Peeling estético

Peeling estético: O que é? Quais os tipos? Qual sua ação? Onde usar?

Postado dia 18/05/2016 às 07:30 por Nubia Maia

estético

Foto: Reprodução/Internet

Escolhi este tema devido ao número de clientes que me perguntam sobre o peeling. Percebo que as dúvidas são muitas, tais como: o peeling de diamante tira manchas? É melhor fazer o peeling de diamante ou a limpeza de pele?

Acredito que os clientes fazem este tipo de pergunta porque algumas clínicas dão ênfase ao peeling de diamante como um solucionador, e não como um complemento do tratamento. Então vamos entender o PEELING ESTÉTICO.

O que é PEELING?

O peeling é um procedimento indicado para realizar uma esfoliação e renovação celular na epiderme (pele). É dividido em duas categorias: peeling estético e peeling médico.

 

Qual a diferença entre o Peeling químico estético e o peeling químico médico?

A diferença é a profundidade, PH e concentração.

No peeling estético a concentração pode chegar até 10%, atingindo apenas as camadas mais superficiais da epiderme.

No peeling médico a concentração pode variar, ultrapassando os 10% e chegando a atuar até a camada mais profunda da epiderme (camada basal).

 

Quais os tipos principais de peeling estético?

São eles o químico (ácidos), físico (cremes ou géis com sementes ou grânulos), mecânico (peeling de diamante, cristal ou ultrassônico).

 

Qual a ação do peeling?

Químico (ácidos): pode agir de duas formas diferentes, uma é afinando a camada da pele e promovendo uma renovação celular que chamamos de peeling queratolítico. É o peeling que regula a produção da melanina, chamados de despigmentante. Normalmente os cosméticos contêm os dois tipos, para que sua ação seja mais efetiva removendo manchas, linhas de expressão e regulando a produção da melanina.

 

Físico e mecânico: atuam apenas nas camadas superficiais da pele e tem a função de afinamento da mesma, não tem o poder de atuar na produção da melanina.

 

Peeling de diamante tira manchas?

Não, o peeling de diamantes sozinho não tira manchas, em geral ele clareia a pele devido à remoção das células mortas e deve ser associado sempre a um protocolo como: limpeza de pele, rejuvenescimento, clareamento.

 

Como potencializar meu protocolo com o PEELING DE DIAMANTE?

Desde que a pele esteja íntegra, o peeling de diamante pode entrar antes de qualquer protocolo inclusive de peeling químico em casos de pele grossa, ele vai ajudar no afinamento desta pele e facilitar a permeação (entrada) do ativo na pele.

 

Em que momento não se deve utilizar o peeling?

Químico: pele lesionada (exceto acne), quando for exposto ao sol, gestante ou pessoas com alergia a fórmula.

Peeling de diamante: pele com presença de Pápulas (processo inicial da espinha), Pústula (espinha) e pele lesionada.

Conclusão: O peeling é um grande aliado nos tratamentos estéticos e está presente em diversos protocolos. É importante que se faça uma ficha de anamnese (avaliação) em cada cliente, com seu fototipo e contra indicações para que o tratamento seja tranquilo, eficiente e seguro para o cliente e o profissional.

 

Compartilhar:

Sobre o Autor

avatar

Nubia Maia

Aos 37 anos decidi fazer minha primeira graduação (Estética), e não quero parar mais! Pós-graduada em Docência do Ensino Superior

Obs: As postagens do autor são de plena responsabilidade do mesmo, o portal se isenta de qualquer conteúdo que possa ser ofensivo.

Veja mais posts deste autor

Leia também

Assine a nossa newsletter