Não deixe a raiva te pegar

Uma pessoa que sente raiva não pode, mesmo que tenha convicção disso, mudar o mundo para melhor, uma pessoa que sente amor no coração, mesmo que não queira mudar o mundo, o faz com maestria.

Postado dia 23/03/2016 às 00:00 por Sociedade Pública

jardim

Foto: Reprodução/Internet

Vivemos um momento delicado na história do mundo. Especialmente no Brasil, é preciso assumirmos logo a responsabilidade de nossas ações e, para isso, aumentarmos cada vez mais o nosso cuidados sobre elas. A primeira ação do homem é a mais importante: o pensamento.

Um ser reacionário não tem lado. Ele é da direita, esquerda, de cima e de baixo, podendo até se achar o centro do universo. O reacionário, na maioria das vezes em que recebe uma informação, simplesmente reage a ela. Não reage pelo instinto, pois nele há discernimento, mas atua com uma consciência limitada a padrões pré-estabelecidos. O pensamento mal examinado direciona um grande número de acontecimentos quase sempre para as mesmas emoções e resultados.

Eis que surge a segunda responsabilidade a ser assumida, e junto com esta, mais cuidado ainda: a fala.

Primeiramente, somos seres criadores, a fala cria possibilidades. O que você diz está valendo, torna-se sua verdade, e deve assumir tudo que diz. Aquele que mente deverá responder por isso e, se causar algum mal, será responsável pelo mal que causou. Precisamos honrar a palavra.

Mas e a mentira inconsciente?

A mentira inconsciente é aquela fé cega nas verdades do ego, que não consegue alcançar uma visão profunda dos acontecimentos a sua volta, quase sempre relutante em realizar mudanças, admitir erros, aceitar opiniões alheias e contrárias às suas. Inconscientemente a pessoa mente, pois ela vive presa nas confusões do ego, e a verdade é libertadora.

Vou citar um exemplo para esclarecer mais sobre essa prisão. Essa prisão está na consciência. Cada ser humano possui dentro de si várias verdades, e todas elas são relativas. Tudo no universo está em constante movimento e mudança. Uma pessoa que vive em função de satisfazer o ego tende a querer que o mundo se molde às suas necessidades e vontades, que o mundo se perfume com seus aromas, se enfeite de seus caprichos e seja envolvido por suas emoções e sentimentos. De certa forma isso ocorre, pois a pessoa está vivendo uma série de emoções e sentimentos dentro de si mesma e, inevitavelmente, seus pensamentos se manifestarão na matéria.

Como?

Alguém que se conecta em sentimentos nobres, felizes e positivos tende a ser mais feliz e próspero; por outro lado, alguém que se apega em sentimentos de frustrações e revoltas, dores, mágoas ou tristezas, acaba simplesmente deixando de ver as outras coisas boas da vida, e se ver, não valoriza ou não as toma para si como verdadeiras, ficando assim, vivendo inevitavelmente no mundo que ela criou dentro de si, com todas as causas e consequências dos pensamentos que ela alimenta, envolvido por diversas confusões em um ciclo vicioso, podendo, dessa forma, ser ligado por mais pensamentos negativos, perdendo o equilíbrio, sendo muitas vezes tomado pela raiva, podendo chegar a desejar o mal, e isso é a mesma coisa que fazê-lo. Ao criar essa energia, na mesma hora a pessoa também é atingida por ela, na mesma proporção que transmite.

Um mestre espiritual brasileiro, chamado José Gabriel, disse uma vez que a raiva é uma força que perambula pelo mundo, e qualquer um está sujeito a ser atingido por essa força…

As pessoas não podem achar que o que é comum, é permitido. A gente só trás para nossa vida o que permitimos, claro que existem situações que muitas vezes nos fazem vibrar em frequências inferiores, mas lembre-se: O ser humano é um ser capaz de amar, o amor é uma possibilidade verdadeira e mais forte que qualquer sentimento.

Em vez de se mobilizar contra as guerras, se mobilize a favor da paz. É uma mudança de chave, uma simples mudança, que tende a ir pela mesma direção, mas com um foco no que é mais agradável.

Boa parte da nossa sociedade ainda está presa em uma luta contra pessoas, partidos, etnias, estilos de vida, ideologias, povos, países, governantes, histórias, religiões e diversas outras coisas que devem coexistir em paz e harmonia.

Existe um jeito para isso?

Existe. Não só um, existem vários. Mas cada um precisa descobrir por si. Buscando dentro da mente, se aproximar mais da grande verdade absoluta, pela tolerância com as diversas verdades relativas, e pela aceitação que elas existem.

Procure conhecer mais do universo que existe dentro de você, feche os olhos e sinta vibrar no seu corpo a alegria de estar vivo, sinta toda sua positividade fazendo seu coração bater. Encontre dentro do seu peito caminhos com menos espinhos e mais flores para seguir na sua vida. Pare de culpar os outros pelas suas próprias culpas, e pare de se culpar também.

O que eu posso dizer seguramente é que para curar o mundo, é preciso começar com quem quer ser o curandeiro. Uma pessoa que sente raiva não pode, mesmo que tenha convicção disso, mudar o mundo para melhor, uma pessoa que sente amor no coração, mesmo que não queira mudar o mundo, o faz com maestria.

Compartilhar:

Leia também

Assine a nossa newsletter