DEFICIÊNCIA DE SOL

A exposição à luz solar natural sem protetor é a estratégia mais simples, mais fácil e uma das mais importantes para melhorar a saúde.

Postado dia 25/05/2017 às 08:00 por Renato Faury

Foto: Reprodução

Tomar sol é um excelente benefício para os que possuem pressão alta, pois a radiação ultravioleta estimula a produção de vitamina D no organismo.

A vitamina D inibe a síntese de renina nos rins, uma enzima que participa da produção de hormônios que aumentam a pressão arterial.

Para que seja sintetizada na quantidade adequada, a exposição de partes do corpo (braços e pernas, por exemplo) deve ser entre 20 e 30 minutos ao sol diariamente, sem filtro solar. 30 minutos diários de sol (dependendo do tipo de pele, do horário e da longitude tem a capacidade de reduzir a pressão sanguínea, devido à alteração dos níveis de óxido nítrico na pele e na corrente sanguínea provocada pelos raios UVA). (ultravioletas)

Os raios UVA ajudam a liberar para a circulação sanguínea o óxido nítrico armazenado na pele, promovendo assim a redução da pressão arterial.

Os níveis de pressão arterial e de doenças cardiovasculares variam de acordo com a latitude e com a estação do ano; a hipertensão é mais baixa no verão e em regiões mais próximas do Equador, o que revela o efeito benéfico do sol.

A vitamina D aumenta a sensibilidade à insulina. Resistência à insulina aumenta a concentração de glicose no sangue, o que aumenta a pressão sanguínea.

A vitamina D regula a absorção de cálcio e o metabolismo. Níveis mais elevados de vitamina D ajudam a dirigir o cálcio direto para os ossos e dentes ao invés dos tecidos moles, como artérias.

O número de pessoas com deficiência de vitamina D tem aumentado, devido à diminuição da exposição ao sol, motivado por campanhas de conscientização sobre o câncer de pele.

Embora benéfica, a vitamina D tem que disputar com os riscos de câncer de pele. A exposição inadequada ao sol pode levar a queimaduras graves, envelhecimento precoce e câncer de pele.

A vitamina D é produzida pela pele em resposta à exposição à radiação ultravioleta da luz solar natural. O uso constante de protetores solares provoca deficiência da vitamina D.

Os raios de luz solar natural que geram a vitamina D não atravessam o vidro, por isso, o organismo não a produz quando dentro do carro, no escritório ou em casa.

A vitamina D é essencial para a absorção de cálcio nos intestinos. Sem vitamina D suficiente, o corpo não absorve o cálcio.

Até mesmo os filtros solares fracos (FPS = 8) bloqueiam em 95% a capacidade do corpo de gerar vitamina D.

A vitamina D é “ativada” pelos rins e fígado, antes de ser utilizada pelo organismo e, por isso, doenças renais ou hepáticas podem prejudicar a ativação da vitamina D circulante.

Depressão, esquizofrenia, câncer de próstata, da mama, dos ovários e do cólon são mais comuns em pessoas com deficiência de vitamina D.

Pessoas com pigmentação escura da pele podem precisar de muito mais exposição à luz solar do que pessoas de pele clara para gerar a mesma quantidade de vitamina D. Por causa disso, o câncer da próstata é mais comum nos homens negros.

A exposição à luz solar natural sem protetor é a estratégia mais simples, mais fácil e uma das mais importantes para melhorar a saúde.

#:
Compartilhar:

Sobre o Autor

avatar

Renato Faury

Engenheiro civil pós graduado em Engenharia Ecológica, e Assessor do meio ambiente do LIONS Internacional Governadoria LC-5

Obs: As postagens do autor são de plena responsabilidade do mesmo, o portal se isenta de qualquer conteúdo que possa ser ofensivo.

Veja mais posts deste autor

Leia também

Assine a nossa newsletter