Mogi das Cruzes, cidade turística?

Postado dia 27/08/2015 às 22:35 por Renato Castrezana

pico

Mogi das Cruzes é uma cidade com mais de 450 anos de história. Fundada em 1560, a origem do nome de Mogi vem do tupi-guarani ‘‘M’ Boiji’’, que significa “Rio das Cobras”, em referência ao mais importante rio do Estado de São Paulo, o Tietê. Em 1º de setembro de 1611, foi elevada a vila pelo Bandeirante Gaspar Vaz.

Localizada a 50 km de São Paulo, com acesso fácil ao aeroporto internacional de Guarulhos, possui 721 km² de área, sendo a segunda maior cidade em extensão territorial da Região Metropolitana. Mais de 65% do seu território está situado em área de preservação ambiental. Belezas remanescentes de Mata Atlântica, que a tornam a segunda maior reserva do Estado, repleta de belezas naturais e espécies raras da fauna e flora, como o sagüi-da-serra-escuro (Callithrix aurita).

Mogi das Cruzes é uma cidade apropriada para a prática do turismo de aventura. Quem gosta de se sentir nas nuvens, encontra no Pico do Urubu a estrutura necessária para voar de paraglider ou asa delta; já quem prefere o chão firme, pode curtir de mountain bike as diversas trilhas, inclusive uma que liga a cidade até Paranapiacaba. Já a Pedra Grande e a pedreira de Sabaúna são opções para quem pratica a escalada e o rapel. No Rio Itatinga os praticantes de remo e rafting encontram um local ideal.

Com expressiva influência da imigração japonesa, Mogi possui uma grande diversidade de produção e muitas áreas rurais a serem visitadas. É detentora dos títulos de maior produtor nacional de cogumelos, caqui, nêsperas, hortaliças e orquídeas.

Além de toda a riqueza natural, contamos com manifestações populares, grupos folclóricos, teatro e exemplares valiosos de nosso patrimônio histórico, que remontam ao período colonial com uma diversidade de igrejas centenárias, muitas construídas por seus fiéis.

A cidade faz parte do roteiro do Expresso Turístico, trem da década de 60, que sai da Estação da Luz, em São Paulo, e da Rota Franciscana – Frei Galvão. Mogi faz parte, também, da recém- implantada rota cicloturística chamada Caminho do Sal, que percorre um longo trecho de Mata Atlântica. Ao contrário do que muitos pensam, o turismo já é uma realidade em nossa cidade e o setor deverá crescer ainda mais nos próximos anos.

As cidades não nascem com vocação turística, os destinos são construídos ao longo do tempo, na medida em que a população se desperta para essa potencialidade. E Mogi das Cruzes está vivendo exatamente essa fase de transição. Atualmente, Mogi das Cruzes tem se organizado e investido no turismo como uma forma de desenvolvimento econômico, de valorização e preservação do seu rico patrimônio histórico, cultural e natural.

 

Compartilhar:

Sobre o Autor

avatar

Renato Castrezana

Publicitário e professor de marketing, chefe de divisão de marketing e projetos turísticos na Prefeitura de Mogi das Cruzes

Obs: As postagens do autor são de plena responsabilidade do mesmo, o portal se isenta de qualquer conteúdo que possa ser ofensivo.

Veja mais posts deste autor

Leia também

Assine a nossa newsletter