Os pequenos acreditam no Brasil

A confiança impulsionou a perspectiva de melhora a curto e médio prazo. É necessário esforço de todos para colocar novamente o Brasil nos trilhos do crescimento sustentável

Postado dia 13/10/2016 às 11:31 por Paulo Skaf

sebrae

Foto: Reprodução/Internet

Os pequenos negócios brasileiros contrataram mais que demitiram em agosto, abrindo mais de 16 mil novas vagas. O saldo ficou positivo em 623 vagas. Foi a primeira vez, desde fevereiro, que se registrou este incremento. Ainda não é o suficiente para zerar o estoque acumulado de demissões, mas é uma sinalização importante que a economia está entrando nos eixos.

Outra manifestação de credibilidade na retomada foi detectada em pesquisa do Sebrae-SP, também em agosto. Perguntamos a 2,7 mil microempreendedores individuais e pequenos empresários, em todo Estado de São Paulo, quais eram as expectativas deles para o desempenho de suas empresas e para a economia nos próximos seis meses, tendo em vista que a maioria computava perda de receita há quase 20 meses.

Praticamente metade acredita que o quadro ficará estável. Mas o que chamou a atenção foi que mais de 33% dos empresários disseram que tanto a atividade econômica quanto o faturamento da empresa vão melhorar. Cerca de 10% ainda acreditam em piora (eram quase 40% em agosto de 2015).

A confiança impulsionou a perspectiva de melhora a curto e médio prazo. Como venho afirmando, não existe receita mágica; é necessário esforço de todos para colocar novamente o Brasil nos trilhos do crescimento sustentável.

Nós, empresários, continuamos trabalhando dia e noite, sete dias na semana para ajudar a fazer a roda da economia girar. Do outro lado, governantes e legisladores precisam demonstrar efetivamente que também estão empenhados na mudança de rumo da economia, fazendo um forte ajuste das contas públicas, reduzindo juros, destravando o crédito e os investimentos em infraestrutura e apoio à exportação. Sem usar o caminho aparentemente mais fácil, mas extremamente nocivo e injusto, do aumento de tributos. O governo já arrecada cerca de R$ 2 trilhões em impostos por ano e a questão não é ter mais dinheiro, e sim usar bem esses recursos.

O Sebrae-SP também se integra neste esforço e optamos por fortalecer a competitividade dos pequenos negócios e micro empreendimentos individuais (MEIs) por meio da forte expansão de ações de orientação e capacitação em gestão. Uma amostra disto está na mobilização que promoveremos na semana de 3 a 8 de outubro, comemorando o Dia da Pequena Empresa, celebrado em 5 de outubro.

Na Semana do Empreendedor teremos mais de 350 palestras e oficinas presenciais, outras 35 virtuais, Dia do Crédito, Encontros “Gestão em Tempos de Crise”, formalização de empreendimentos, consultoria em planejamento, finanças, marketing e vendas, legislação. Um verdadeiro mutirão, com 700 colaboradores presentes nos 33 escritórios regionais, 35 unidades do Sebrae Móvel – que percorrerão 60 localidades, tendas em São Paulo, Campinas, Guarujá, Itapevi e São Bernardo do Campo, e em nossa central de atendimento online. Tudo gratuito e acessível.

Nesta celebração da pequena empresa, engrenagem fundamental na geração de emprego, renda e inovação, quero ir além, reafirmando meu compromisso de continuar trabalhando para o tão necessário ajuste das contas públicas, combatendo energicamente a criação e o aumento de impostos e trabalhando pela simplificação das normas que regem o dia a dia do setor produtivo privado. Porque esse é o Brasil que queremos novamente nos trilhos do desenvolvimento.

 

Compartilhar:

Sobre o Autor

avatar

Paulo Skaf

Paulistano, filho de imigrantes libaneses, tem 59 anos e é combativo defensor das condições de igualdade para que as empresas sejam competitivas.

Obs: As postagens do autor são de plena responsabilidade do mesmo, o portal se isenta de qualquer conteúdo que possa ser ofensivo.

Veja mais posts deste autor

Leia também

Assine a nossa newsletter