David Bowie, um gênio

David Bowie foi um revolucionário. Ele criou um estilo de rock and roll que não somente era encantador, como deu uma direção para a música pop mundial.

Postado dia 11/01/2016 às 13:32 por Wilson ADM

aladdin sane

Foto: Divulgação/Internet – David Bowie no ensaio para a capa capa do disco Aladdin Sane

É impossível definir David Bowie, o inglês era um pouco de tudo. Andrógeno, performático e criativo, suas diversas máscaras e fantasias faziam dele um ser misterioso, agressivo, filosófico, sombrio, mas um grande romântico acima de tudo.

David Bowie passou por todas as distorções, timbres, volumes, tons, cores, estilos, sempre com sua postura elegantemente britânica, corpo ereto e olhos fixos no horizonte. Influenciou diversas gerações durante  quatro décadas, experimentando a arte sempre com propostas criativas e originais.
Conhecido como o “Camaleão”, pela grande versatilidade e sede de inovação, suas maquiagens e roupas serão sempre lembradas no Hall da Fama do Rock and Roll, e também, na memória de seus milhões de fãs por todo o mundo.

Ziggy-Stardust-the-70s-12460498-228-393Ontem dia 10 de janeiro, uma grande perda para o mundo do entretenimento, Bowie, o gênio de um olho azul e outro verde, adormeceu para o sono eterno com seus recentes 69 anos de idade, vítima de um câncer. Hoje, dia 11, muitos fãs prestam homenagens ao artista. Ele havia comemorado seu aniversário no dia 08 de janeiro, junto do lançamento de seu novo disco intitulado “Blackstar”, encerrando assim, uma marcante carreira de 25 discos gravados.

Foi um visionário. Prevendo as mudanças do cenário pop mundial. Estava sempre alguns anos a frente de seu tempo, mostrando isso disco após disco, como se orquestrasse as novas tendências, e modificasse tudo pelo seu criterioso bom senso.

O disco de 1972 “The rise and fall of Ziggy Stardust and the spiders from Mars” mostrava ao mundo que o jovem e franzino rapaz britânico tinha importantes diferencias, daí pra frente, surgiram discos que conquistaram a década de 70 como: “Aladin Sane”, “Diamond Dogs”, “Heroes”, “Station to Station”, e quando chegou à década de 80 já era um músico consagrado.

A partir dos anos 80, o britânico dedicou-se até os dias atuais em manter sempre as suas músicas em um constante processo experimental. Algumas composições são até mais simples, mas geralmente suas criações eram bem complexas e necessitavam de bastante sensibilidade e atenção dos ouvidos para uma melhor e maior compreensão da proposta que ele trazia. Isso é bem refletido em um disco de 1993 chamado “Outside”.

Não somente um músico, o artista também tinha paixão pela dramaturgia, atuou no cinema diversas vezes, destaque para um importante papel no filme Labirinto, interpretando o Rei dos Duendes Jareth, além de ter atuado bem, ainda compôs diversas músicas para o filme. Essa foi apenas uma entre muitas outras aparições, referências e papéis de David no cinema. O filme baseado em fatos reais sobre a jovem e problemática garota alemã Christiane F, possui somente músicas de Bowie na trilha sonora, que inclusive, faz uma performance em uma cena tocando a música “Station to Station”

David Bowie era um artista completo.

O homem, ator, músico, cantor, gênio e poeta disse adeus. Após décadas de sucesso, a estrela de David Robert Jones se apagou na Terra, e agora brilhará nas diversas lembranças que essa lenda do século XX deixou de presente para todos.

Compartilhar:

Leia também

Assine a nossa newsletter