O silêncio dos inocentes

Uma encrenca chamada política! De repente, todos os delatados são inocentes, e ninguém fez nada, recebeu nada, assinou nada e não conhece ninguém. Pobres homens ricos!

Postado dia 17/06/2016 às 02:06 por Wilson ADM

inocentes

Foto: Reprodução/Internet

Que o Brasil possa abismar-se com a competência da Operação Lava Jato. Definitivamente, é o bicho papão da desonestidade. As investigações fazem emergir para a superfície (mídias) tanta sujeira que chega a dar nojo. Fique à vontade para enojar-se com as declarações covardes de todos os acusados de corrupção que juram inocência, e negam todos seus atos perante a população.

Durante anos, políticos e empresários desonestos contribuíram para uma enorme desvalorização da economia brasileira, pensando somente em interesses próprios. O desejo da permanência no poder torna-se um monstro fora de controle que usa todos os artifícios possíveis para aparelhar o Estado, manipulando empresas, industrias, veículos de comunicação, o legislativo, executivo e o judiciário. Esse monstro chamado ganância não tem cor, bandeira, partido e nem vergonha. Essa é a base do velho discurso contra o famigerado político ladrão, que infelizmente se renova contra a vontade da maioria da população.

Chegam as delações premiadas como um soco no queixo. Todos se acovardam. Homens outrora corajosos o suficiente para atentarem contra o próprio país, roubarem merenda de crianças, remédios de postos de saúde, destruírem a educação, incentivarem falsa cultura, tirarem a dignidade do povo que lhes confia a vida e o futuro, se cobrem com o manto da mentira. Covardia e humilhação juntas sem parecer pesar nos seus ombros, como o mais baixo que pode chegar um ser humano perante a si mesmo, sem enganar a ninguém, e devendo sempre sabendo à quem.

Alegam que tudo é uma grande calúnia, que tudo é uma conspiração, intriga da oposição, tentativa de golpe, tentativa de intimidação. Colocam a sociedade para engolir de bandeja essas mentiras que alimentam somente uma sociedade esquizofrênica, que não sabe de nada e se acha politizada por ser uma incompleta idealista. Onde cada um escolhe uma cor, uma bandeira, uma verdade e a defende cegamente, sendo somente uma marionete para que nada mude nesse país.

Volta o povo frustrado na frente da televisão, procurando justificar sua falta de fé no Brasil em cima do erro alheio. Achando que sabe política, achando que sabe mais que o outro, achando que tem certeza de alguma coisa, mas sempre buscando os erros alheios, e não conseguindo ver o que está acontecendo onde colocou sua fé de livre e espontânea vontade, pois essa é a democracia de hoje em dia, exigir respeito de todos sem respeitar os demais, querer ser ouvido por todos mas não ouvir os demais. Para muitos, democracia é vestir rédea, cabresto, dar coice e sair correndo.

Por incrível que pareça, há quem comemorou a cassação de Eduardo Cunha como se fosse uma resposta ao impeachment sofrido pela Dilma Rousseff. Eduardo Cunha foi um dos políticos mais sujos e corruptos que o Brasil teve o desprazer de pagar salário. E tem mais, tem muito mais. Sérgio Machado, outro sujeito desprezível, está delatando todo mundo que se meteu a roubar dinheiro do país, com seu apoio é claro. Agora o PMDB está patinando na lâmina da faca.

Quem quiser comemorar as denúncias contra PT, PMDB e PSDB que comemore, mas deveriam perceber que nos esquemas de roubo da Petrobrás e vários outros, estavam todos juntos. Agora estão atuando em um teatrinho para salvarem a própria pele. Inocente é aquele que não participou, que não se sujou, que não teve o nome citado em investigação. Quem teve o nome citado, não o teve a toa ou por pirraça alheia, e sim porque está devendo e chegou a hora de prestar contas. É preciso entender de uma vez por todas que militâncias nesse momento, sejam de onde for, esquerda ou direita, somente atrapalham o processo de evolução do país, pois não se joga cara ou coroa e simplesmente decide por um lado. Todos os investigados precisam ser ouvidos, julgados pelas estâncias superiores, e presos caso seja provado crime de corrupção. Quando se faz amigos como Lula, Eduardo Cunha, José Sarney, Renan Calheiros, Sérgio Machado, é preciso estar pronto para o pior, pois esse tipo de politicagem que infelizmente domina o Brasil, é a coisa de quem está disposto a perder tudo, para ser um homem rico mas sem valor. Sair às ruas para defender pessoas desse tipo e depois reclamar da situação do país não é coerente, é triste. É um retrocesso.

A Lava jato continua lavando, enxugando, arrumando, e colocando as coisas em seu devido lugar. Como a maioria das mães dizem aos filhos enquanto elas estão fazendo faxina em casa: “Fica quietinho para não atrapalhar o meu serviço”

Compartilhar:

Leia também

Assine a nossa newsletter