Colunistas

avatar

Renato Castrezana

Profissão: Professor

Cidade: Mogi das Cruzes

É Chefe de Divisão de Marketing e Projetos Turísticos da cidade de Mogi das Cruzes, publicitário de formação, é também professor universitário dos cursos de Marketing, Comunicação Social e Processos Gerências da Universidade Braz Cubas. Possui MBA em Gestão Empresarial pela EAESP - Fundação Getulio Vargas e uma grande experiência profissional adquirida em empresas do ramo Têxtil e de Telecomunicações.

  • Trem do Caqui oferecerá roteiro para fruticultura e Akimatsuri em abril

    Os turistas poderão conhecer de perto a produção do Caqui, experimentar o verdadeiro sabor da fruta fresca colhida diretamente do pé

    Postado dia 31 de março de 2017 às 09h em Viagens e Turismo

    caqui

    Foto: Reprodução

    Chegou a época do caqui, fruta típica que gerou o saudoso apelido à Mogi das Cruzes, “Terra do Caqui”. A fruta está de volta aos mercados e feiras da cidade, e segundo os produtores, iniciando a safra com ótima qualidade e preço bem competitivo. Mogi das Cruzes é o maior produtor nacional de caqui, que é rico em fibras, sem gordura e indicada para a prevenção de doenças cardiológicas.
    Seu aspecto nutricional foi um dos fatores que levou a fruta para o cardápio dos alunos da rede municipal desde 2010. Além de valorizar a produção local, as crianças passaram a consumir um produto saudável e muito nutritivo.

    A região de Mogi das Cruzes produz por ano cerca de 60 mil toneladas de caqui, volume que representa 55% do que é colhido no estado de São Paulo e 30% da produção nacional.

    A Fruticultura Hoçoya, no bairro do Cocuera, iniciou suas atividades em meados da década de 60 e está prestes a completar 50 anos de tradição na produção de frutas. Atualmente, possui uma área de 12 hectares produzindo grande variedade, como caqui, nêspera, atemóia, pêra, lichia e pitaya. Destaque para o Caqui Fuyu que já ganhou diversos prêmios. Por 30 anos consecutivos, o caqui produzido na Fruticultura Hoçoya foi eleito o melhor do Brasil.
    O Expresso Turístico para Mogi das Cruzes, do mês de abril, terá como tema da viagem o Caqui. Os turistas poderão conhecer de perto a produção do Caqui, experimentar o verdadeiro sabor da fruta fresca colhida diretamente do pé e curtir o Festival de Outono Akimatsuri.

    caqui2

    O Akimatsuri é uma das festas mais tradicionais da colônia japonesa realizada dentro do Estado de São Paulo, com uma média de público de 80 mil pessoas. A festa mantém viva as tradições, costumes, crenças e incentiva as manifestações artísticas e culturais. Como em todos os anos, tem uma grande programação de shows e eventos que, além de entreter, dão a oportunidade para jovens talentos e grupos artísticos divulgarem seu potencial.

    O Akimatsuri também é uma importante ferramenta de divulgação da atividade agrícola da região. Há um espaço reservado, chamado de Pavilhão Agrícola, onde agricultores de diferentes tipos de cultura expõem seus produtos de uma maneira bem diferente. Flores, frutas, hortaliças, verduras e ovos transformam-se em artigos de decoração, destacando-se pela criatividade e originalidade.

    O Trem do Caqui saíra segundo sábado de abril (08/04) às 8h30 da Estação da Luz e o retorno às 16h30 na Estação de Mogi das Cruzes. A atividade conta com apoio da Coordenadoria de Turismo de Mogi das Cruzes, vinculada à Secretaria de Cultura.

    O roteiro temático é pago a parte e inclui o transporte ida e volta da Estação de Mogi das Cruzes até à Fruticultura, visita ao Festival de Outono Akimatsuri e guia de turismo.

    Serviço

    O bilhete do Expresso Turístico pode ser adquirido na Estação da Luz e mais informações estão disponíveis no site da CPTM. Já as reservas para o traslado podem ser feitas pelo telefone 4761-9233 ou e-mail contato@viagensdetrem.com.br.

    O Akimatsuri acontecerá nos dias 01,02, 08 e 09 de abril. Informações pelo telefone (11) 4791.2022 ou e-mail: bunkyo.mogidascruzes@gmail.com.

