Meio Ambiente em pauta

É preciso criar possibilidades para o envolvimento e motivação dos alunos com as questões do meio ambiente

Postado dia 24/02/2016 às 00:00 por Pedro Muniz

ambiente

Foto: Divulgação/Internet

De acordo com os canais formais de definições dos vocábulos do bom e velho português, ‘educação’ engloba os processos de ensinar e aprender. Verbos estes intimamente ligados ao processo educacional ligado às escolas, sejam públicas ou privadas. Considerando a urgência da abordagem da temática ambiental e da sustentabilidade (termo este já banalizado) de forma mais direcionada, é preciso avaliar a inclusão do tema no meio escolar de maneira que possa ser desenvolvida com uma prática educativa integrada, permanente e contínua.

A educação ambiental tornou-se lei em 27 de abril de 1999, pela Lei N° 9.795 – Lei da Educação Ambiental, onde em seu Art. 2° afirma: “A educação ambiental é um componente essencial e permanente da educação nacional, devendo estar presente, de forma articulada, em todos os níveis e modalidades do processo educativo, em caráter formal e não-formal”. Partindo da definição acima sobre EA, temos como dever estruturar de maneira racional, sólida e perenal as discussões ambientais no âmbito escolar, posto que a EA “não deve ser implantada como uma disciplina no currículo de ensino” devendo estar presente de forma articulada, em todos os níveis e modalidades do processo educativo, em caráter formal e não formal.

Os assuntos ambientais não só tomaram um grande espaço e importância na sociedade, como tornou-se pasta ministerial em 1992, bem como hoje é pauta como saúde, economia e educação, em conversas do botequim de sexta ao Roda Viva das segundas-feiras. Nesse contexto a escola figura com suas discussões sobre EA, com um processo de reconhecimento de valores, em que as práticas pedagógicas também se responsabilizam pela formação dos cidadãos conscientes de suas responsabilidades e seu papel no mundo.

Obviamente que como qualquer ação sugerida para o setor educacional no Brasil, existem algumas barreiras, mediante o cenário defasado principalmente da infraestrutura das escolas e dos materiais disponíveis. Dando um passo ainda atrás, esbarramos também na ausência de capacitação do tema para os professores, embora seja consenso geral entre os mesmos a importância do tema na sala de aula. Os materiais não possuem conteúdos relacionados a temática ambiental, dificultando o trabalho de inclusão do assunto. Desta forma os problemas são tratados como algo tangível, porém não internalizado. A transmissão para os alunos acaba sendo sempre em oficinas pontuais, palestras esporádicas, campanhas não regulares, sem continuidade e fragmentada.

É preciso criar possibilidades para o envolvimento e motivação dos alunos com às questões ambientais. O assunto é recorrente e extremamente importante. Deve-se inter-relacionar com as disciplinas básicas e seu cotidiano, fomentando as mudanças de comportamento e o seu entendimento do assunto. Os educadores possuírem condições mínimas de instrução e infraestrutura para incentivarem o debate e auxiliarem na construção de consciências críticas. Isso tudo tendo a escola como ponto focal, por possuir o privilégio de ser uma instituição que através da EA induz o aluno a se espelhar em valores que conduzam a vida em sociedade em perfeita sinergia e harmonia com o meio ambiente.

Compartilhar:

Sobre o Autor

avatar

Pedro Muniz

Engenheiro Ambiental formada pela UNESP, pós graduado em Gestão de Projetos, especializado em gestão e gerenciamento de resíduos sólidos.

Obs: As postagens do autor são de plena responsabilidade do mesmo, o portal se isenta de qualquer conteúdo que possa ser ofensivo.

Veja mais posts deste autor

Leia também

Assine a nossa newsletter