Cidadãos do futuro

Na semana que acolheu o Dia Mundial do Meio Ambiente (5), chamo atenção para avanços registrados em Mogi das Cruzes porque, embora tímidos perto das necessidades, são importantes

Postado dia 15/06/2016 às 08:00 por Junji Abe

meio ambiente

Foto: Reprodução/Internet

Há pouco mais de 50 anos, a defesa do desenvolvimento sustentável não tinha ressonância no poder público nem na educação escolar e familiar. Felizmente, a natureza deixou de ser apenas paisagem bucólica em propaganda de iogurte.

Na semana que acolheu o Dia Mundial do Meio Ambiente (5), chamo atenção para avanços registrados em Mogi das Cruzes porque, embora tímidos perto das necessidades, são importantes.

Enquanto prefeito, terceirizamos a limpeza pública, o que permitiu desativar o Lixão da Volta Fria, implantar a coleta seletiva de lixo e ter uma usina de triagem onde atuam antigos catadores. Entre outras ações, reduzimos o despejo de esgotos in natura nos cursos d’água. O percentual de resíduos tratados subiu de 0,5%, em 2001, para 43%, em 2008, quando deixamos o cargo e projetos em andamento para que nosso sucessor continuasse o processo. A Cidade encerrará 2016 tratando mais de 70% dos esgotos coletados.

Das medidas com foco em preservação ambiental, a que mais me dá orgulho é a que possibilita a geração de cidadãos conscientes de seu papel no planeta: consolidamos a educação ambiental na rede de ensino. A Escola Ambiental de Mogi das Cruzes, implantada em 2006, tornou-se conhecida mundialmente pela proposta arrojada de qualificar educadores, funcionando como centro de pesquisas e formação de professores, além de orientar os alunos.

A premissa é desenvolver a consciência ambiental com atitudes, aproximando os aprendizes da realidade local. Para dizer o mínimo, a Cidade é cortada pelo histórico Rio Tietê, abriga a Serra do Itapeti, um dos maiores remanescentes de Mata Atlântica do Brasil, e é polo produtor de água. O aluno é conduzido por uma trilha de conhecimento onde ele próprio deseja mudar de comportamento para preservar o meio ambiente e passa a cobrar posturas adequadas daqueles com quem convive. Graças à dedicação dos educadores mogianos, as escolas atuam em sintonia, regidas pelo propósito de formar adultos conscientes e ativos na preservação ambiental.

Aí está um exemplo da importância de políticas públicas direcionadas ao ensino de qualidade sob uma ótica abrangente, apto a formar cidadãos proativos em relação ao desenvolvimento sustentável e capazes de ver a realidade, compreendê-la, criticá-la, proteger as conquistas e trabalhar para resguardar o bem-estar coletivo. Foram lançadas as bases da evolução da sociedade.

Compartilhar:

Sobre o Autor

avatar

Junji Abe

Junji Abe, 75 anos, mogiano, produz e comercializa flores e plantas ornamentais, e foi prefeito de Mogi das Cruzes por duas vezes seguidas (2001-2008)

Obs: As postagens do autor são de plena responsabilidade do mesmo, o portal se isenta de qualquer conteúdo que possa ser ofensivo.

Veja mais posts deste autor

Leia também

Assine a nossa newsletter