    Produtores de Caqui que recebem turistas e participam do mogi para mogianos

    Sitio Nakahara
    Endereço: Estr. Fujitaro Nagao, Cocuera – Visita com agendamento. Telefone: 011 4792-2556 / 99476-3307

    Fruticultura Hoçoya
    Endereço: Rodovia Alfredo Rolim de Moura, km 67, Cocuera – Visita com agendamento.
    Telefone: 011 4761 1531 / 011 4792-2672 / 011 99874-4198

    Compartilhar:

  • Festival Akimatsuri 2017 começará dia 1º de abril

    A palavra Akimatsuri pode ser desmembrada em duas: Aki significa Outono e Matsuri corresponde à festa

    Postado dia 21 de março de 2017 às 09h em Viagens e Turismo

    akimatsuri

    Foto: Reprodução

    Mogianos e turistas que vierem à Mogi das Cruzes poderão conferir a abertura das festividades do Akimatsuri, a partir do dia 1 de abril. O evento, que está em sua 32ª edição, será no mesmo formato do ano passado, realizado em dois finais de semana. Os visitantes poderão conferir as atrações nos dias 1, 2, 8 e 9 de abril, das 10h às 22h aos sábados e 10h às 20h aos domingos.

    O Akimatsuri é uma das festas mais tradicionais da colônia japonesa realizada dentro do Estado de São Paulo, com uma média de público de 80 mil pessoas. É realizada desde 1986, em Mogi das Cruzes, (apenas 50 minutos da Capital) pelo Bunkyo de Mogi das Cruzes, sempre no mês de abril, por um grupo de voluntários que tem como missão ajudar a associação no resgate e divulgação da cultura japonesa.

    akima2A festa mantém viva as tradições, costumes, crenças e incentiva as manifestações artísticas e culturais. Como em todos os anos, tem uma grande programação de shows e eventos que, além de entreter, dão a oportunidade para jovens talentos e grupos artísticos divulgarem seu potencial.

    O Akimatsuri também é uma importante ferramenta de divulgação da atividade agrícola da região. Há um espaço reservado, chamado de Pavilhão Agrícola, onde agricultores de diferentes tipos de cultura expõem seus produtos de uma maneira bem diferente. Flores, frutas, hortaliças, verduras e ovos transformam-se em artigos de decoração, destacando-se pela criatividade e originalidade.

    A palavra Akimatsuri pode ser desmembrada em duas: Aki significa Outono e Matsuri corresponde à festa. Nesta época do ano, os japoneses têm o costume de praticar oferendas aos deuses para agradecerem pela colheita e bem-estar das pessoas. Para isso, os nikkeis (imigrantes e descendentes de japoneses) realizam uma cerimônia religiosa com o intuito de mostrar a gratidão e pedir proteção contra doenças e o mau tempo.

    akima3

    A festa, realizada no Bunkyo de Mogi das Cruzes no Bairro da Porteira Preta, é uma oportunidade para conhecer e saborear a gastronomia japonesa, além de apresentações culturais tradicionais.
    Ao todo, a festa contará com mais de 100 estandes, divididos entre os setores automotivos, de prestação de serviços, mini-shoppings e importados, e outros 30 boxes somente na praça de alimentação. Há ainda o palco e demais áreas de convivência.

    Além de diversas excursões organizadas em diversas partes do país, este ano, o Expresso Turístico da CPTM também será uma opção para quem vier ao Akimatsuri no dia 8 de abril. Com saída às 8h30 da Estação Luz, em São Paulo, e o retorno previsto para às 18h, os turistas poderão aproveitar diversas atrações ao longo das 6 horas de permanência do trem na cidade. Esta será uma boa oportunidade para quem quiser curtir o evento e ainda fazer uma aconchegante viagem no trem turístico. O passeio é feito a bordo de uma composição formada por dois carros de aço inoxidável fabricados no Brasil na década de 60 e tracionados por uma locomotiva a diesel.

    Mais informações sobre as atrações estão disponíveis no site do Akimatsuri (www.akimatsuri.com.br). Os ingressos podem ser comprados pela internet ou no local. Estudantes, professores e idosos acima de 60 anos pagam meia-entrada. Crianças de até 7 anos não pagam.

    Os bilhetes para o Expresso Turístico podem ser comprados direto na CPTM e não contempla o transporte rodoviário nem os ingressos para o Akimatsuri.

