Meio ambiente também é prioridade

Diversas são as relações já consolidadas entre saneamento básico, limpeza urbana e gestão de resíduos com saúde pública

Postado dia 11/04/2017 às 08:30 por Pedro Muniz

meio

Foto: Reprodução

Sai ano entra ano e os textos, colunas, posts de redes sociais, muitas das diversas publicações, sejam elas formais ou não, possuem a mesma conotação de anseio por um mundo melhor. Este ano em especial, podemos ter uma esperança maior (e ao mesmo tempo ferramentas melhores ao nosso alcance) por se tratar do início de uma nova gestão na maioria das cidades do Brasil, onde os prefeitos foram eleitos ou reeleitos em outubro de 2016.

Infelizmente pouco – ou bem menos do que se esperava – foi apresentado sobre questões ligadas ao meio ambiente, porém é disseminada já a suma importância desta frente de atuação como qualquer outra e cabe também a nós munícipes fiscalizar e cobrar as devidas ações.

Diversas são as relações já consolidadas entre saneamento básico, limpeza urbana e gestão de resíduos com saúde pública. Há inclusive relações matemáticas onde estima-se que o investimento de determinado valor X (independente da moeda) em saneamento básico, ocasiona em reduções de investimentos na saúde, em proporções de 3 a 5X.

Isso porque estamos falando em valores apenas, sem adentrar no universo da qualidade de vida propriamente dita, relações de moléstias vinculadas a falta de saneamento e limpeza urbana e uma infinidade de outras inter-relações que permeiam e se misturam entre os dois temas.

Partindo desta mescla, já torna o assunto no mínimo interessante, quanto a desmiuçar um pouco as promessas realizadas nas campanhas municipais (seja galgando o gabinete da comarca ou uma cadeira na câmara local). Se levantar as palavras de ordem utilizadas nas reuniões, passeatas e propagandas, veremos que hoje, devido a diversos fatores, seja crise, o retorno ao foco na produção ou qualquer que seja o motivo, sentimos tanto no setor industrial/privado como no setor público a temática ambiental sendo ligeiramente colocada à tangente das prioridades.

Sabe-se a importância (e não caberia neste simples texto) da temática e a maioria das carências e necessidades existentes nos munícipios. Podemos e devemos aproveitar que a cada dia os acessos aos nossos representantes se tornaram mais fáceis, como associações de moradores, partidos políticos, ferramentas virtuais como ‘acessa cidadão’, polícia ambiental, são algumas das formas de você ter acesso a secretaria de meio ambiente e/ou equipe por exemplo, para relatar situações, cenários, ocorrências ou até mesmo sugestões de melhorias identificadas em determinada região ou assunto.

Talvez, quem sabe, não seja este o exato momento de não deixarmos o tema oscilar nas prioridades municipais e reforçar a sinergia junto a tantas outras ou até mesmo todas as demais frentes ditas como prioritárias.

Compartilhar:

Sobre o Autor

avatar

Pedro Muniz

Engenheiro Ambiental formada pela UNESP, pós graduado em Gestão de Projetos, especializado em gestão e gerenciamento de resíduos sólidos.

Obs: As postagens do autor são de plena responsabilidade do mesmo, o portal se isenta de qualquer conteúdo que possa ser ofensivo.

Veja mais posts deste autor

Leia também

Assine a nossa newsletter