Como vencer o medo?

O maior inimigo da alta performance, o maior inimigo das suas realizações

Postado dia 13/07/2016 às 08:30 por Douglas de Matteu

medo

Foto: Reprodução/INternet

O medo é certamente um dos maiores inimigos do ser humano e, consequentemente, da alta performance. O medo é um sentimento que imobiliza o ser humano, planta a incerteza, o receio, a insegurança e a dúvida, focaliza o negativo, a derrota e a vergonha, entre outros sentimentos que promovem fuga, paralisia e, em alguns casos, o ataque.

Provavelmente o primeiro relato desse sentimento foi apresentado por Adão, que, logo após comer o fruto proibido, escondeu-se de Deus. O medo faz com que as pessoas se escondam.

Uma história real que relata a consequência do medo e o ato de se esconder é a do soldado irlandês Patrick Fowler, de 38 anos. Durante a Primeira Guerra Mundial, o intenso fogo da artilharia alemã obrigou a companhia do soldado Patrick a dispersar-se. Cada um dos homens buscou salvar a própria vida. Porém, em meio à retirada, Patrick acabou perdido, justamente atrás das linhas inimigas.

Durante cinco meses vagou entre os bosques, já exausto, quase morto e faminto, foi descoberto na cidade Bertry, na França por Louis Basquin, agricultor, que em vez de entregá-lo aos alemães, ofereceu abrigo na casa da sogra, Marie Belmont-Gobert, que vivia com sua filha Angele.

A cidade de Berty estava tomada por alemães, e as casas eram frequentemente inspecionadas. Marie, então, decidiu esconder Patrick dentro do armário da cozinha. O móvel possuía um 1,5 m de altura e 50 cm de profundidade. A fim de sobreviver, Patrick tinha que ficar encolhido, com os joelhos grudados ao peito.

Como Patrick ficava dentro do armário. Fonte: Metamorfose Digital

No lugar de uma rápida inspeção, soldados alemães solicitaram a propriedade de Marie para se abrigarem. Os soldados dormiam no piso superior e Marie e sua filha, no térreo, bem como Patrick, no armário da cozinha. Os dias foram passando e o soldado escondido via tudo que acontecia por meio do buraco da fechadura. Os soldados fazendo suas refeições, conversando, fumando, e Patrick imóvel, em pleno silêncio.

Marie era uma mulher inteligente e periodicamente deixava uma das portas do armário aberta para que oficiais não desconfiassem. Meses se passaram nessa situação, Patrick só saia à noite para esticar as pernas, se alimentar e fazer suas necessidades. Foram quase quatro anos vivendo dentro do armário até poder alcançar a liberdade com o fim da guerra.

Na história de Patrick podemos notar que o medo é capaz de fazer as pessoas se esconderem. Eu fico me perguntando: qual é o seu maior medo? Em que tipo de armário emocional você pode estar se escondendo? E quanto tempo mais vai se esconder? No caso do militar, foram quase quatros anos! Qual medo vem deixando você, escondido, inerte, paralisado? E até quando você vai ficar nessa situação?

Em recente pesquisa sobre o medo, o Instituto Nacional de Saúde Mental dos Estados Unidos constatou que cerca de 60% dos nossos medos nunca acontecerão. É interessante destacar também que 90% dos medos que temos são referentes a coisas insignificantes (REGO, 2013).

Para o psiquiatra Dr. Augusto Cury (2010), duas grandes armadilhas da mente humana são: o medo de reconhecer os erros e o medo de correr riscos.

Como seria se você reconhecesse seus equívocos hoje como grandes aprendizados? Como seria se você pudesse romper as correntes do medo, assumir riscos de modo racional, equilibrado e inteligente, como fez Marie no relato? Pense, quanta coragem de Marie, o quanto ela confiava que poderia salvar a vida do Patrick e como conseguiu.

Marie ensina que, para vencer o medo, é necessário um sentimento maior que o próprio medo. Pode ser a coragem, a bravura diante do perigo, a confiança inabalável mesmo diante da adversidade. Pode também ser compreendido como o amor, como a solução para seus medos – o amor à vida, nesse caso. Será que um pai, uma mãe, pode enfrentar uma grande adversidade, superar medos para salvar a vida de um filho? É o amor como força inigualável novamente.

Considere o merecimento e a sua capacidade de enfrentar seus medos, confiar, ter fé, acreditar verdadeiramente que você pode ir além. Nesse contexto o coach, o profissional que desenvolve o processo de coaching, pode te ajudar a ampliar sua percepção e potencializar sua autoestima para que você possa se mostrar maior que seus medos.

Para que você possa desfrutar o melhor da vida, encarando os desafios de cabeça erguida com fé, coragem, guiado pelo amor, por seu propósito de vida e alicerçado em seus princípios, ou seja, seus valores pessoais.

Acredite, você pode ser maior que seus medos ou pode viver dentro de um armário. Qual vai ser sua decisão após essa leitura?

 

Referências:

CURY, Augusto. O código da Inteligência e a excelência emocional. Rio de Janeiro: Thomas Nelson Brasil, 2010.
GONÇALVES, Kleber. Apenas acredite. (Série/Seminário). São Paulo: Nova Semente, 25/06/2016.
METAMORFOSE DIGITAL. O soldado que passou quatro anos escondido em um armário durante a I Guerra Mundial, 22/06/2016. Disponível em < http://www.mdig.com.br/index.php?itemid=38210> acessado em 26/06/2016.
REGO, Guilherme. Você tem medo de quê? Disponível em: <http://www.administradores.com.br/artigos/carreira/voce-tem-medo-de-que/68533/>. acessado em 26/06/2016.

 

Compartilhar:

Sobre o Autor

avatar

Douglas de Matteu

Diretor presidente do Instituto de Alta Performance Humana e presidente da ABPM. escritor, professor universitário e coach.

Obs: As postagens do autor são de plena responsabilidade do mesmo, o portal se isenta de qualquer conteúdo que possa ser ofensivo.

Veja mais posts deste autor

Leia também

Assine a nossa newsletter