O espaço da criança na educação infantil

As escolas particulares se preocupam em forjar um currículo repleto de conteúdos para a primeira infância, pensando mais nos pais do que nas próprias crianças

Postado dia 21/06/2016 às 08:00 por Julliana Santos

infantil

Foto: Reprodução/Internet

A criança expressa sua infância por meio da brincadeira. Logo, o brincar é compreendido como pura manifestação da essência da criança. Na brincadeira, a criança interpreta papéis, imita os adultos, cria personagens, ou seja, vive um constante ensaio de um vir a ser quando crescer.

E por que tantas pessoas não compreendem esta função primordial da brincadeira, se todos nós passamos por essa fase? As escolas particulares de educação infantil se preocupam arduamente em forjar um currículo repleto de conteúdos para a primeira infância, pensando mais nos pais do que nas próprias crianças. Isso porque existe uma preocupação inerente ao modelo de sociedade capitalista em que a competição se estabelece como questão de sobrevivência e a moeda de troca para estar a frente dos outros é o sacrifício do tempo. O tempo da criança é muito diferente do tempo do adulto.

Para os pequenos, não existe daqui a pouco ou amanhã, o que interessa está no aqui e agora. E o agora carrega uma certa ordenação biológica, que, se ignorada, prejudica os aspectos necessários a serem desenvolvidos naquele momento.

O espaço da educação infantil não comporta cobrança de provas, livros didáticos, cadeiras e mesas enfileiradas e rigidez de condutas. Os pais que depararem com escolas que sigam este molde devem sair correndo, pois há uma compreensão invertida do significado da educação infantil.

A escola de educação infantil deve propor às crianças um ambiente acolhedor, que remeta à sensação de estar em casa. A casa é tão fundamental para a criança que é um desenho muito recorrente. Sempre tem uma casinha, quase como uma extensão do próprio corpo. Lá onde nos reunimos em família, nos sentimos guardados de qualquer adversidade, onde satisfazemos nossas necessidades básicas. É o aconchego do abrigo, nosso ninho.

Estender essa atmosfera de paz para a escola respeita o ritmo da criança e cria estruturas para uma transição ao ensino fundamental, pois, apesar de se propor semelhante ao lar, não é o lar, é uma escola, e essa compreensão de espaços vai sendo assimilada pela criança.

Compartilhar:

Sobre o Autor

avatar

Julliana Santos

Educadora em formação pela Universidade Federal de São Paulo.

Obs: As postagens do autor são de plena responsabilidade do mesmo, o portal se isenta de qualquer conteúdo que possa ser ofensivo.

Veja mais posts deste autor

Leia também

Assine a nossa newsletter