O que são os tabus sexuais?

Veja alguns exemplos de tabus que ainda hoje muitos acreditam ser verdade

Postado dia 11/08/2016 às 08:30 por Priscila Andrade

tabu

Foto: Reprodução/Internet

Vocês já devem ter ouvido ou lido em algum lugar: “isso é um tabu”. Mas o que são tabus? Por que, ao se referir à área da sexualidade, sempre ouvimos esse termo?

No dicionário Houaiss, tabu significa: Interdição/proibição. Ação, objeto proibidos por uma lei ou cultura. A palavra tabu se originou do polinésio que significa sagrado, algo inviolável. Surgiu como uma atividade social, estabelecida por ordem moral e religiosa e que é culturalmente reprovável e varia de acordo com a sociedade e o momento histórico.

Com o advento do Puritanismo – movimento que surgiu dentro do protestantismo inglês em meados do século XVI – exigiu-se, dentre outras coisas, a mudança de valores da sociedade. Com isso, o homem passou a ser contido e racional, e assim a sexualidade passou a ser controlada com a normatização e a classificação dos atos sexuais.

Dessa forma, a repressão sexual se fez presente. Segundo Regina Navarro, “repressão sexual é um conjunto de interdições, valores e regras estabelecido pelo social para controlar a sexualidade das pessoas”. Embora, a sexualidade esteja mais aberta ao diálogo, uma grande parcela da sociedade ainda tem incorporado esses tabus sexuais, pois ainda vivemos em uma sociedade patriarcal e machista.

Como argumentou Foucault, a sexualidade é um dispositivo histórico, ou seja, criação social, pois é abarcada em meio a vários discursos que normatizam, classificam e regulam, inventando supostas verdades que se perpetuam até hoje.

Abaixo seguem alguns exemplos de tabus que ainda hoje muitos acreditam ser verdade.

Mulher não pode falar de sexo: Por mais que estejamos em uma época na qual somos “bombardeados” diariamente por assuntos referentes a sexo, as mulheres ainda se sentem constrangidas ou tem medo de serem julgadas por falarem e gostarem do assunto. Isso porque a sociedade ainda trata a sexualidade com um assunto vulgar e promíscuo.  Esse é um tabu que precisa ser superado, principalmente através da educação sexual.

Masturbação é errada ou pecado: Nem uma coisa e nem outra, a masturbação é um comportamento comum, de conhecimento do próprio corpo, com prazeres que fazem bem à saúde. Religiões à parte, mas outrora a masturbação já foi considerada pecado e esse aspecto se perpetua até hoje, principalmente entre as mulheres.

Sexo anal/oral: Muitas pessoas consideram esses dois tipos de práticas sexuais como “sujas”. O sexo anal é mal visto porque se associa à homossexualidade, sendo que homossexual é aquele que se relaciona com pessoas do mesmo sexo e não necessariamente aquele que sente prazer no sexo anal. Em relação às mulheres que praticam sexo oral, muitas sentem receio de serem consideradas “putas”, pois antigamente esse tipo de sexo era feito por prostitutas. Na realidade, o corpo inteiro, quando estimulado, é uma fonte imensa de prazer. Ou seja, não há problemas em realizar essas práticas.

Há diferenças nos desejos sexuais de homens e mulheres: Mais um mito que vem de tempos remotos, no qual a mulher tinha que ser recatada e que os homens seriam os responsáveis por perpetuar e praticar o ato sexual, restando às mulheres o amor conjugal. Hoje sabemos que tanto homens quanto mulheres têm vontades iguais. A diferença é somente cultural: a mulher ainda tem receio em falar dos seus desejos por medo de ser julgada.

Assim, tabus e mitos sexuais só deixarão de existir a partir do momento que houver esclarecimentos e uma educação sexual que propicie essas atitudes.

Compartilhar:

Sobre o Autor

avatar

Priscila Andrade

Professora e Educadora Sexual. Pedagoga e Mestre em Educação Sexual,

Obs: As postagens do autor são de plena responsabilidade do mesmo, o portal se isenta de qualquer conteúdo que possa ser ofensivo.

Veja mais posts deste autor

Leia também

Assine a nossa newsletter