Cemitérios poluem?

Você sabia que o solo dos cemitérios contém atividade microbiana igual ao solo comum de outros lugares?

Postado dia 24/08/2016 às 10:24 por Renato Faury

cemitérios

Foto: Reprodução/Internet

Todos os grandes grupos de microorganismos estão presentes nos ceitários: bactérias, fungos, algas, protistas e vírus. É importante ressaltar que a presença de microorganismos no solo não significa “poder de infectividade”, ou seja, capacidade dos microorganismos de causar doenças.

Durante a decomposição do corpo humano, bactérias anaeróbicas reduzem o tecido de substâncias complexas para substâncias simples. Estas bactérias são perigosas e podem entrar no corpo vivo, mas estão embaixo do solo e não têm contato com seres vivos. Quando o tecido está reduzido, as bactérias morrem.

Ao contrário do que acham alguns ambientalistas pseudo conhecedores do assunto, os cemitérios apresentam ameaça insignificante de contaminação por microorganismos ou produtos químicos relacionados ao enterro de corpos humanos, tanto aos aquíferos quanto ao solo e à população.

Qualquer lixívia microbiológica que vai para o lençol freático é diluída e se torna inofensiva. 

O solo natural também contém patógenos provenientes principalmente das plantas e que também podem causar doenças aos seres humanos.

Nunca foi detectado o vírus da aids no solo. Até porque o vírus não tolera temperaturas diferentes da do corpo humano ou variações de pH entre 7,35 – 7,4.

A presença de microorganismos na água não é indicação de poluição porque naturalmente eles ocorrem na água que teve contato com solo, plantas e animais.

 

Fonte: Flávio Magalhães – Cemitério dos Protestantes São Paulo e Dr.Carlos Delmonte – Putrefação e sua consequência para o meio ambiente.

Compartilhar:

Sobre o Autor

avatar

Renato Faury

Engenheiro civil pós graduado em Engenharia Ecológica, e Assessor do meio ambiente do LIONS Internacional Governadoria LC-5

Obs: As postagens do autor são de plena responsabilidade do mesmo, o portal se isenta de qualquer conteúdo que possa ser ofensivo.

Veja mais posts deste autor

Leia também

Assine a nossa newsletter