    Compartilhar:

  • O turismo ferroviário do Alto Tietê

    Hoje, os trens turísticos transportam mais de 3 milhões de pessoas por ano no Brasil

    Postado dia 2 de março de 2017 às 09h em Viagens e Turismo

    ferroviário

    Foto: Reprodução

    O charme e o glamour das viagens de trem continua nos trilhos mundo a fora. Os serviços turísticos ferroviário trabalham sério para criar experiências cada vez mais agradáveis. Viajar por uma estrada de ferro remete os turistas a um tempo em que a viagem era tão importante quanto o destino.

    O Brasil ocupa hoje o 14º lugar no ranking mundial de países com o maior número de rotas turísticas ferroviária, segundo a ABOTIC (Associação Brasileiras das Operadoras de Trens Turísticos e Culturais).    

    São 31 passeios por todo país, desde uma pequena linha de 800 metros em Paranapiacaba, em Santo André – SP aos 892 km da Estrada de Ferro Carajás, a maior ferrovia de transporte de passageiros em operação do Brasil. Liga as cidades de Parauapebas, no Pará, à capital do Maranhão, São Luís.

    Mas os nossos 28 mil quilômetros de ferrovias não chegam aos pés dos 250 mil da Europa, onde o trem é o meio de transporte mais usual, que conecta mais de 20 países, e possui trens de passageiros que atingem mais de 300 km/h. E, ainda que pareça um despropósito, para se ter uma idéia, é possível ir de trem de Lisboa a Moscou, e de lá embarcar na Transiberiana, a maior viagem de trem do mundo, com 14 dias de duração, até Pequim.

    Hoje, os trens turísticos transportam mais de 3 milhões de pessoas por ano no Brasil, segundo a ABOTIC. Eles afirmam que programa e investimentos que devem o correr nos próximos anos podem triplicar esses números em 10 anos, principalmente pelo alto potencial turístico das vias que hoje se encontram abandonadas e improdutivas pelo país.

    O Alto Tietê entrou para o grupo de regiões atendidas por trens turísticos em 2009 com a vinda do Expresso Turístico para Mogi das Cruzes, uma viagem que resgata o glamour das antigas viagens do famoso Trem de Prata que cortava nossa região. Hoje com um percurso de 50 quilômetros entre a capital e Mogi das Cruzes, e duração de uma hora e meia, a bordo de uma locomotiva a diesel da CPTM, modelo Alco RS-3 de 1952, que conduz dois carros de passageiros, de aço inoxidável, fabricados no Brasil pela Budd – Mafersa nos anos 60. Cedidos pela ABPF (Associação Brasileira de Preservação Ferroviária).

    Desde 2015, a região do Alto Tietê conta com uma nova atração turística, o “Trem de Guararema”, com a maior locomotiva movida a vapor em operação no País, a Maria-Fumaça 353. 

    O passeio percorre um trajeto de 5,5 km entre as estações Guararema e Luís Carlos, a bordo da “Velha Senhora”, como é conhecida a locomotiva 353, que reboca três carros de passageiros da década de 1930 que comportam 50 passageiros cada. O projeto de restauração envolveu a Prefeitura de Guararema, órgãos públicos federais, iniciativa privada e entidade de preservação da memória ferroviária.

    Revitalizada, a locomotiva atende objetivos de preservar a memória ferroviária, e fomento ao turismo regional. Mas por questões operacionais e de demanda, o passeio turístico com a locomotiva é realizado apenas nos finais de semana e feriados.

    Mas o grande salto para o avanço do turismo ferroviário regional será a possível integrarão entre o Expresso Turístico e a Maria fumaça 353 em Sabaúna, distrito de Mogi das Cruzes. A expectativa de um trem turístico definitivo em Sabaúna, já é aguardada há anos pela comunidade que acredita no turismo como única fonte de geração de emprego e desenvolvimento.

    No entanto, um dos maiores desafios será quebrar o paradigma das concessionárias ferroviárias de que os trens de passageiros atrapalham o fluxo de carga, e ainda, buscar recursos para a construção de um pátio de manobras, revitalização da antiga estação e do centro de Sabaúna.

