Curitiba: exemplo para muitas cidades do Brasil

Por que não seguimos o exemplo de civilidade do povo curitibano?

Postado dia 07/03/2016 às 08:00 por Glauco Rocha

Foto: Divulgação/Internet - Jardim Botânico em Curitiba

Foto: Divulgação/Internet – Jardim Botânico em Curitiba

Caros leitores,

Venho falar de uma cidade que me chamou muito atenção, voltando a visita-la alguns anos de depois e desta vez, a lazer, sem pensar na rotina de reuniões e trabalho.

Eu e minha mulher decidimos viajar para Curitiba buscando fugir das aglomerações das praias durante o carnaval e nos surpreendemos com alguns pontos e por isso, resolvi falar sobre essa cidade que pode e deve ser seguida por muitas capitais pelo país.

Optamos por seguir de carro, afinal, faríamos um roteiro intenso de visitações e claro, como todo e bom brasileiro, deixamos para comprar em cima da hora, e as passagens aéreas estavam bem acima da média de acordo.

Aproveitando o gancho, deixo como dica que sempre programe suas viagens com certa antecedência, aumentando (e bem) as chances de conseguir tarifas promocionais ou com custos acessíveis.

Voltando a Curitiba, ficamos hospedados no bairro do Batel, considerado um centro gastronômico da cidade muito bem localizado, para dali, visitarmos todos os pontos turísticos.

Passamos pela Torre Panorâmica, onde podemos ter uma vista em 360º da cidade e mesmo com o dia nublado, o verde distribuído por todos os bairros nos chamou a atenção, deixando o ar mais puro e uma paisagem bem aconchegante.

Também visitamos o Parque Tanguá, enorme em suas proporções e muito bem cuidado, jardins floridos, plantas bem aparadas e limpo, sem lixo no chão mesmo com grande número de visitantes. Importante lembrar que também foi fácil estacionar, sem maiores problemas.

Seguindo, fomos para a Ópera de Arame, com sua estrutura tubular em meio à mata e com uma passarela sob um lago com carpas e tartarugas, uma atração a mais no espaço. Vale reforçar: tudo muito limpo e organizado.

Mais um ponto visitado: Museu Oscar Niemeyer ou se preferir, o Museu do Olho, carinhosamente chamado pela estrutura que lembra um grande olho que é visto na fachada do local. Podemos considerar sim uma obra de arte e não simplesmente uma parte da fachada. Com as curvas características das obras do arquiteto, o museu oferece guarda volumes, banheiros limpos e informações claras dentro de sua estrutura. Filas organizadas e rápidas nos chamaram a atenção, além da entrada gratuita aos domingos, até às 13 horas.

Enfim, chegamos ao Jardim Botânico, com seu lindo e florido jardim, recebe seus visitantes para uma bela sessão de fotos e um bom momento para relaxar. Novamente, a limpeza do local merece destaque, visto o grande número de pessoas circulando no local. Uma dica: visite durante o dia, além de ser mais seguro, o sol cria contrastes das cores das flores, deixando ainda mais bonita a paisagem. A noite as luzes que iluminam a estufa, deixando o local com um charme a parte.

Agora vamos falar de um passeio de trem, assunto este que o nosso colega e colunista, Fábio Barbosa é um grande conhecedor. Fizemos o passeio de trem entre a cidade de Morretes e Curitiba. São 3 horas de viagem em meio à mata atlântica, cortando a Serra do Mar paranaense e estruturas incríveis, como a ponte São João, nos deixando a impressão de voarmos em meio as belas montanhas. Excelente opção de passeio!

Bom, passamos (agora junto com vocês) por alguns dos principais pontos da cidade de Curitiba e vocês devem se perguntar o que o texto e o título têm a ver. Pois bem, durante toda a nossa estada na cidade vimos apenas dois moradores de rua e nenhum pedido de esmola dos diversos semáforos que cruzamos. Isso mesmo, nenhum.

As ruas, todas limpas, sinalizadas e pouquíssimos sinais de vandalismo, como pichações e destruição de estátuas e monumentos expostos na cidade, sem contar a sensação de segurança, mesmo circulando pelas ruas durante à noite.

Agora fica a pergunta, por que não seguimos o exemplo de civilidade do povo curitibano? Lembrando que são muitos os turistas que visitam a cidade diariamente e principalmente em datas festivas, ou seja, muitos paulistanos, cariocas, mineiros, enfim, agem como pessoas civilizadas, educadas e o melhor, dando o exemplo para os demais, mas infelizmente, ao voltar as suas cidades, esquecem-se dos modos ou simplesmente voltam a agir como a maioria das pessoas.

Não importa o meio e sim, o exemplo que damos e o que queremos deixar para o próximo que estará naquele local, visitando, tirando fotos, enfim.

Vale ressaltar que a cidade oferece um atrativo a parte: a gastronomia. Mas isso vamos deixar para um capítulo a parte e vamos em frente, dando exemplo de civilidade e educação, hoje e sempre, aqui ou ali.

Até uma próxima.

 

Compartilhar:

Sobre o Autor

avatar

Glauco Rocha

Glauco Rocha é formado em Turismo e pós graduado no curso de MBA em Marketing e Vendas pela Anhembi Morumbi

Obs: As postagens do autor são de plena responsabilidade do mesmo, o portal se isenta de qualquer conteúdo que possa ser ofensivo.

Veja mais posts deste autor

Leia também

Assine a nossa newsletter