Depressão na visão integrativa

Estamos enfrentando uma epidemia de depressivos. E a solução não está nos remédios, mas sim na alimentação saudável e na prática de atividades físicas

Postado dia 25/07/2016 às 08:30 por Fabio Gabas

depressão

Foto: Reprodução/Internet

Temos observado um terrível aumento do número de suicídios ultimamente. Algo que era pouco expressivo até há algumas décadas passou a chamar a atenção de pesquisadores e de organizações internacionais por atingir a marca de 38.000 só nos Estados Unidos, número que nunca foi tão alto na história.

Segundo o doutor David Healy, um dos maiores responsáveis por esse aumento é o próprio uso de antidepressivos (dá pra acreditar?). Dr. Healy é professor de psiquiatria na universidade de Bangor e autor de 20 livros, incluindo “The Antidepressant Era,” “The Creation of Psychopharmacology,” “Let Them Eat Prozac,” “Mania,” e “Pharmageddon,”.

Os SSRIs (inibidores da receptação da serotonina), tais como fluoxetina, sertralina, paroxetina, entre outros, apesar do efeito “anti depressivo”, podem levar a pensamentos suicidas e homicidas com mais frequência. Segundo o pesquisador americano, entre 1.000 e 2.000 americanos, usuários destes medicamentos, cometem suicídio anualmente quando não o fariam se não fosse pela influência do medicamento.

O próprio FDA que regulamenta as medicações, solicitou às indústrias farmacêuticas dados sobre os trabalhos que eles patrocinaram, incluindo os que não foram publicados. Descobriram que perto da metade dos trabalhos clínicos sobre antidepressivos nunca foram publicados. Somente 43% apresentaram um benefício estatisticamente significante da droga comparada ao placebo. Na maioria das triagens, 57%, as drogas não apresentaram maiores benefícios que o placebo.

No entanto, algo tem que ser feito, pois estamos enfrentando uma epidemia de depressivos em nossa sociedade, desde a infância até a terceira idade. Hoje sabemos que 11% da população acima de 12 anos está sob uso de antidepressivos. Esta estatística salta para 25% quando se trata de mulheres entre 40 e 50 anos nos Estados Unidos.

A minha visão é sempre integrativa e funcional. Portanto, considero muitos fatores responsáveis por essa situação triste, literalmente, e jamais considero o uso crônico e definitivo de antidepressivos como a solução, pois sempre busco tratar as causas e não amenizar os sintomas.

Claro que existem casos de desordens psicológicas mais graves, como esquizofrenia, ou mesmo episódios psicóticos em que o uso de drogas pode até salvar vidas. Mas, para a maioria dos casos, a solução para a depressão está muito mais nos seus hábitos e no armário da cozinha do que no armário da farmácia.

Existe um eixo nervoso comunicando intestino ao cérebro que é muito importante neste processo e deve ser bem analisado e cuidado. Aliás, o intestino é fundamental no controle do humor, pois mais de 90% da serotonina (neurotransmissor do bom humor) é produzida neste órgão. Basta lembrar o que acontece com um indivíduo quando o intestino não está funcionando bem, ele fica “enfezado”!

Segundo o Journal of Gastroenterology and motility, existem determinados tipos de probióticos (bactérias que compõem a flora intestinal), como o Bifidobacterium longum, que normalizaram o comportamento de ansiedade em ratos com colite infecciosa por modular esse eixo intestino cérebro.

Também apresentaram estudos em que o Lactobacillus rhamnosus tem efeito marcante nos níveis de GABA (neurotransmissor envolvido na regulação de diversos processos fisiológicos e psicológicos) em certas regiões do cérebro reduzindo o hormônio do estresse (cortisol) e aliviando o comportamento ansioso e depressivo.

Outro dado importante é sobre os níveis de vitamina D que tanto viemos falando ultimamente. Níveis inferiores a 20 ng/ml no sangue aumentam sua chance de depressão em 85%, se comparado com níveis maiores do que 30 ng/ml. Em idosos, a redução da vitamina D aumenta o risco de depressão em 1.100%!!! E não só a vitamina D: a vitamina B12 também está intimamente envolvida com a saúde mental, bem como o uso de 5 OH triptofano, precursor natural da serotonina.

Uma das palavras que aparece relacionada ao aumento dos quadros depressivos é a inflamação. Os processos inflamatórios crônicos são responsáveis por alterações neurológicas que afetam o equilíbrio do humor, causando e acentuando quadros depressivos. Por isso a alimentação é tão importante, bem como o controle da razão ômega 6 : ômega 3.

