Filosofia Hare Krishna, um processo de autoconhecimento

Templo indiano em Suzano ensina a ampliar a consciência

Postado dia 27/06/2016 às 08:30 por Sociedade Pública

 

hare

Foto: Reprodução/nternet

Nesta semana tive a oportunidade de visitar a Casa de Cultura Vaisnava Srila Prabhupada, em Suzano. Na ocasião pude acompanhar a palestra do monge Jaya Gokula Batista. Jaya revelou que o sânscrito, idioma de origem indiana, é o mais antigo da história. Também apresentou a forma como a cultura indiana compreende a vida, dando destaque para a existência da alma de forma independente do corpo.

Ele esclareceu que há uma tendência do ser humano de valorizar o corpo e a vida material, prendendo-se uma existência que, para os indianos, é temporária. Ressaltou também o quanto que o ser humano vive sobre a influência do falso-eu – ou seja, o ego. Em contrapartida, o ser humano deixa de seguir o eu verdadeiro, também conhecido como “eu interior”; em psicologia profunda, pode se chamar de self.

Jaya ressaltou que, se a pessoa quiser descobrir a verdade sobre a vida, basta seguir as mensagens de Deus, independente da forma como Ele se manifesta: seja como Krishna (Deus para os indianos) ou como Jesus Cristo. Além disso, ele também esclareceu que, em uma de suas encarnações, Krishna veio como Caitanya. Caitanya viveu há aproximadamente 500 anos e trouxe para esta nova era a forma atual de se relacionar com Deus e de se purificar, que é através do mantra “Hare Krishna” (Hare Krishna, hare Krishna, Krishna, Krishna, hare, hare, Hare Rama, Hare Rama, Rama, Rama, Hare, hare).

Com base neste conhecimento, na década de 1970, Srila Prabhupada trouxe para o Ocidente este canto e o difundiu no mundo inteiro. A força deste mantra foi tão potente que contagiou até os Beatles, que tiveram importante participação na divulgação desta filosofia e do mantra.

Até no Brasil houve grande aceitação, inclusive existe uma música feita pelo cantor Nando Reis, chamada “Mantra”, que diz que, quando não tiver mais nada, nem chão, nem escada, escudo ou espada, o seu coração acordará… Essa é uma referência à existência da alma de forma independente do corpo e da matéria. Ao contrário, Nando também afirma na música que, quando estiver com tudo, lã, cetim, veludo, espada e escudo, a consciência adormecerá – ou seja, esta é uma representação do apego material.

Do meu ponto de vista, a filosofia Hare Krishna tem o mantra como a ferramenta principal para a ampliação da consciência, pois é através da entoação dos sons emitidos que se consegue se libertar de emoções negativas e também integrar conteúdos psíquicos reveladores de verdade interior, possibilitando uma evolução psicológica e espiritual. O mantra, em conjunto com a dança espontânea, possibilita um estado de estase que é fundamental para a elevação do espírito a um nível de consciência que provoca uma paz interior.

 

Casa da Cultura Vaisnava Srila Prabhupada

Rua Saburo Manabe, 585 – Chácara Méa – Suzano

Tels.: 2266-5116 / 96778-5262

Cerimônias aos sábados, após 18 horas.

Compartilhar:

Leia também

Assine a nossa newsletter