Meus causos e coisas

A vida é uma experiência deliciosa com sabor de realidade

Postado dia 30/06/2016 às 09:00 por Sociedade Pública

graça

Foto: Reprodução/Internet

Muitas vezes é melhor achar graça! Quem procura acha! Procurar a felicidade e a alegria do jeito que pudermos, para termos de volta o que realmente merecemos. Mas a graça para muitos é encontrada no desfecho de uma desgraça. Esse é um pouco do estranho mundo em que vivemos, um mundo onde todos possuem seus fins e seus próprios meios.

Claro que não é possível ser alegre o tempo inteiro, e nem tudo é tão engraçado assim. Como diz Frejat, “vai lembrar que rir é bom, mas que rir de tudo é desespero…” Vivendo e aprendendo sem mais e sem menos, apenas sendo o que dá, sabendo que o momento é na verdade tudo que há.

Rafael é minha graça, e gratuitamente ofereço meu sorriso para fazer algum curativo no mundo, em mim mesmo, começando pela seriedade dos meus movimentos nos melhores e piores argumentos que posso expressar, pelos quais respondo o tempo inteiro, para quem quiser, mesmo que eu não esteja querendo.

Essa minha boca falante já encontrou-se com os quatro ventos e por todas as direções procurou o eco dos meus próprios pensamentos, e essa minha cachola pensante já transcendeu dimensões e não teve a capacidade de expressar em sílabas os melhores sentimentos que tive nessa vida.

Falo da vida o que sei dela, e o que não sei não posso adivinhar. É preciso ir atrás das respostas de que precisamos por caminhos novos, saber o destino e curtir a caminhada com a fé no passo firme. É o que coloca todos os sentidos desconhecidos em nosso claro horizonte.

Não subestimo o mundo porque mal conheço ainda meus próprios dedões. Quando me olho no espelho vejo tantos detalhes, e pouco me lembro de como eu era ontem.

Não adianta buscar a igualdade na natureza, pois tudo é um movimento constante. Pouco sei sobre a natureza complexa e perfeita que me domina, forma e transforma.

Isso é um pouco do que penso ser eu, entre meus infinitos causos e coisas…

Nós fazemos planos grandiosos para o futuro, tomamos muito cuidado para viver nosso “eu no país das maravilhas”, ainda que alguns acreditem que estão com os pés no chão… Nem o chão está no chão.

Somos mais do que esperanças que possam vir a surgir por aí. Somos um testamento vivo das nossas criações. Estamos aqui para conhecer a magia do querer. A nossa força de vontade infinita reflete nossa inferioridade perante o universo. Somos seres em um estado continuo e eterno de aperfeiçoamento.

Não há inteligência que não erre por teimosia, nem ignorância que nunca acerte pelo erro.

#:
Compartilhar:

Leia também

Assine a nossa newsletter