    Ainda não há nenhuma previsão para Sabaúna entrar no seleto grupo regiões turísticas que oferecem passeio de trem como atrativo.  A expectativa é grande, e não há duvidas que isso será um grande marco histórico para o turismo regional. Mas enquanto isso, você pode colaborar e fazer parte dessa história, prestigie com um passeio ou indique o turismo ferroviário do Alto Tietê, pois o aumento da demanda é fundamental para despertar a atenção dos grupos de interesse, como poder público, CPTM, MRS Logística, e empresários do setor.

    Serviço

    Expresso Turístico

    O bilhete do Expresso Turístico inclui passagem de ida e volta de São Paulo e pode ser adquirido na Estação da Luz. Custa R$ 45,00 por pessoa, mas existem descontos para compras com acompanhantes

    http://www.cptm.sp.gov.br/sua-viagem/ExpressoTuristico/Pages/Tarifas.aspx

    Embarque: às 8h30 na plataforma 4 da Estação da Luz

    Retorno: às 16h30 na plataforma da Estação Estudantes

    Mais informações

    Informações de roteiros locais: (11) 4761-9233.

    Trem de Guararema

    O valor atual é de R$50,00 por pessoa e os passeios ocorrem aos finais de semana, feriados e pontes de feriados, nos horários abaixo, mas podem ocorrer alterações:

    partida às 10h, chegando de volta às 12h30

    partida às 15h, chegando de volta às 17h30

    Condições especiais para agências, grupos e excursões. Para informações acesse o site: www.tremdeguararema.com.br

    Compartilhar:

  • Bairro do Itapeti recebe festival de orquídeas de outono

    Mogi das Cruzes oferece para você as mais belas flores em uma linda exposição no Festival de Outono de 2017

    Postado dia 17 de fevereiro de 2017 às 09h em Viagens e Turismo

    orquídeas

    Foto: Divulgação

    Altitude, clima favorável para cultivo e uma grande variedade de espécies faz Mogi das Cruzes figurar entre os maiores produtores nacionais de plantas ornamentais. O destaque vai para as orquídeas, que ganharam força a partir da década de 1980, quando foram introduzidas pelos imigrantes japoneses e seus descendentes.

    Hoje, o eixo Taboão-Itapeti possui 171 produtores de orquídeas e, no mundo onde todos buscam o seu diferencial, arrisco dizer que Mogi das Cruzes junta todos os elementos para ser chamada de Capital Nacional das Orquídeas, espécie reconhecida como “A Rainha das Flores”.

    orquidea1São 2,5 milhões de vasos por ano, o equivalente a 80% da produção nacional. Diante desses números, a cidade desperta um enorme interesse por parte dos orquidófilos, principalmente vindos da capital paulista, que vem a cidade em busca de novas espécies e conhecimento sobre o cultivo.
    Há cerca de 10 anos os orquidários de Mogi abriram suas portas para receber turistas e, desde então, é um negócio que vem crescendo no município. Imagine poder ver a diversidade de cores, formas e tamanhos, sentir o perfume, visitar as estufas e acompanhar todo o processo de seu desenvolvimento desde o nascimento em laboratórios de semeaduras e clonagens, passando por suas diversas etapas de crescimento até a fase adulta. Tudo isso é possível em Mogi das Cruzes, e por isso tem despertado tanto interesse aos turistas.

    orquideas3

    Os admiradores das orquídeas tradicionais podem se programar para participar do Festival de Orquídeas de Outono, realizado pelo Orquidário Oriental na Serra do Itapeti. A festividade começa no dia 4 de março e será realizada em três finais de semana, das 9 às 17 horas. Este ano a novidade fica por conta dos cursos gratuitos que serão oferecidos todos os dias de evento, às 13 horas e às 15 horas. A entrada e o estacionamento são gratuitos.

    Programação:

    orquideas (1)• Aberto ao público das 9 às 17h

    • Entrada franca

    • Estacionamento gratuito

    • Acessórios, substrato, vasos, entre outros

    • Playground

    • Cursos gratuitos (Todos os dias de evento, às 13h e às 15h)

    • Sorteios

     

    Informações:

    Orquidário Oriental: (11) 4795-3060.

    Local: Estrada São Bento-Lambari, km 27, Bairro do Itapeti – Mogi das Cruzes (próximo ao trevo de Santa Isabel, na Rodovia Presidente Dutra)

    Compartilhar:

  • Mogi das Cruzes abre o calendário da meia maratona K21 Series em 2017

    Atletas de todo o país e do exterior participam do Circuito K21 Series, considerado o maior do mundo no segmento de maratonas e meias maratonas Trail Run.

