Oscar

Leonardo Di Caprio finalmente e merecidamente levou o Oscar, mas teve muito mais do que isso! Confira

Postado dia 01/03/2016 às 07:30 por Mariana Pastore

oscar

Foto: Divulgação/Internet

Que cerimônia, hein amigos? Eu achava que ia ser a noite do Leonardo di Caprio, mas foi muito mais do que isso! A começar pelo discurso do Chris Rock. Eu admiro os americanos por isso, ninguém fica “pisando em ovos”. E ele realmente cutucou muita gente com aquele discurso. Apesar de eu discordar de algumas questões que ele levantou, como a que os repórteres só não perguntam sobre o look dos atores homens porque são todos iguais, eu admiro quem se permite fundamentar uma opinião diferente do senso comum.

Para quem não assistiu e não está entendendo nada, ele basicamente criticou quem reclamou de uma cerimônia sem atores negros indicados às principais categorias, e disse que nas décadas passadas, havia problemas mais importantes para os negros se preocuparem. Houve grande polêmica após o anúncio dos indicados nesse ano, e diversos artistas negros boicotaram a cerimônia.

Ainda me emocionei duas vezes. A primeira com o compositor Ennio Morricone, um gênio do cinema de 87 anos, que levou o Oscar pela trilha sonora de “Os Oito Odiados”, e agradeceu em italiano com lágrimas nos olhos. E depois com a Lady Gaga que cantou a música que escreveu sobre vítimas de estupro para um documentário. Perdeu a estatueta para Sam Smith, que venceu Melhor Canção Original por “Writing’s on the Wall”, do filme “007 contra Spectre”, que não fez feio e dedicou o prêmio à comunidade LGBT.

Aí veio o prêmio do Melhor Diretor, na minha opinião merecidamente vencido pelo mexicano Alejandro Iñarritu, por “O Regresso”, de quem sou fã desde “Amores Bruto” (2000). Ele lembrou uma frase do filme que o personagem de Di Caprio diz para o seu filho mestiço, “Eles não te escutam, apenas veem a cor da sua pele”, e defendeu o fim de todo tipo preconceito relacionado à cor da pele.

Então chegou o momento que toda a internet aguardava! O prêmio de Melhor Ator e toda a expectativa de milhões de espectadores. Leo ganhou, merecidamente. Eu assisti “O Regresso” e esqueci que era o Di Caprio na tela. Só vi o personagem o tempo todo. Na minha humilde opinião, de quem estudou interpretação por alguns anos, ele é um dos poucos atores que tem esse dom, assim como a Meryl Streep. Ainda dedicou grande parte do seu discurso para chamar a atenção do mundo para o aquecimento global. Como não amar?

E eu que já não estava nem 1% arrependida de estar acordada até 2 h da manhã, e ter que acordar cedo no dia seguinte, ainda fui premiada com a melhor surpresa da noite: a vitória de Melhor Filme para “Spotlight”! Achava que “Mad Max: Fury Road” já estava com a mão “na taça”. Mas a vitória do filme mostrou a importância do jornalismo de verdade, aquele que investiga e que custa caro, em oposição ao momento que vivemos, onde muita coisa é compartilhada nas redes sociais sem uma fonte com credibilidade. Sou jornalista de formação, andava um pouco desiludida, e o filme me lembrou porquê eu lutei tanto para seguir nessa profissão. Melhor Oscar da vida!

Compartilhar:

Sobre o Autor

avatar

Mariana Pastore

Mariana Pastore é jornalista, atualmente é freelancer na área. É apaixonada por viagens, e pelo universo da arte e cultura

Obs: As postagens do autor são de plena responsabilidade do mesmo, o portal se isenta de qualquer conteúdo que possa ser ofensivo.

Veja mais posts deste autor

Leia também

Assine a nossa newsletter