Dia dos pais atuais

Há 14 anos, quando vi o Tiago pela primeira vez, já sabia. Eu me casaria com ele, teríamos filhos e ele seria um pai fenomenal

Postado dia 12/08/2016 às 11:23 por Joyce Silva

Foto: Reprodução/Internet

Foto: Reprodução/Internet

Sem fugir do óbvio, os tempos mudaram. E muito. Não espero menos do pai da Nina que espero de mim mesma. Tirando a amamentação, todas as funções são compartilhadas. E, em muitas delas, o Tiago assume a frente sem choro nem vela. Ele é muito mais metódico e disciplinador. Eu sou mais solta, menos rígida.

Nos surpreendemos muitas vezes. A cada saída com amigos/pais recentes, descobrimos características em comum com outros pais. Homens que acordam de madrugada e ninam a criança porque sabem que a mãe trabalhou o dia inteiro, em casa ou fora dela, cuidando do bebê. Pais que lavam a roupa, a louça. Que tomam a dianteira na preparação do almoço. E, o mais importante: nenhum deles se vangloria disso! Sabem que estão fazendo sua obrigação, de forma honrosa e cúmplice, em cuidar da casa e do bebê tanto quanto a mulher deles faz!

Essa nova mentalidade ainda não é regra, infelizmente. Mas, ao ver um primo pular diversos compromissos sociais com a turma do futebol porque à noite sua mulher vai para a faculdade e ele cuida da criança, ao ver amigos que lavam, passam e secam e não deixam suas mulheres sequer chegar perto das roupas porque eles são mais talentosos nessa área, ao ver meu marido me “mandar” dormir à tarde para aguentar outra noite corrida porque a bebê está com cólica, enquanto ele segura o rojão, percebo que estamos cada vez mais perto da igualdade dos sexos tão sonhada, e por tanto tempo. Pelo menos, entre as pessoas de boa vontade.

Compartilhar:

Sobre o Autor

avatar

Joyce Silva

Joyce Silva é Relações Públicas, atua como sócia da empresa Igba Conteúdo.

Obs: As postagens do autor são de plena responsabilidade do mesmo, o portal se isenta de qualquer conteúdo que possa ser ofensivo.

Veja mais posts deste autor

Leia também

Assine a nossa newsletter