    Postado dia 3 de fevereiro de 2017 às 09h em Viagens e Turismo

    k21

    Foto: Ivan Padovani / Patagônia Eventos

    O circuito de 2017 começa com mais uma etapa de sucesso, os corredores irão percorrer trechos pela Serra do Itapeti, subindo até o popular mirante de Mogi das Cruzes, o Pico do Urubu.

    As inscrições para a etapa de Mogi das Cruzes, que será realizada no dia 04 de março, já estão abertas e as vagas são limitadas. A etapa com distâncias de 5km, 10km e 21km, oferece um evento de nível internacional com toda a qualidade de um circuito que está em mais de 8 países e contempla mais de 5mil corredores por ano.

    A primeira corrida do ano irá trazer muitos desafios entre trilhas fechadas, morros e muita terra. Com uma altimetria de 1.148m, os guerreios terão que chegar ao topo do Pico do Urubu nas distâncias de 10m e 21km, sendo que na modalidade de 5km, o desafio terá uma altimetria em torno de 900m.

    runner24

    Foto: Ivan Padovani / Patagônia Eventos

    Organizada ao redor do mundo pela Patagônia Eventos, e com apoio da Prefeitura de Mogi das Cruzes para a primeira etapa de 2017, o circuito tem como objetivo fornecer um serviço de excelência, criando experiências únicas para os atletas.

    Além do Brasil, o Circuito K21 Series passa pela Argentina, Peru, Colômbia, Equador, Espanha e Itália. Nesta etapa, o local escolhido para a realização da prova é envolto por belas paisagens, um mirante magnifico e uma ótima infraestrutura. Com certeza os atletas terão uma grande experiência no evento K21 Pico do Urubu.

    A corrida K21 vai muito além de um simples desafio, a prova de Mogi das Cruzes terá também Food Trucks, área de lazer e muito espaço para que as famílias aproveitem o dia em contato com a natureza. Além disso, o maior circuito trail do mundo continua com a campanha de doações que começou em 2016. Durante a Retirada de Kit, e no dia da prova, cada atleta pode levar 1kg de alimento não perecível ou uma peça de roupa para doação. Posteriormente, uma entidade de Mogi das Cruzes assistida pelo Fundo Social de Solidariedade será escolhida para receber as doações. A doação não é obrigatório, mas a KSeries estimula essa ação entre os atletas em todas as etapas.

    runner13

    Foto: Ivan Padovani / Patagônia Eventos

    Outro projeto que a KSeries Brasil irá continuar em 2017 é o Trilha Limpa. Com uma campanha nas Redes Sociais para estimular a consciência entre os atletas, a frase “lugar de lixo é no lixo” será um dos lemas do circuito nesse ano. Depois de cada prova, todas as trilhas usadas ficarão completamente limpas e o lixo será enviado para a Coleta Seletiva.

    Mogi das Cruzes foi escolhida por ser uma cidade que oferece condições ideais para a prova, tanto na questão de dificuldades de percurso, belezas naturais, sua proximidade com São Paulo e por sua estrutura e apoio do município.

    É muito importante para o município receber um evento desse porte, ele reforça a vocação que Mogi possui para o turismo de aventura. Nossa cidade, tem ótimas alternativas para passeios de um dia ou de final de semana.

    Na edição do ano passado, 1.280 atletas vindos de fora, movimentaram hotéis e comércios, gerando um impacto positivo na economia local.

    runner17

    Foto: Ivan Padovani / Patagônia Eventos

    As inscrições para os Atletas Portadores de Necessidades Especiais (PNE) são gratuitas,  e devem ser feitas através de contato com a equipe da KSeries Brasil. Os atletas do programa de inclusão social recebem uma premiação especial no final de cada etapa.

    Os atletas residentes em Mogi das Cruzes terão um desconto especial de 30% nas inscrições. Para obterem o desconto é necessário entrar em contato pelo e-mail brasil@patagoniaeventos.com.

