Está acabando a criatividade em Hollywood?

Qual o futuro dos heróis de Hollywood?

Postado dia 15/02/2016 às 00:00 por Caio Bezerra

hollywood

Foto: Divulgação/Internet

 

Atualmente, é comum ouvirmos o famoso ditado: “não se fazem mais filmes como antigamente”. Tal expressão talvez esteja relacionada a uma das tendências que está cada vez mais destacada e enraizada nos cinemas, a de que a sétima arte pode estar perdendo a sua originalidade.

Nos últimos anos, sobretudo nos grandes lançamentos (blockbusters), notamos uma tendência de continuar, reiniciar e até mesmo relançar franquias de sucesso de outras décadas, porém com uma roupagem nova e linguagem voltada para o público mais moderno, da geração digital. Se pegarmos os grandes lançamentos de 2015 para analisarmos, por exemplo, 90% dos longas apresentados nas telonas no ano passado são continuações, remakes e adaptações de franquias de personagens que nasceram em outras mídias, entre elas as nossas queridas histórias em quadrinhos.

Apesar de adorar ler quadrinhos, fica uma pergunta em minha mente. Até quando vai durar o brilho dos filmes de heróis no cinema? Sabemos que os grandes estúdios detêm os direitos de filmagem de tais franquias, e que grande parte destes filmes é objetivado principalmente para apresentar os heróis para uma nova geração. Mas assim como os filmes Western (Faroeste) tiveram a sua alvorada nas décadas passadas, será que chegará um tempo em que os filmes de super heróis também deixarão de brilhar?

Como crítico e amante da sétima arte, tenho notado cada vez mais que os grandes estúdios estão seguindo literalmente as tendências do novo público. Os mais jovens, aqueles que nasceram na era Google, sentem PREGUIÇA de pesquisar aquilo que já está pronto ou é mais antigo, então para agradar a este público e lucrar, os estúdios preferem refazer (remakes, reboots) os filmes, com outros atores, outra linguagem e claro, muita computação.

Filmes de heróis (apesar de eu gostar de muitos deles) seguem esta estrutura, personagens não autorais (lembrando que são franquias que vieram de outras mídias), computação gráfica nas ações e roteiros super explicativos, que não deixam o espectador assimilar um momento sequer da trama.

Há também os casos de remakes hollywoodianos que são adaptações de filmes de outros países. Pegamos como exemplo o clássico filme coreano Old Boy (2003), cuja adaptação americana ou remake foi lançado em 2013. A versão estadunidense é um exemplo clássico de filmes feitos sem necessidade alguma, pois a versão coreana é infinitamente superior, mas acontece que muita gente (e digo isso por experiência própria, pois já vi acontecer) tem preconceito ou receio de assistir a filmes de outros países, ou pior, tem preguiça de ir atrás.

A grande verdade de tudo isso, é que o cinema de Hollywood está seguindo a tendência de transformar tudo em franquias e o objetivo é óbvio: GANHAR LUCRO. Não que isso seja algo totalmente errado, pois os grandes estúdios são multinacionais e eles querem obter resultados em cima de seus produtos (os filmes), porém é necessário saber dosar um pouco as coisas, será que daqui há alguns anos o público não irá se cansar de ver as mesmas coisas repetidas várias e várias vezes?

 

Compartilhar:

Sobre o Autor

avatar

Caio Bezerra

Jornalista graduado pela Universidade Mogi das Cruzes (UMC). Atua há sete anos na área de imprensa, tendo trabalhado em diversos segmentos

Obs: As postagens do autor são de plena responsabilidade do mesmo, o portal se isenta de qualquer conteúdo que possa ser ofensivo.

Veja mais posts deste autor

Leia também

Assine a nossa newsletter