Entenda o Movimento “Parque SIM Arenão NÃO”

Moradores estão fazendo reuniões para frear parte da construção do parque da cidade, e a criação de um estatuto que preserve a vontade da população e evite desperdício de dinheiro público.

Postado dia 19/04/2016 às 17:51 por Wilson Neves

parque

Foto: Acervo Sociedade Pública – Garotinha plantando uma árvore no parque

A Comissão Pró-Associação de Amigos do Parque da Cidade realizou sábado, dia 16 de abril, o 1º Abraço ao Parque da Cidade. O encontro foi na “Praça do 8”, na Rua Jardelina de Almeida Lopes, tendo início as 9 horas da manhã.

Foi um sábado para celebrar a construção de um novo Parque na Cidade de Mogi das Cruzes na área que pertencia a ‘União’ ao lado do antigo Clube Siderúrgico. Os organizadores aproveitaram a passagem de dezenas de pessoas que passeiam na praça do oito para apresentar as plantas e colher mais assinaturas no abaixo-assinado pedindo mudanças no projeto feito pelo arquiteto Ruy Ohtake e endossar o DSC_0491documento com mais de 2 mil assinaturas que será encaminhado à prefeitura para pedir a redução no tamanho do “arenão” prevista no local e ampliação das vagas de estacionamento.

Você pode assinar o documento clicando aqui

Durante o evento ocorreu o 1º Abraço ao Parque da Cidade com a participação dos presentes no evento. O encontro contou com aula pública comandada pelo ambientalista José Arraes, plantio de árvores para a Campanha da ONU “Árvores pela Terra” e de distribuição gratuitas de mudas de girassol cultivadas por alunos do Colégio Integração, além das apresentações de capoeira.

ENTENDA OS MOTIVOS DO MOVIMENTO

Salete Boucault, moradora da Chácara Jaffet, vem acompanhando o projeto de obras do parque desde o início em Abril de 2015 pela imprensa local. O que lhe chamou a atenção foi que a Prefeitura de Mogi das Cruzes, tinha o intuito de construir no parque uma grande arena, com capacidade para 4 mil pessoas. Segundo ela, o lugar fica em um bairro povoado, e não há necessidade de um espaço tão grande.

DSC_0431Salete nos conta que começou enviando cartas aos jornais da cidade esperando receber alguma notícia por meio da assessoria de comunicação da prefeitura, o que não ocorreu, então começou a enviar requerimentos a prefeitura e recebeu notícias incompletas, informando apenas que “o parque seria lindo e que projeto foi feito por Rui Ohtake” mas não explicava nada sobre o “Arenão” e detalhes técnicos. Após insistir com os requerimentos solicitando detalhes como: Estudo de impacto ambiental, audiência pública, cópia do projeto, licitação de contrato de serviço de projeto arquitetônico e etc, Salete, foi chamada a prefeitura, e foi com um com um grupo de moradores do bairro, ocasião em que o Secretário de Obras apresentou o projeto do Parque com o “arenão”.

Salete relatou que no projeto a Arena de eventos tinha capacidade para 4 mil pessoas e apenas 178 vagas de estacionamento, ela achou um absurdo essa disparidade. Logo depois, o secretário de obras apresentou um segundo projeto, onde não havia mais a intenção de construir uma grande arena, e sim, um parque melhor, com árvores, bancos e grande espaço para lazer. Mas ainda desconfiada Salete conversou com seu amigo Jair Pedrosa e iniciaram um abaixo assinado e as pessoas começaram a ficar sabendo e as assinaturas logo aumentaram. Logo depois, a Prefeitura notificou que a arena seria mantida. Salete conta que o grupo de moradores que são contra o “arenão” chegaram a ter uma conversa com o Prefeito Marco Bertaiolli, no dia 02/04 houve uma solenidade de inauguração da Obra e segundo ela, Bertaiolli desclassificou os moradores os chamando de “mal informados”, mas devido a insistência e protestos de pessoas presentes, o prefeito decidiu que criaria um conselho gestor por decreto, que teria acesso a construção e depois ao futuro funcionamento. Hoje os moradores estão buscando informações de como criar esse conselho e ter participação ativa nele.

DSC_0477Assim surgiu efetivamente o movimento: Parque SIM, Arenão NÂO, juntamente com a criação da Comissão Pró Associação de moradores e amigos do parque da cidade.

Outra pessoa envolvida no movimento Parque sim, Arenão NÃO, é Jair Pedrosa, que disse que no conselho do parque participam membros da Prefeitura e da Sociedade Civil. Segundo Jair, ainda não é possível perceber por parte da Prefeitura intenção de alterar o tamanho da arena, embora ele acredite que seja importante um espaço cultural, e que todo parque deve ter um, não há necessidade de ser construir algo tão grande, pelo dinheiro que será investido e pelo fato do local ser em uma área residencial. “O ideal para um projeto desse porte é a criação de uma audiência pública para que seja discutido com os moradores a viabilidade”, disse Jair.

O abaixo assinado feito pelos moradores já possui mais de 2000 assinaturas.

Mais informações podem ser obtidas na página:

Parque Sim, Arenão Não, no Facebook.  www.facebook.com/ParqueCidade/

Veja a galeria de fotos

Compartilhar:

Sobre o Autor

avatar

Wilson Neves

Sou publicitário e especialista em Marketing , proprietário da WCN agencia de propaganda, fundador e diretor da revista digital “Sociedade Pública”.

Obs: As postagens do autor são de plena responsabilidade do mesmo, o portal se isenta de qualquer conteúdo que possa ser ofensivo.

Veja mais posts deste autor

Leia também

Assine a nossa newsletter