Edilaine Mello

Na primeira entrevista publicada por nosso portal, a pastora Edilaine Mello fala de sua trajetória, marcada pela busca incansável pela alimentação ideal

Postado dia 05/10/2015 às 00:48 por Wilson Neves

foto edilaine2 (2)

A revista Sociedade Pública traz como primeira entrevista de nosso portal a magnífica história de vida da pastora Edilaine Mello, mogiana que atualmente reside na cidade de Guararema. Ela nos conta sua bela trajetória de vida pessoal e religiosa baseada em fé, dedicação e superação. Por anos, ela lutou contra uma misteriosa doença, até descobrir, por meio de diversas pesquisas, um santo remédio: adequar a alimentação saudável e orgânica às nossas vidas.

Por que a senhora é conhecida como pastora?

Nasci em Mogi das Cruzes e minha família sempre foi religiosa. Aprendemos o Evangelho na igreja Católica. Porém, com aproximadamente 15 anos de idade, decidi ler a Bíblia. Iniciei em Gênesis e cheguei em Êxodo, onde são citados os Dez Mandamentos, e posteriormente a questão do culto às imagens… Por conta de algumas explicações que não tive, fui fortemente impactada com esta informação e decidi não seguir mais a igreja Católica.

Foi aí que você conheceu a igreja evangélica?

Na época, evangélica eu também não queria ser, pois tinha preconceitos em relação ao estilo de vida do crente. Com minha mente jovem, decidi seguir a Deus por minha própria capacidade de reconhecê-lo. Quando tinha 17 anos, conheci meu atual marido, João Mello, que na época me levou a uma igreja evangélica que havia em meu bairro. Ali conheci um pastor que me cativou de uma maneira especial. Naquele homem reconheci a presença do Espirito Santo operando verdadeiramente. Eu queria ter o que aquele pastor tinha, mas não queria me entregar à doutrina. Após cinco anos, já casada, tomei a decisão de ir a uma igreja em outro local, onde me senti mais à vontade e resolvi ficar firme.

Isso foi em Mogi das Cruzes?

Foi em Mogi das Cruzes, em 1993, ano em que me converti e minha vida mudou. Meu coração ficou preenchido. Em cinco anos de vida cristã, fui convidada para pastorar, pois estava muito comprometida com a palavra de Deus e prestando serviços para a comunidade, estando à frente dos cultos e através de aconselhamentos, orações e ações sociais. Em 1999 fui aclamada como pastora na Igreja Presbiteriana da Graça, que considero minha mãe espiritual.

Além da Igreja Presbiteriana da Graça, você também está à frente de outras iniciativas religiosas. Quais são?

Desenvolvi dois trabalhos independentes. Um foi a Associação Olhos de Águia, que cuida de crianças e adolescentes em situação de risco na cidade de Guararema. Hoje o projeto está com 10 anos. Essa ação tem como objetivo ampliar nosso trabalho, alcançando a comunidade, levando os ensinamentos da Igreja para fora dela também. O outro foi a Igreja nos Lares, voltado para as pessoas que não se adequam ao sistema de ir a templos. Por isso, levamos a palavra de Deus a suas residências. Com essa proposta, que foi posta em prática inicialmente em Guararema, Santa Branca e Vila Velha (ES), pudemos alcançar pessoas que puderam ser resgatadas espiritualmente

Esse trabalho continua?

Sim, tanto em Vila Velha como Santa Branca. Em Guararema não estamos mais fazendo devido à minha situação de saúde.

Por falar nisso, a senhora passou por momentos delicados. A senhora pode nos dizer como isso começou, e qual é esse problema?

Eu digo que já nasci alérgica. Com muita sensibilidade a alguns alimentos, mas não tinha percepção disso. Eu sentia algumas reações na pele, mas nunca descobri o motivo. Quando eu estava com 37 anos, comecei a ter reações mais fortes, com sintomas mais evidentes, como fadiga extrema, sempre com enfisemas no corpo. Então comecei uma luta mais intensa pra estabelecer maior equilíbrio em meu organismo. Quando eu era adolescente, fui diagnosticada com dermatite de contato. Então, desde jovem, aprendi que eu não poderia colocar as mãos em qualquer produto químico, ou teria reações alérgicas na pele. Dos 37 até os 45 anos, a situação só foi se agravando cada vez mais, e meus rins e intestinos foram também comprometidos.

