O estresse como um aliado

A maneira como você percebe o estresse e a maneira como você age, muda totalmente o efeito do estresse em seu corpo. Então procure ver o estresse como uma reação amiga, natural e corajosa para enfrentar os desafios

Postado dia 24/01/2017 às 08:30 por Fabio Gabas

estresse

Foto: Reprodução

Olá meus queridos amigos!

Quero compartilhar algo que já está acontecendo, apesar de nem ainda termos finalizado o primeiro mês do ano, considerado mês de “férias”, que é a seguinte frase no consultório: “Nossa Fábio, acredita que nem bem começou o ano e já estou me sentindo estressado e até cansado!”

Não sei se vocês se identificam com essa situação (espero que não) mas não custa relembrar alguns conceitos e estudos que se aplicados, podem auxiliar e muito, no gerenciamento e até reversão deste desconforto tão comum ultimamente, dado nosso cenário sócio-político-econômico.

Já tive a oportunidade de apresentar em outro artigo, um trabalho super interessante da dra. Kelly McGonigal. Foi uma pesquisa com mais de 30 mil pessoas ao longo de 8 anos, que concluiu que o estresse não faz mal, faz mal é acreditar que o estresse faz mal!
Acreditar que o estresse faz mal é o que gera as alterações no corpo prejudiciais à saúde, ao passo que acreditar que as reações do estresse, como o aumento da frequência cardíaca e respiratória, são preparações para seu corpo reagir e superar a situação ou evento, amenizam as alterações prejudiciais e até beneficiam sua saúde e resiliência!

Hoje eu quero trazer novos resultados de pesquisa desta mesma autora entre outros, que espero que te abram uma nova perspectiva sobre este “mal do século”.

O estresse libera um hormônio chamado oxitocina (liberado no parto) que é o hormônio da conexão, do amor, e que de certa forma te direciona a buscar ajuda nos outros. Quando uma situação está muito difícil, nossa resposta de estresse nos faz querer estar próximo de quem se importa conosco e gera um registro que também nos aproxima de quem está passando por dificuldades (basta observar a maior solidariedade que ocorre diante de situações catastróficas no mundo todo).

estrese2

O interessante é que a própria oxitocina que é liberada em resposta ao estresse, protege nosso coração dos seus efeitos negativos, causando vasodilatação e regenerando as células cardíacas lesadas pelo estresse, além das propriedades antinflamatórias próprias deste hormônio. Importante ressaltar que todos esses benefícios físicos são exacerbados diante da conexão e suporte de pessoas. Quanto maior sua conexão através deste suporte ou mesmo ajudando o próximo, mais libera oxitocina e melhor sua resposta ao estresse. Isso quer dizer que o próprio estresse tem um mecanismo para resiliência!!! E esse mecanismo se dá através da CONEXÃO HUMANA.

O estudo que nos trouxe essas conclusões foi realizado com mais de 1000 pessoas entre 34 e 93 anos de idade pelo Departamento de Psicologia da Universidade de Buffalo NY. Perguntaram quanto estresse essas pessoas tiveram no ano anterior e também perguntaram quanto tempo passaram ajudando pessoas, parentes, vizinhos, enfim, sendo úteis e auxiliando no sofrimento alheio de sua comunidade. Acompanharam por 5 anos para registrar as mortes e para cada grande experiência estressante (financeira, morte na família ou crise familiar), houve um aumento de 30% no risco de morte. Porém, para quem se dedicou à ajuda na sua comunidade, esse risco foi NULO!!! O cuidado, conexão e utilidade criam resiliência.

Essa experiência tocou profundamente meu coração. É impressionante a perfeição do funcionamento de todas as coisas na natureza, incluindo dentro de cada um de nós. Como é belo e bom, sentir que temos todas as ferramentas para nossa felicidade que talvez seja a “coisa” mais procurada por todos, basta procurar no lugar certo… Será que está aí fora? Nos bens materiais, na cultura, nas viagens luxuosas e festas sem fim? Eu acredito que também pode estar aí, desde que a gente não perca a consciência do simples, da conexão com o Todo, da Beleza e Grandiosidade da Vida em si, que só percebemos no PRESENTE.

A maneira como você percebe o estresse e a maneira como você age, muda totalmente o efeito do estresse em seu corpo. Então procure ver o estresse como uma reação amiga, natural e corajosa para enfrentar os desafios e fortalecer-se! E lembre-se de que não precisa enfrentar sozinho, ajudar e ser ajudado é uma benção para todos segundo a própria ciência. E acima de tudo saiba que querendo ou não, essencialmente, você nunca está sozinho!

Um grande abraço a todos e bom estresse!

Compartilhar:

Sobre o Autor

avatar

Fabio Gabas

Clínico dedicado aos estudos da medicina Preventiva e Integrativa. Atende na Clínica Healthy em São Paulo, e médico sócio da Clínica Gabas CRM 95.581

Obs: As postagens do autor são de plena responsabilidade do mesmo, o portal se isenta de qualquer conteúdo que possa ser ofensivo.

Veja mais posts deste autor

Leia também

Assine a nossa newsletter