O Brasil do Sérgio Moro

Com Eduardo Cunha atrás das grades, político ladrão se esconde debaixo da cama

Postado dia 24/10/2016 às 10:00 por Sociedade Pública

Foto: Reprodução

Foto: Reprodução

É um Brasil diferente. Longe da falação das pessoas pelas ruas ou redes sociais, longe de todo aquele achismo que perambula pela opinião pública. É um Brasil que está acontecendo aqui e agora, diferente e surpreendente, cada vez mais perto de tornar-se uma pátria mais justa. Brasil, ame-o ou deixe-o, mas essa gigante nação mostra sinais de ordem e progresso que vão além de uma fita branca que cruza a linda bola azul estrelada no centro da bandeira verde e amarela. Brasil, terra de plantar e colher.

Veja Eduardo Cunha, um político influente que foi cassado, teve os bens bloqueados e agora está na cadeia respondendo por seus diversos crimes. Um homem que muitos pensavam ser intocável pela sua grande influência nas decisões do governo e de poderosos empresários, afirmou durante seu julgamento no plenário, ser o grande responsável pelo sucesso no processo de impeachment de Dilma Rousseff, embora seja verdade, sua fala triste, indignada e emocionada não comoveu e nem convenceu seus colegas parlamentares de sua inocência em relação as contas no exterior, que impugnaram seu mandato quase que por unanimidade. Não há espaço para heróis como Eduardo Cunha.

Sérgio Moro é o nome em destaque, o homem é um caçador de caçadores. A Operação Lava Jato é o bicho papão do político ladrão e não parece interessada em perseguir somente o PT, pois a bola da vez foi um peemedebista que pisou fora da linha, e o pior, pisou fora da linha consciente, sabendo que lesaria a pátria, cidadãos de bem e até a própria família. É no mínimo triste a história de um homem como Eduardo Cunha, que aceitou colocar a vida e a honra em jogo de forma tão estúpida.

É hora de pagar. Para quem compra tudo e todos sempre que pode, esse preço é bem alto, o preço da culpa e da vergonha não se mede em cifrões, já o preço que a sociedade paga pela irresponsabilidade dos governantes e empresários corruptos, acaba sendo caro, inútil e provavelmente vira caixa dois.

Não há muito o que dizer sobre a atual situação do Cunha, apenas expressar que ele foi tarde, assim como existem muitos outros que merecem umas férias em um maravilhoso resort privado bem longe do poder e do dinheiro público. Fato é que gente poderosa agora está com medo, e não haverá militância que fará frente suficiente caso por exemplo, Lula seja chamado para vestir um uniforme listrado, pois assim como Cunha, ele está debaixo de acusações bem pesadas, e o ministério público já demonstra grande antipatia por ele.

Compartilhar:

Leia também

Assine a nossa newsletter