O que os médicos lhe diziam?

Falavam para eu ir para o Hospital das Clínicas, porque meu caso era de pesquisa.

Então a senhora começou a fazer a pesquisa?

Comecei sim, inclusive utilizando a internet. Além disso, eu sempre gostei de escrever, então comecei a fazer um diário, relatando sobre o que comia ou passava no corpo, e os sintomas que apareciam. Todo dia eu fazia isso, e cada vez que escutava uma palavra diferente eu procurava o que ela poderia ser, pesquisava meus sintomas na tentativa de ter um diagnóstico preciso. Resumindo, fiquei tão mal que, ano passado, tive que abdicar de todas as minhas atribuições. Entreguei a presidência da Associação Olhos de Águia e a liderança da Igreja. Tudo que eu comia me fazia muito mal.

E você conseguiu descobrir algo?

Inicialmente descobri que parte dos problemas era gerada por agrotóxicos. Então, reduzindo os agrotóxicos, tive melhoras significativas. Mas ainda não era o suficiente. Até que, neste ano, orientada por três médicos de especialidades bem diferentes, obtive uma luz sobre o que poderia fazer. Criei então uma dieta bem específica. Graças a ela, minha saúde foi se restabelecendo, minha pele foi voltando ao normal, o intestino funcionando novamente, e tive um aumento significativo da minha energia.

A senhora melhorou pela persistência de buscar uma solução eficaz para o seu problema. Além das orientações médicas especializadas, a sua dedicação em buscar uma forma alternativa de criar um prognóstico auxiliou mais ainda no seu processo de recuperação.

Exatamente. Fiquei muito feliz, porque um dos especialistas que me acompanha pediu para que eu orientasse um paciente dele.

Você atualmente se alimenta basicamente de produtos orgânicos?

Exatamente.

A senhora está desenvolvendo um trabalho voltado para alimentação especial, pela criação de uma empresa chamada “Sabores do céu”, desenvolvendo produtos que vem a servir para a senhora e outras pessoas também.

Estou acreditando bastante nisso. Assim como foi bom para mim, será bom para outras pessoas que possuem diabetes, pressão alta, problemas intestinais, que têm o sangue comprometido por algum tipo de enfermidade. Acredito que esses produtos, somados à quantidade de informações, que eu levantei ao longo dessa minha experiência, vão ajudar a melhorar a vida das pessoas.

E em relação à sua religiosidade diante desses problemas, como se sentiu?

Durante todo o tempo, eu contei com pessoas queridas orando por mim, pessoas que me querem bem, que me amam, torcendo para minha melhora. Além disso, durante todo o tempo em que eu estava orando, pregando, pedindo, muitas coisas aconteceram. Porém, foi preciso, além disso, que eu me dedicasse, estudasse e pesquisasse, para chegar a um resultado que fosse apenas não bom somente para mim, mas para que pudesse servir a um bem maior.

Então você considera que sua missão é levar as pessoas a um tipo de alimentação sagrada?

Sim. Estou lançando um livro e um DVD chamados Resgatando os Sabores do Céu. Nessa obra dedico meu testemunho, devido a uma revelação que eu tive sobre a importância dos alimentos e como Deus atua na forma como preparamos e ingerimos os alimentos no nosso dia-a-dia. Também criei um DVD chamado Bom Apetite, sobre algumas receitas e alguns recursos bem saudáveis para trazermos qualidade de vida maior para nossa vida.

Pode finalizar falando sobre a importância da alimentação?

Vamos comer com mais qualidade, com mais carinho, cuidar do nosso corpo, com mais amor, valorizar mais o que nós somos. Quando me alimento melhor, estou dizendo que eu me amo, reconheço que Deus me deu essa saúde e me comprometo a preservá-la. A vida é o maior patrimônio que nós temos.

 

Compartilhar:

Sobre o Autor

avatar

Wilson Neves

Sou publicitário e especialista em Marketing , proprietário da WCN agencia de propaganda, fundador e diretor da revista digital “Sociedade Pública”.

Obs: As postagens do autor são de plena responsabilidade do mesmo, o portal se isenta de qualquer conteúdo que possa ser ofensivo.

Veja mais posts deste autor

Leia também

Assine a nossa newsletter