Devotos dos santos do pau oco

O Brasil é democrático para quem vive a democracia e é golpista para quem vive o golpe

Postado dia 02/09/2016 às 11:20 por Wilson ADM

democrático

Foto: Reprodução/Internet

Questione se a paixão dos eleitores por seus políticos é recíproca. Veja as pessoas enfurecidas defendendo servidores públicos, quase que santificando condenados que não podem nos abençoar.

Quem dera nossos políticos fossem tão bons como são pintados pelas militâncias. A massa de manobra reacionária precisa parar de tentar ser exemplo de democracia. Tão fácil é morder a língua quando se fala de política sem cuidado.

Reflita se existe alguém que realmente defenda tantos desempregados e pessoas sem dinheiro, que busque solucionar os problemas e dívidas de empresas que estão falindo, ou que mostre alguma compaixão e reduza os preços dos alimentos e outros produtos básicos de consumo diário que estão cada vez menos presentes na casa das pessoas, principalmente das de baixa renda. Procure políticos que demonstrem amor ao Brasil quando decidirem em unanimidade não aumentar os próprios salários.

Quem quiser ser verdadeiramente representado por um político brasileiro, esteja certo de que terá de carregar todas as consequências do que isso realmente significa. Ou seja, se algum governo lhe representa, então assuma as falhas deste governo, pois é de livre e espontânea vontade que você estará fazendo esse casamento de caráter ideológico.

Está escancarada nas redes sociais a felicidade de uns pela saída de Dilma Rousseff e a indignação de outros pela nomeação de Michel Temer. Tente perceber o seguinte: mais triste que a situação em que o país se encontra é ver pessoas buscando justificar tantos erros em apenas duas pessoas. Ninguém faz um país sozinho. Se uma parcela da população espera tudo de um governo, é possível que essa mesma parcela fique sem nada e continue reclamando por um bom tempo.

A impressão que as pessoas passam com essas atitudes de demonstração irracional de apego a políticos é que só irão servir o seu país se ele estiver com seu partido, respondendo às suas próprias vontades e seus caprichos no governo. Caso contrário, cada um com seus problemas.

No período em que o PT esteve no poder, quem era oposição não poderia simplesmente ficar de braços cruzados, apenas sabotando o governo. Era preciso trabalhar dentro nas novas oportunidades, confiando e dando sustentação para as diversas obras iniciadas. O PT criou ótimos projetos sociais que mudaram a vida de muitos brasileiros para melhor, mas foi preciso um grande esforço de toda a população para que houvesse sucesso e crescimento no país nos últimos 14 anos. Engana-se um revoltado sem causa que acredita que o legado petista foi um total desperdício, como engana-se um alienado que não é capaz de admitir as falhas graves do partido.

Então o dia 31 de agosto de 2016 entra para a história. Legitimamente eleita em 2010 e reeleita em 2014, Dilma Rousseff teve seu mandato cassado. A gestão da Dilma foi bem problemática: além das acusações de crime de responsabilidade, da grave crise nacional, da paralisação de projetos sociais, do desperdício de dinheiro público, do grande aumento do desemprego, da inflação sempre crescente, ainda ocorreu a preocupante desvalorização da Petrobrás depois que a empresa foi usada como palco para um dos maiores escândalos de corrupção.

É preocupante que todas as falhas cometidas pelo PT sejam ignoradas ou justificadas pelos apoiadores e militantes, isso tira a credibilidade dos movimentos sociais. Não se absolve um acusando outro, isso não é justiça, é sim, irresponsabilidade.

Quem fez vista grossa para os erros de Lula e Dilma, de repente passou a abrir mais os olhos para ver melhor os movimentos de Michel Temer, que agora tem uma grande responsabilidade: salvar o Brasil da crise em dois anos e quatro meses e evitar novas escorregadas em seu partido, como foi com Eduardo Cunha, que aguarda um processo por crimes de corrupção, podendo ter o mandato cassado. Diferentemente do PT, o PMDB não tem muitos apoiadores nas urnas para uma eleição direta.

Então, Temer deve dar um grande exemplo de hombridade e competência em sua gestão. O PMDB é um partido que pela terceira vez coloca no poder um presidente que não foi eleito diretamente. Muitos brasileiros não reconhecem a legitimidade do governo de Temer, acusando o novo presidente de ser golpista.

Uma grande covardia vem sendo repetida nos discursos petistas. Dá-se a impressão de que, com a saída da Dilma, negros, homossexuais e mulheres sofrerão opressão social e abuso de autoridade. A humanidade está despertando da grande ignorância vivida até pouco tempo. Hoje é cada vez mais reconhecida a importância do respeito a todos, e assim antigos preconceitos estão sendo destruídos.

Essa luta social não depende de plataforma política, não foi patenteada por ninguém! É um processo natural evolutivo. Embora haja sim o mérito dos movimentos que se unem e buscam melhores direitos e condições, mas, além disso, a globalização, mesmo repudiada pelos socialistas mais radicais, tem sido importantíssima para que haja maior compreensão de diversas culturas, também possibilita quebrar paradigmas desenvolvendo novos mercados, mais amplos e que atendam mais pessoas com diversos produtos. Cria-se, assim, um sistema de informações ao alcance de quase todos e novas tecnologias que aproximam mais as pessoas, são ferramentas bem úteis na luta contra a intolerância.

Infelizmente ainda não estamos livres da intolerância. Ao mesmo tempo que alguns grupos tentam patentear a evolução social, outro movimento de pessoas igualmente reacionárias e defensoras de absurdos como a intervenção militar e das torturas da época da ditadura tentam atrasar a evolução do Brasil com demonstrações vulgares de estupidez, afirmando a ordem e o progresso pela violência e ignorância, munidos de diversos preconceitos e falando de um Brasil utópico parado no tempo, com a base moral baseada na natureza selvagem e retrógrada do ser humano. Dá-se o seguinte cenário: o sujo falando do mal lavado. Hora de buscar o equilíbrio e o diálogo, não é possível mais que construa-se uma democracia decente com tanta falta de comunicação.

O Brasil é democrático para quem vive a democracia e é golpista para quem vive o golpe.

Hoje as pessoas discutem se é melhor ser representado por um presidente inexperiente e supostamente corrupto, que pode ter participado um golpe de estado, sendo assim oportunista e manipulador, ou ser representado por uma ex-presidente que mostrou grande incompetência na sua gestão por seis anos, colocou o país em uma grave crise, deixou a corrupção acontecer debaixo do seu nariz e nunca teve a menor humildade para assumir suas falhas.

Pode ser que o brasileiro precise nesse momento de uma representação melhor, opções mais amplas e seguras de bons exemplos. Se não encontrar na política, então comece a perceber de onde vem o erro. Então, faça o voto ser de confiança.

 

#:
Compartilhar:

Leia também

Assine a nossa newsletter