores relativos a tributos, especialmente os que seriam pagos a título de transmissão de bens a herdeiros.

Soluções administrativas e jurídicas podem ser alcançadas por meio de profissionais especializados. Analisando as partes e os interesses envolvidos torna-se possível criar a estrutura necessária para uma sucessão tranquila e para preservação daquilo que foi conquistado ao longo da vida. Trata-se de um processo longo e complexo, mas que seguramente garante aquilo que todo empreendedor deseja: que o fruto do seu trabalho possa ser aproveitado por gerações futuras.

Compartilhar:

Leia também

Assine a nossa newsletter