Hoje em dia as pessoas têm essa razão muito elevada, chega a ser 20, 25 e até 50 pra 1, o que é altamente perigoso para nossa saúde, aumentando riscos inclusive de infartos e câncer. O ideal desta razão é 2:1 e no máximo 3:1. O psiquiatra de Harvard, dr. Andrew Stoll, em seu livro de 2001 “The Omega 3 connection”, nos apresenta este importante efeito antidepressivo de níveis ideias de ômega 3.

O próprio exercício físico é bastante útil na redução dos transtornos de humor, pois reduz a insulina e, por consequência, a inflamação. Também aumenta a produção de endorfinas que geram sensação de bem estar e a biogênese de mitocôndrias (produção de novas “usinas” de energia celular), além de auxiliar na eliminação de toxinas inflamatórias.

Considerando tudo que foi dito, gostaria de deixar algumas recomendações que poderão agregar no tratamento de transtornos de ansiedade e depressão, bem como prevenir as principais causas desta doença tão comum nos dias de hoje. Lembrando que sempre deverá consultar seu médico para acompanhamento do seu quadro e jamais retirar sua medicação sem o seu aval, ok?

1ª Para variar: retire o açúcar, a frutose processada (refrigerantes, sucos de caixinha, barrinhas, etc…) e os carboidratos simples (refinados) da sua dieta. Esses produtos aumentam a produção da insulina, levando a períodos de hipoglicemia durante o dia. Essa hipoglicemia faz seu cérebro secretar glutamato que causa agitação, depressão, ansiedade e pânico, além do açúcar ser altamente inflamatório.

2ª Evite o adoçante Aspartame, pois também afeta sua função mental (substitua por Xylitol).

3ª Evite o glúten (é uma das causas de depressão em intolerantes).

4ª Cuide bem de sua flora intestinal através do uso de probióticos ou do próprio Kefir, disponível gratuitamente pela internet.

5ª Mantenha sempre em ordem seus níveis de vitamina B12, através do uso de sua forma metilada, a metilcobalamina.

6ª Mantenha seus níveis de vitamina D3 no sangue, pelo menos entre 50 e 70 ng/ml. E lembre-se que a pessoa que faz uso crônico de vitamina D deve também associar a vitamina K2.

7ª Pratique exercícios físicos regulares.

8ª Durma uma média de 8 horas por noite.

9ª Evite o excesso de contato com corantes e conservantes artificiais. Estudos revelaram que esses produtos  resultam em alterações no comportamento de crianças e adultos, no sentido de hiperatividade, agitação e irritação. Os principais examinados foram o amarelo de tartrazina, amarelo de quinoleína, a carmoisina, o vermelhor ponceau 4R e o vermelho allura AC.

10ª Pratique exercícios de coerência cardíaca e meditação diariamente. Tenho dito em meus cursos e palestras que é praticamente impossível manter sua saúde emocional e mental, seu bom humor e felicidade, se não treinar sua mente através da meditação. A neurociência nos dá uma infinidade de provas de como a meditação afeta importantes centros cerebrais envolvidos em nossa percepção do mundo, no processamento dessas informações e em nossas reações. A meditação como prática diária nos permite ver sempre o copo meio cheio ao invés de meio vazio. Nos coloca uma lente mais colorida para ver a vida e o mundo que nos cerca, além de melhorar nossa criatividade, intuição e saúde física em geral. Deixar nossas vidas reféns das crenças e programações cerebrais, além de continuarmos repetindo o passado sempre, sintonizamos nosso estado emocional às emoções coletivas que o mundo está vivendo, ou seja, frustração, medo, ansiedade, desespero, depressão e pânico. Pare de se identificar com este corpo de dor que pode estar em você mas não é você! E tome as rédeas de sua vida sintonizando o seu verdadeiro Eu. O cérebro foi designado para garantir sobrevivência. Felicidade é você que tem que fazer! Medite! Eu criei o hábito de acordar 30 minutos antes do horário, sento na poltrona e medito todas as manhãs, no mínimo! Posso garantir que faz toda diferença em nossas vidas.

Grande abraço e uma ótima semana a todos.

Compartilhar:

Sobre o Autor

avatar

Fabio Gabas

Clínico dedicado aos estudos da medicina Preventiva e Integrativa. Atende na Clínica Healthy em São Paulo, e médico sócio da Clínica Gabas CRM 95.581

Obs: As postagens do autor são de plena responsabilidade do mesmo, o portal se isenta de qualquer conteúdo que possa ser ofensivo.

Veja mais posts deste autor

Leia também

Assine a nossa newsletter