    Inscrições e informações: https://k21series.com/carrera/mogi-das-cruzes/

    Galeria:

    Fotos por Foto: Ivan Padovani / Patagônia eventos

    Compartilhar:

  • Um novo caminho para o Turismo de Mogi

    O setor de turismo da cidade de Mogi das Cruzes foi presenteado no dia 13 de dezembro com dois projetos importantes para o desenvolvimento do turismo

    Postado dia 27 de dezembro de 2016 às 09h em Viagens e Turismo

    Mogi

    Foto: Reprodução – Turistas saltam de parapente no Pico do Urubu

    Foram aprovados na Câmara Municipal de Mogi das Cruzes os Projetos de Lei, que tratam do Plano Diretor de Desenvolvimento Turístico da cidade e do Serviço de Transportes Turísticos, Recreação e Lazer.

    A iniciativa do projeto de lei partiu da Coordenadoria de Turismo de Mogi das Cruzes que desde 2013, com apoio da Escola de Comunicação e Artes da Universidade de São Paulo – USP, trabalhou para realização do Plano Diretor de Desenvolvimento Turístico.

    Foram diversas visitas, pesquisas, realizações de audiências públicas e reuniões com o setor de turismo, sempre com o competente acompanhamento das Professoras Doutoras Débora Braga, Karina Solha e Clarissa Gagliardi da ECA.

    O Plano Diretor de Desenvolvimento Turístico de Mogi das Cruzes será um instrumento de planejamento importante, capaz de orientar o desenvolvimento econômico, político e social com sustentabilidade para o turismo da cidade. O documento consolida o trabalho realizado no setor desde 2009 com a implantação da Coordenadoria de Turismo, vinculada à Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico e Social.

    Mogi das Cruzes é uma cidade com mais de 450 anos de história. Localizada a 50 quilômetros de São Paulo com acesso fácil ao aeroporto internacional de Guarulhos. Tem mais de 65% do seu território situado em área de preservação ambiental, o que representa a segunda maior reserva de Mata Atlântica do Estado, repleta de belezas naturais e espécies raras da fauna e flora, fatores importantes que aliados ao Plano Diretor de Desenvolvimento Turístico, tornarão essa cidade referência em turismo num futuro próximo.

    Contudo, Mogi tem transformado seu perfil turístico. Além da vinda do Expresso Turístico e o destaque para o turismo rural, de aventura e o cicloturismo, os avanços no turismo mogiano passam pela reformulação do Conselho Municipal de Turismo – Comtur e ampliação da rede hoteleira. Mogi das Cruzes tornou-se um local atrativo para a realização de grandes eventos. Neste período, a cidade recebeu 106 eventos turísticos com um público estimado de 199.105 pessoas. Um dos destaques foi a vinda da seleção belga de futebol durante a Copa do Mundo em 2014.

    O Plano Diretor estabelece objetivos, metas, estratégias, programas e propostas de projetos que direcionará o setor pelos próximos três anos, período em que deverá ser feito uma revisão, sendo que as alterações serão submetidas à apreciação do Comtur. O documento fará parte de um processo permanente de planejamento municipal em conjunto com o seu público de interesse, envolvendo os segmentos que compõem a cadeia produtiva do turismo.

    Quanto ao projeto de transportes turísticos, também foi outra luta, agora, o transporte de passageiros em veículos 4×4, buggs, carros recreativos rebocados, e outros citados na lei, terão regras específicas, o que contribuirá com a criação de novos negócios no setor de turismo.

    Mogi das Cruzes tem recebido muitos turistas para a prática de turismo de aventura, turismo rural, turismo ecológico, e com essa nova legislação, novos empreendedores aproveitarão essas oportunidades.

    A partir de agora, quaisquer atividades turísticas que venham a se instalar no município, independente da origem, deverão observar as diretrizes dispostas no Plano Diretor de Desenvolvimento Turístico, e na lei de Serviço de Transporte Turístico, Recreativo e de Lazer.

     

    Compartilhar:

  • Fruticultura Hoçoya promove terceira edição de Colha e Pague da Lichia

    Em janeiro de 2017, a Fruticultura Hoçoya terá um receptivo especial para todos que apreciam a lichia

    Postado dia 15 de dezembro de 2016 às 08h em Viagens e Turismo

    lichia

    Foto: Reprodução

    Os apreciadores da fruta poderão colher e saboreá-la diretamente do pé. Após muitos anos dedicados à produção de frutas, a família Hoçoya abre pela terceira vez a porteira da propriedade para receber os visitantes em um dia de passeio no campo com a oportunidade de experimentar o verdadeiro sabor da fruta fresca.

