Intuição como parte ativa no processo da inovação

Infelizmente, passamos muitos anos de nossas vidas aprendendo a pensar analiticamente e pouco tempo aprendendo a pensar intuitivamente

Postado dia 29/06/2016 às 08:30 por Leila Navarro

 

intuição

Foto: Reprodução/Internet

A intuição sempre será parte do processo inovador. Ela pode ter vários nomes, e ser chamada de ideia, inspiração, faísca, brilho e por aí vai. São substantivos que deixam subentendidos que o processo inovador é dotado de qualidade e energia. Ele é uma parte natural de nossas vidas, e pode ocorrer com qualquer pessoa em diferentes situações.

O processo intuitivo é a habilidade que temos de saber algo diretamente, sem necessariamente pensarmos analiticamente. Acredito que a intuição é ainda uma aptidão pouco reconhecida. Ela não é ativada, estimulada ou valorizada. Infelizmente tem muita gente desperdiçando essa habilidade. Isso acontece porque nossa cultura é, basicamente, formada de inúmeras informações fundamentadas em análises, que por sua vez devem ser medidas e verificadas constantemente, abdicando, assim, da intuição.

O pensamento analítico constata o que já é sabido, como estatísticas e dados baseados no passado. Por outro lado, o pensamento intuitivo baseia-se em pouquíssimas informações analíticas e relaciona-se mais com tendências futuras, posturas positivas e acessa outros fatores, como se “visse uma luz no final do túnel”.

Você deve se lembrar de algumas vezes em sua vida, que sabia algo, mas não sabia o porquê deste saber. Não sabia a lógica disto. Você apenas queria seguir aquele caminho, pois tinha a ciência de que daria certo, porém não conseguia explicar o porquê da sua escolha. Isto ocorre porque você não possui dados suficientes arquivados em seu conhecimento analítico para justificar esse tipo de atitude. Isto é intuição.

Ao parar para analisar, você encontrará diversas situações em sua vida, em que soluções, aparentemente impensadas, resolveram problemas pensados em momentos completamente inesperados. Foi a intuição que trabalhou por você neste momento.

Sabemos muito mais do que pensamos. Intuitivamente, podemos saber a resposta antes mesmo de sabermos a pergunta. A intuição não requer corrermos atrás de uma pergunta. Pensamentos intuitivos são avaliados constantemente. Thomas Edson, que sempre esteve em busca de soluções para suas futuras invenções, soube intuitivamente que havia uma solução, ele só não sabia como resolvê-la. Foi sua convicção em relação à solução que o habilitou a continuar buscando uma solução para o problema.

Infelizmente, passamos muitos anos de nossas vidas aprendendo a pensar analiticamente e pouco tempo aprendendo a pensar intuitivamente. Porém, a intuição pode ser treinada, desenvolvida e, consequentemente, incorporada ao processo inovador.

Compartilhar:

Sobre o Autor

avatar

Leila Navarro

Com abordagens voltadas à felicidade e bem-estar, empreendedorismo, comportamento humano, mudança e atitude, assertividade e comprometimento

Obs: As postagens do autor são de plena responsabilidade do mesmo, o portal se isenta de qualquer conteúdo que possa ser ofensivo.

Veja mais posts deste autor

Leia também

Assine a nossa newsletter