Capital de giro

O capital de giro é fundamental para manter uma empresa em operação

Postado dia 15/09/2016 às 08:00 por Leonardo Suyama

capital de giro

Foto: Reprodução/Internet

Basicamente, uma empresa necessita de capital de giro porque financia a venda para o cliente, cedendo prazo para o pagamento das mercadorias que foram vendidas e, em contrapartida, paga essas mercadorias para o fornecedor com prazos menores em comparação aos prazos de venda. Além disso, há o cálculo do prazo médio de estoque e, caso a empresa fabrique algum produto, o tempo médio de fabricação.

Para o cálculo do capital de giro, o empresário precisa calcular o prazo médio de recebimento dos clientes, o prazo médio de pagamento aos fornecedores e o prazo médio que os produtos ficam no estoque e na produção. O empresário também terá de apurar todos os custos e despesas da empresa. Com esses dados, é possível calcular o montante de capital de giro necessário para que a empresa não fique sem recursos para a sua operação.

A empresa pode conseguir capital de giro através dos seus próprios fornecedores, obtendo mais prazo para pagar os produtos e matérias-primas. Também pode conseguir capital de giro através das instituições financeiras, sócios e através da geração do lucro. O lucro é uma excelente fonte de capital de giro, considerando que a própria operação da empresa gera esse recurso. É comum as empresas solicitarem capital de giro através das instituições financeiras porque não definem desde o início da operação qual o montante necessário para financiar a operação. Essa fonte de capital de giro incide juros que deverão ser considerados na apuração dos resultados da empresa.

O empresário precisa saber a sua necessidade de capital de giro para que não haja dúvidas entre a necessidade desse capital, o fechamento do seu fluxo de caixa e a apuração de resultado da empresa. Alguns empresários confundem períodos que ficam negativos no fluxo de caixa com resultados operacionais. São controles distintos que precisam de um olhar analítico.

Uma dica importante para o empresário é não utilizar o capital de giro da empresa em outras operações, como investimentos em ativo fixo, máquinas e equipamentos. O capital de giro deve ter liquidez e pode ficar em uma aplicação financeira cujo prazo permita resgatar o recurso em qualquer momento.

Compartilhar:

Sobre o Autor

avatar

Leonardo Suyama

Desde 2003 como Consultor de Finanças no SEBRAE/SP atua no atendimento das consultorias

Obs: As postagens do autor são de plena responsabilidade do mesmo, o portal se isenta de qualquer conteúdo que possa ser ofensivo.

Veja mais posts deste autor

Leia também

Assine a nossa newsletter