    O passeio inclui ainda café da manhã (café, leite, suco, torradas, patê, carne maluca, geleia, dois tipos de bolo doce, torta salgada, cuscuz paulista e frutas da época para degustação), visita monitorada pela propriedade e o sistema colhe e pague. Para a programação de meio período, o custo é de R$ 42,00 por pessoa.

    lichiacapaA Fruticultura Hoçoya possui uma área de 12 hectares produzindo grande variedade de frutas, como caqui, nêspera, atemóia, pêra, lichia e pitaya. Recebeu diversos prêmios e outros destaques em festas regionais. Por 30 anos consecutivos, o caqui fuyu produzido na Hoçoya foi eleito o melhor.

    A lichia é considerada uma fruta exótica no Brasil. É consumida fresca ou industrializada na forma de doces, geleias e polpas. A polpa é branca, rica em vitamina C, potássio, cálcio, fósforo e ferro.

    A lichia é o fruto de uma planta subtropical de grande porte, com altura de 10 a 15 m, semelhante à mangueira, mas que apresenta a tendência de desenvolver ramos direcionados para o solo. As variedades plantadas no Brasil são Bengal, Brewster (frutos e caroços grandes) e Americana (frutos e caroços pequenos).

    Serviço: FRUTICULTURA HOÇOYA
    Rodovia Professor Alfredo Rolim de Moura, Km 67.
    Cocuera – Mogi das Cruzes – SP (11) 4761 1531
    www.hocoya.com.br – contato@hocoya.com.br

    Compartilhar:

  • Mogi das Cruzes receberá o Trem das Orquídeas em dezembro

    Nesta edição, o evento fará parte do roteiro oferecido pela cidade aos visitantes do Expresso Turístico, o trem de turismo que resgata todo o glamour das antigas viagens férreas da década de 50

    Postado dia 30 de novembro de 2016 às 08h em Viagens e Turismo

    trem

    Foto: Reprodução

    Conhecido pelas edições temáticas de sucesso, como o “Trem das Marchinhas”, Trem de Natal” e o “Trem da Cerveja”, o Expresso Turístico chegará a Mogi das Cruzes no próximo dia 10 de dezembro com uma tema especial. Desta vez, a homenagem será para um dos destaques da produção agrícola local, a orquídea. O chamado de “Trem das Orquídeas” tem saída prevista para as 8h30 da Estação da Luz em São Paulo com destino a Mogi das Cruzes, onde será realizado o Festival de Orquídeas – Edição Verão 2016.

    O consagrado roteiro turístico mogiano tem como destino o Orquidário Oriental, no bairro do Taboão, que realiza 4 festivais por ano, um para cada estação, sendo que sua edição de verão terá início no dia 3 de dezembro e prosseguirá até o dia 11, das 9 às 17h, somente aos finais de semana.

    Nesta edição, o evento fará parte do roteiro oferecido pela cidade aos visitantes do Expresso Turístico, o trem de turismo que resgata todo o glamour das antigas viagens férreas da década de 50, num trajeto de 48 quilômetros entre a Estação da Luz, na Capital, e Mogi das Cruzes.

    Em uma hora e trinta de viagem, em vagões confortáveis puxados por uma antiga locomotiva, os passageiros chegam a Mogi das Cruzes, conhecida principalmente pela sua produção de frutas, em especial o caqui, e claro, pelas flores, que fazem do município a Capital Nacional das Orquídeas, por ser um dos maiores produtores.

    O Circuito das Flores de Mogi das Cruzes fica a cerca de 30 minutos da Estação Estudantes, local de desembarque do Expresso Turístico e o traslado opcional será feito através de uma agência de viagens, sendo que o passeio poderá ser adquirido diretamente na Estação da Luz. Mogianos que não vierem no trem também podem adquirir o roteiro para participar do Festival de Orquídeas.

    No Orquidário Oriental, o turista poderá conferir o melhor do Festival de Orquídeas de Verão e aproveitar o que a natureza reserva de melhor para a estação mais quente do ano. Há uma variedade imensa de espécies de orquídeas, com destaque para a laelias purpuratas, variedade originária da Mata Atlântica e que possuem folhagem decorativa, e florescem em diversas cores.

