Carnaval sem camisinhas: um problema muito sério.

O discurso do uso da camisinha é constante, sabemos da sua necessidade, mas por que as pessoas deixaram de usar?

Postado dia 26/02/2017 às 09:00 por Priscila Andrade

camisinha

Foto: Reprodução

Embora a divulgação e propaganda sejam maiores na época do Carnaval o seu uso deve ser priorizado sempre que houver uma relação sexual.

A camisinha, considerada muitas vezes um método contraceptivo atual, seu uso é antigo, sabe-se, mas não com certeza, que as civilizações gregas e romanas já usavam algo para se proteger de doenças, mas essas eram feitas de intestinos de cordeiros. Somente no século XIX que criaram as primeiras lojas de preservativos na Inglaterra, só que esses eram bem caros e podiam ser usados várias vezes, foi somente na década de 30 com o uso do látex, a camisinha ficou melhor e com maior durabilidade.

dica-de-saude-camisinha-prevencao-no-carnaval-dstCom o surgimento da pílula anticoncepcional na época da revolução feminina na década de 60 a camisinha deixou de ser usada, mas com o advento da AIDS na década de 80 o seu uso foi necessário novamente.

Atualmente o uso da camisinha é imprescindível na hora de vivenciar uma relação sexual, pois ela é o método contraceptivo mais seguro existente, além de evitar uma gravidez indesejável, evita as ISTs (Infecções Sexualmente Transmissíveis). O termo DSTs (doenças sexualmente transmissíveis) deixou de ser usado pela Organização Mundial da Saúde – OMS, pois o termo doença, implica indícios visíveis no organismo das pessoas, já infecções têm um período assintomático e muitas vezes permanecem assim até ser feito um exame em laboratório, então IST passou a ser o termo mais correto.

Segundo a OMS, 340 milhões de pessoas são infectadas pelas IST no mundo inteiro, dentre as mais conhecidas estão: Sífilis, Gonorreia, Clamídia, HPV e HIV/AIDS.

  • Sífilis: Há uma epidemia no Brasil, entre outras coisas a sífilis causa cegueira e demência.
  • Gonorreia/Clamídia: Os sintomas são parecidos, há também um surto de gonorreia no Brasil, dentre outras coisas, pode causar infertilidade.
  • HPV: O índice de HPV entre os jovens é altíssimo, pode causar câncer do colo de útero, garganta e ânus.
  •  HIV/AIDS: os dados são preocupantes, o número de jovens com HIV/AIDS aumentou 53%.

carnavalsegurocamisinha1

Mas com tantas doenças adquiridas por meio sexual, por que as pessoas deixaram de usar camisinha? De acordo com a OMS 45% dos brasileiros não usam camisinha. Há vários fatores, dentre eles a banalização do vírus HIV, como há tratamento, muitas pessoas acreditam que viver com o vírus ou até mesmo a doença ficou mais fácil, mas não se pode deixar enganar, o tratamento é doloroso e permanente, a ida em hospitais se tornam rotina, ou seja, a vida se transforma. Também muitos desses jovens não presenciaram a morte de pessoas, como aconteceu na década de 80 em decorrência da AIDS.

O uso da camisinha é muito divulgado na época do carnaval, devido às festividades que essa data traz, ou seja, as campanhas de prevenção são muito pontuais, não englobando que seu uso é necessário em todas as épocas e datas. Isso acontece devido à imagem que a camisinha provoca, muitas vezes ligada a promiscuidade, a traição conjugal ou a falta de confiança no parceiro. Coisas que devemos desvincular da nossa cultura, camisinha é proteção.

As mulheres ainda se sentem muito envergonhadas ou acham que isso seja função do homem (levar ou colocar a camisinha na hora da relação sexual) e isso é um erro, não se deve ter vergonha ou achar que será considerada “fácil” por estar levando a camisinha, se por ventura o homem esquecer de levá-la, a mulher já está preparada, ou seja, não haverá desculpas para não a usar.

camisinhaTambém existe o mito em achar que a camisinha diminui o desejo sexual ou como é comumente falado “é como chupar bala com embalagem”, pois atualmente existem no mercado os mais diversos tipos de camisinhas, para os homens que constatam essa sensação descrita acima, existe a camisinha sensível, ela é mais fina e se ajusta ao pênis dando a sensação que não está usando a camisinha.

Além dessa, existem outros tipos de camisinhas que deixam a relação sexual mais gostosa e divertida, alguns exemplos:

  • Camisinha de sabor: (chocolate, menta, morango).
  • Camisinha hot e ice: que esquenta ou esfria tanto o pênis como a vagina.
  • Camisinha com efeito retardante: que anestesia a cabeça do pênis, deixando o homem mais calmo e tranquilo.
  • Camisinha texturizada: com relevos na parte interna e externa da camisinha.
  • Camisinha com espermicida: que segundo o fabricante mata os espermatozoides (mas não tem 100% de eficácia).

Camisinha antialérgica: para quem tem problemas com o látex.

Também existe a camisinha feminina, que embora não muito divulgada e o preço ainda não é tão popular, ajuda a mulher na prevenção, a vantagem é que ela pode ser colocada até 8 horas antes da relação sexual.

banner_carnaval_camisinha2013

E para quem não tem dinheiro para comprar camisinhas, elas são distribuídas gratuitamente em postos de saúde.

Sendo assim, não há desculpas para não usar, há modelos para todos os gostos e tamanhos, ela não prejudica o clima na hora da relação sexual, alguns segundos perdidos nesse momento equivalem a uma vida sem problemas de saúde ou uma gravidez indesejada.

USE CAMISINHA!

 

#:
Compartilhar:

Sobre o Autor

avatar

Priscila Andrade

Professora e Educadora Sexual. Pedagoga e Mestre em Educação Sexual,

Obs: As postagens do autor são de plena responsabilidade do mesmo, o portal se isenta de qualquer conteúdo que possa ser ofensivo.

Veja mais posts deste autor

Leia também

Assine a nossa newsletter