Banco imobiliário na prisão

Penitenciária de cinco estrelas não tem vagas suficientes para tanta gente boa e inocente...

Postado dia 29/07/2015 às 20:54 por Sociedade Pública

dinheiro_bi

Um resort privado em regime fechado por alguns anos, ou geralmente um semiaberto que ninguém sabe quando começa ou quando termina… Quiçá, um cargo público enquanto cumpre pena, com um salário digno, e claro… Serão heróis do povo! Novos Hércules da mitologia política brasileira, um folclore assustador.

A vida carcerária para políticos parece, para muitos, uma quase realização de justiça, que vive deslizando pela nossa herança cultural… Para mim isso é fetiche! Um político corrupto é um “sex symbol” para as mídias de manobra, idealistas falsos e justiceiros alienados.

Quando falamos em poder, não estamos nos referindo somente a uma hierarquia organizada, o sistema político do Brasil é um jogo econômico sem limites entre políticos, empresários e banqueiros… E esse jogo tem uma regra simples: Alguém sempre roda!

O que nossos meros servidores públicos eleitos democraticamente fazem, é entender como organizar os diversos interesses partidários, de forma que isso não quebre a economia, onde, nesse quesito, falharam terrivelmente.

Os meios para que esse jogo de politicagens seja um sucesso, é formado por uma série de coisas erradas, mas o principal é a corrupção. Mesmo desviando o tesouro nacional pelos vários dutos existentes, é uma obrigação da classe política que consigam garantir fundos para o país, garantir a distribuição de renda nos setores públicos, e garantir crédito para que o país possa investir mais… E foi exatamente isso que não aconteceu nos últimos anos.

E nesse momento de caos, os condenados jogam banco imobiliário em suas celas… E se estiverem entediados, quebram as regras mais uma vez…

Muitos presos políticos foram libertados, para depois, com excesso de liberdade, serem noticiados como políticos presos, e mesmo depois de condenados, são oficialmente homens livres… Acima da lei, acima do mal, mas sempre abaixo do bem.

 

Compartilhar:

Leia também

Assine a nossa newsletter