Criolipólise

Criolipólise: Foi em 2008 que iniciaram as primeiras pesquisas conclusivas referentes a essa técnica, que partiram de dois cientistas do curso de Medicina de Harvard

Postado dia 11/04/2016 às 08:43 por Nubia Maia

criolipolise

Foto: Reprodução/Internet

A ORIGEM DA TÉCNICA

Foi em 2008 que iniciaram as primeiras pesquisas conclusivas referentes a essa técnica, que partiram de dois cientistas do curso de Medicina de Harvard, uma das Universidades mais consagradas do mundo, o Ph. D. Dieter Manstein e o Dr. R. Rox Anderson. No ano de 2010 o procedimento foi disponibilizado ao público, chegando ao Brasil em 2012, em um grande evento, o  III Simpósio de Cosmiatria, Laser e outras tecnologias.

PRIMEIRAS OBSERVAÇÕES

No inicio a ideia da técnica da criolipólise foi analisada em alguns eventos raros, um deles denominado paniculite do picolé, onde foi verificada uma redução do volume de gordura do lábio de crianças em razão de contato frequente com picolés e alimentos gelados e paniculite equestre, que refere-se à diminuição da camada de gordura da região interno de coxa de mulheres, vestidas com calças justas, que praticavam equitação sob clima gelado.

PRIMEIROS TESTES EM ANIMAIS

Essas primeiras análises físicas relativas ao tratamento com criolipólise foram feitas em porcos em 2008.

Os porcos foram submetidos a uma temperatura de 20 a – 7°C, por um determinado período de tempo. Para tanto, eles aplicaram um gel (o mesmo utilizado em exames de ultrassom) sobre a epiderme dos porcos e fizeram a sucção à vácuo da região com um aparelho próprio, com vistas a tornar o fluxo sanguíneo reduzido e delimitar bem a área a ser tratada. Durante o procedimento da criolipólise, o colesterol, os triglicerídeos e as funções hepáticas foram examinados e seus níveis permaneceram praticamente inalterados.

Os pesquisadores constataram elevada redução de gordura nas regiões resfriadas (até 50%), sem dano algum à derme e ao tecido muscular. Eles puderam concluir, através de biópsia, que houve reação inflamatória nas células de gordura, as quais foram fagocitadas pelas células do sistema imunológico e metabolizado no fígado, processo este que se estendeu por até 90 dias. Com o sucesso deste estudo, a técnica passou a ser chamada de criólise seletiva.

PRIMEIROS TESTES DA TÉCNICA DA CRIOLIPÓLISE EM HUMANOS

Foi realizado em 2009 por Sydney R. Coleman, Barbara M. Egbert, Kulveen Sachdeva, Jessica Preciado e John Allison. O estudo foi feitos em 10 pessoas, as quais se submeteram ao resfriamento gerado por um dispositivo criado especialmente para isso.

A análise do antes e depois foi feita por meio de ultrassom em nove dos pacientes, os quais se submeteram, também, a avaliações neurológicas e colheita de tecido para biópsia. Passados dois meses da sessão de tratamento com criolipólise, constatou-se pela diminuição média de 20,4% de gordura localizada dos nove pacientes analisados: sendo que esta perda de adipócito perdurou pelo período de seis meses, ao fim do qual verificou-se a redução média de 25,5%.

PRIMEIRO TESTE POLICÊNTRICO CONCLUSIVO EM HUMANOS

A equipe de especialistas em dermatologia de Harvard liderada por Jeffrey Dover e Elizabeth Tanzi testou o procedimento em 32 pacientes, os quais tiveram a regiões dos flancos e costas submetidas à criolipólise. Na data de 1° de abril de 2009 ocorreu a 29ª Conferência Anual da Sociedade Americana de Laser, Medicina e Cirurgia – ASLMS, em National Harbor, no estado de Maryland, EUA. E um dos assuntos mais comentados do evento foi justamente os resultados desse teste. Através da comparação de ultrassom e fotos tiradas, constatou-se que a maioria dos pacientes sofreram alterações visíveis no volume de gordura da região tratada pelo tratamento por criolipólise e todos eles tiveram um razoável percentual de gordura eliminado. O teste corroborou os procedentes: não houve danos aos demais tecidos (pele e músculo), e as células de gordura localizada foram eliminadas pelo metabolismo dos indivíduos, de forma gradual, com uma única sessão de criolipólise. Além disso, durante todo o período de observação, os níveis de gordura no sangue também permaneceram inalterados. Em 10 dos indivíduos analisados foi realizado exame de sonografia, que apresentou a redução de aproximadamente 22% da gordura localizada, 4 meses após o procedimento. Segundo Jeffrey Dover, o resultado do teste foi muito animador, um verdadeiro sucesso!

EFEITO FISIOLÓGICO 2

Quando ocorre o resfriamento do adipócito (célula de gordura) devido à baixa temperatura do aparelho, dá início ao processo de perda de função da célula, quando isso ocorre o organismo (sistema imunológico) entende que a célula danificada deve ser expulsa do corpo, desencadeando um processo inflamatório (neutrófilo) e em seguida sua fagocitose (macrófago), eliminando aquela célula do corpo. Processo esse que pode se estender até por 90 dias. Processo descrito na tabela de Fábio Borges.

CRIOLIPÓLISE = PANICULITE = APOPTOSE

crio1

EXERCÍCIOS FÍSICOS SÃO NECESSÁRIOS?

É importante praticar atividade física. Mas a criolipólise não requer que você emagreça junto com ela para que obtenha resultados! Alguns tratamentos feitos para gordura localizada só dão resultados efetivos se você seguir uma dieta e exercícios para emagrecimento.

INDICAÇÃO PÓS CRIOLIPÓLISE

É importante que o cliente faça uso de uma cinta cirúrgica modeladora. Razões para tanto prevenir a flacidez. Assim como é indicado a Drenagem linfática manual.

INDICAÇÃO

  • Gordura localizada resistente ao exercício físico e a dietas.

CONTRA INDICAÇÃO

  • Gravidez
  • Gordura visceral
  • Obesidade
  • Doenças relacionadas ao frio (fibromialgia)
  • Urticária
  • Cirurgia recente na área
  • Hérnia umbilical
  • Lesões ou dermatites
  • Doenças não controladas (diabetes)
  • Crioglobulemia
  • Intolerância ao frio
  • Implantes metálicos na região
  • Processos infecciosos
  • Problemas cardíacos graves

LOCAIS ONDE PODEM SER REALIZADOS A CRIOLIPÓLISE

  • Abdômen, parte interna das coxas, culotes, peitoral, flancos, braço, parte superior das costas (dobra do sutiã), parte inferior das costas (linha da cintura).

crio2

FORMA DE ACOPLAGEM DO APARELHO

crio3

 

 

 

 

 

 

 

ANTES E DEPOIS

crio4

 

 

 

 

 

REFERÊNCIAS:

Tabela: Fábio Borges

 

 

Compartilhar:

Sobre o Autor

avatar

Nubia Maia

Aos 37 anos decidi fazer minha primeira graduação (Estética), e não quero parar mais! Pós-graduada em Docência do Ensino Superior

Obs: As postagens do autor são de plena responsabilidade do mesmo, o portal se isenta de qualquer conteúdo que possa ser ofensivo.

Veja mais posts deste autor

Leia também

Assine a nossa newsletter