Longevidade sem mitos

Estudos sugerem que essa conexão com a família e sociedade, o sentimento de pertencer a um grupo, acrescenta 14 anos à expectativa de vida

Postado dia 04/04/2017 às 10:56 por Fabio Gabas

longevidade

Foto: Reprodução/Internet

Bom dia amigos!

Creio que a maioria de vocês já conhece o que é a medicina integrativa/funcional, seus conceitos de prevenção, interação do meio ambiente com nossas características constitucionais, determinando um terreno biológico, que este sim, é quem ativa os sintomas e doenças que conhecemos. No entanto, esse trabalho também é denominado por alguns grupos de medicina anti-aging, que significa medicina anti-envelhecimento. Mas será que é possível retardar, evitar ou mesmo reverter o envelhecimento?

Infelizmente, diferente do que talvez alguns gostariam, hoje nada disso é possível. Não podemos parar, retardar e muito menos reverter algo que é natural e fruto de uma programação biológica universal e inevitável, repito, até hoje na Terra. No entanto, gostaria de fazer alguns comentários aqui, que de certa forma justificam este termo e no final quero compartilhar com vocês algumas características comuns as milhares de pessoas no mundo que hoje já passaram dos 100 anos de idade com saúde e qualidade de vida.

Como a maioria de vocês já deve saber, nossos genes humanos tem uma programação para permitir vida até os 120 anos de idade. Porém observamos que passados os 70, 72 anos, as doenças crônicas degenerativas associadas à velhice comprometem drasticamente a saúde e o bem estar, debilitando física, emocional e mentalmente os idosos e contribuindo com esta expectativa de vida média, em países desenvolvidos, próxima aos 76 anos para homens e 80 anos para mulheres. Não podemos parar ou reverter o envelhecimento, mas podemos interferir para que mais pessoas consigam chegar com saúde e independência próximo desses 120 anos. E a esta possibilidade real de extensão de vida, não somente em anos mas principalmente em qualidade, através de inúmeras ferramentas disponíveis hoje, alguns denominam anti-envelhecimento.

O escritor e explorador da National Geografic, Dan Buettner, pesquisou alguns países na chamada Blue Zone, comunidades de alguns países que vivem com vigor e alegria, batendo recordes em expectativa de vida, e elaborou uma pirâmide da longevidade, composta pelas seguintes faixas:

Na faixa mais alta, ou no topo desta pirâmide, ele colocou “movimentar-se naturalmente”. Em suas pesquisas, ele observou que nas atividades diárias dessas pessoas, elas se movimentam frequentemente, seja em atividades no campo, caminhadas na natureza, ou mesmo o fato dos japoneses terem o habito de sentarem-se no chão e terem que levantar-se 30 à 40 vezes por dia. Se forem fazer alguma atividade como esporte, só o que realmente gostam!

diagramaNa segunda faixa, abaixo do topo, ele coloca “Propósito de Vida e Atividades meditativas anti-estresse”. Ele ficou impressionado como em Okinawa – Japão, uma das comunidades desta Blue Zone, ninguém sabe o significado da palavra aposentadoria! Todos, desde jovens, buscam o chamado Ikigai, que pode ser traduzido por “a razão pela qual nos levantamos todos os dias” e sentem o dever de cumprirem e serem fieis a esta razão até o último suspiro. Do ponto de vista científico, sabemos que seguindo um propósito que nos engrandece, aumentamos 7 anos na expectativa de vida! Que tal encontrar seu Ikigai? Com relação às práticas meditativas anti-estresse, que tanto recomendo no meu trabalho como clínico, sabidamente geram mudanças de estado que reduzem as inflamações, que são a principal causa do envelhecimento precoce e doenças degenerativas.

Na terceira faixa da pirâmide, ele coloca “Alimentar-se sabiamente”. Uma característica comum a maioria destes centenários é a alimentação mais baseada em vegetais (verduras e legumes livres de pesticidas, claro), feijões, farinhas integrais, sementes, azeites, pouca carne (5 vezes por mês em média), vinho com moderação, queijos provenientes de animais criados no capim (ricos em ômega 3) e NÃO no milho (ricos em ômega 6), além de uma regra milenar, criada por Confúcio, chamada hara hachi bu que significa que devemos parar de comer quando o estômago atinge 80% da sua capacidade, ou seja, 80% satisfeitos. Pois leva um tempo para que o sinal de saciedade chegue ao cérebro e parando nos 80% logo ficaremos satisfeitos com menos alimento.

Na última faixa, ou seja, na base da pirâmide, ele coloca “Conexão”. Conexão realmente é fundamental, quem inventou esse negócio de separação é o nosso ego, pois na verdade tudo está conectado. Pense bem no local que você está agora, veja a construção e objetos ao seu redor e imagine quantas pessoas trabalharam pra você estar aí desta forma… quantas milhares de pessoas participaram da elaboração de cada coisa que está olhando agora? Tudo está conectado e esse sentimento é necessário para nossa paz. Nestes locais que ele pesquisou, notou um respeito muito grande na família, desde crianças até os bem velhinhos, bem como uma conexão com a fé e a prática familiar desta fé.

Estudos sugerem que essa conexão com a família e sociedade, o sentimento de pertencer a um grupo, acrescenta 14 anos à expectativa de vida! Essas pessoas convivem com outras pessoas de bons hábitos, claro, pois tendemos a espelhar os hábitos dos “amigos”. Uma pesquisa mostrou que se você tem 3 grandes amigos obesos, você tem mais de 50% de chance de ficar obeso também. Com quem você convive? Estão alinhados com seus objetivos e propósitos de vida? Se encontrar seu Ikigai, razão de ser, acrescenta 7 anos e pertencer verdadeiramente a um grupo familiar ou social, sentindo-se conectado, acrescenta mais 14 anos, somente agregando essas duas coisas já estará criando a possibilidade de uma vida mais longa e saudável em até 21 anos!!!

Parece interessante, não é? A mim não impressionam esses 21 anos a mais, porém assistir às estórias dessas pessoas que tem clareza quanto ao seu Ikigai até seu último instante de vida e já expandiram sua cerca do ego para mais e mais pessoas, sentindo-se conectadas a tudo e todos, cuidando, respeitando e cultivando a Vida… isso sim!!! Isso para mim é uma vida que vale a pena ser vivida independentemente de quantos anos.

E quero encerrar com uma frase do autor desta pesquisa, o Dan Buettner: “Seus amigos são os parceiros de aventura de longo prazo e portanto, talvez a coisa mais significante que você pode fazer para adicionar mais anos a sua vida e mais vida aos seus anos.”

Gratidão a vocês amigos, pela parceria nesta jornada maravilhosa e tão especial!

Abração a todos e uma ótima semana.

Fabio Gabas

Compartilhar:

Sobre o Autor

avatar

Fabio Gabas

Clínico dedicado aos estudos da medicina Preventiva e Integrativa. Atende na Clínica Healthy em São Paulo, e médico sócio da Clínica Gabas CRM 95.581

Obs: As postagens do autor são de plena responsabilidade do mesmo, o portal se isenta de qualquer conteúdo que possa ser ofensivo.

Veja mais posts deste autor

Leia também

Assine a nossa newsletter