    E as atrações não param por aí, o público poderá desfrutar das delícias oferecidas na praça de alimentação que oferece no cardápio pratos orientais e típicos da cozinha brasileira. Uma das atrações, disponível para adultos e crianças, é o passeio com uma carretinha preparada para passageiros e puxada por um trator. O veículo realiza um trajeto pela propriedade mostrando belas paisagens com uma grande diversidade de árvores frutíferas e plantas ornamentais.

    O bilhete do Expresso Turístico inclui passagem de ida e volta de São Paulo e pode ser adquirido na Estação da Luz. Custa R$ 45,00 por pessoa, mas existem descontos para compras com acompanhantes (http://www.cptm.sp.gov.br/sua-viagem/ExpressoTuristico/Pages/Tarifas.aspx). O translado com toda a comodidade, com serviço de guia de turismo e mais o seguro viagem será oferecido pela THG Turismo/Viagens de Trem ao custo de R$ 79,00 por pessoa. As reservas podem ser feitas pelo telefone (11) 4761-9233 ou pelo e-mail contato@viagensdetrem.com.br

    Compartilhar:

  • Club Med chega a Mogi das Cruzes

    Neste final de ano o paradisíaco espaço construído pelo mogiano Fumio Horii em Jundiapeba, passará a ser o quarto Village do Club Med no Brasil

    Postado dia 31 de outubro de 2016 às 09h em Viagens e Turismo

    Foto: Divulgação

    Foto: Divulgação

    O turismo no mundo vem crescendo muito nas últimas décadas. Vários são os fatores que explicam e contribuem para esse crescimento: a melhoria dos transportes, o desenvolvimento das ferramentas de comunicação, o aumento no número de aposentados com alto poder aquisitivo e, principalmente o aumento do tempo livre.

    Um cenário que vem favorecendo a proliferação de resorts por todo o mundo. Muito comuns no Caribe, no Brasil tais empreendimentos predominam na costa brasileira, mas já se fazem presente também no interior do país, como é o caso do antigo Paradise Lake & Resort que agora fará parte da rede Club Med.

    É isso mesmo, neste final de ano o paradisíaco espaço construído pelo mogiano Fumio Horii em Jundiapeba, passará a ser o quarto Village do Club Med no Brasil. O local passará a se chamar Lake Paradise e foi escolhido pelo grupo francês por toda estrutura que já ofere e sua localização estratégica, praticamente ao lado da capital paulista, no município de Mogi das Cruzes.

    O Lake Paradise, depois de um período de adaptação e reestruturação, reabriu suas reservas aos hóspedes comuns para hospedagens a partir de 15 de dezembro. O resort possui 374 apartamentos espalhados por cinco prédios, um campo de golfe de 18 buracos considerado dos melhores, bares e restaurantes variados, salões para recepções, parque aquático, espaços infantis e às margens do lago da Represa de Taiaçupeba.

    Foto: Divulgação

    Foto: Divulgação

    Com decoração assinada pelo renomado arquiteto francês Marc Hertrich, o Club Med Lake Paradise é perfeito para os esportes náuticos. O local é ideal para escapar da rotina das grandes cidades e compartilhar momentos agradáveis em família, com os amigos ou para uma viagem de negócios. Dentre as principais atividades esportivas que estarão disponíveis para os hóspedes estão: tênis, stand up paddle, slackline, vela, caiaque, arco e flecha, arvorismo, escalada, academia, basquete, futebol, aquafitness, bicicletas para passeios, entre outros.

    Sob a administração do grupo francês, promete proporcionar experiências inesquecíveis aos hóspedes que se dispoe a pagar por duas noites, o casal, a quantia de R$ 2.800. Preço esse que não valerá para datas especiais. No final do ano, para o Revéillon, a estada mínima permitida será de sete noites, de 29 de dezembro a 5 de janeiro. Neste caso, pode-se optar por acomodações que vão de R$ 17.800 a R$ 44.500. O mesmo pacote, em fevereiro, tem preços a partir de R$ 7.700. Mas não se assuste, pois todos os preços são all incluse, ou seja, estão incluídas refeições e bebidas.

    Não podemos esquercer do impacto positivo e novas oportunidades para o setor de turismo de Mogi das Cruzes que um empreendimento como esse pode trazer. A cidade tende a consolidar-se cada vez mais como destino turístico de relevância. E, todo esse movimento mostra claramente o interesse da rede em expandir cada vez mais sua operação no Brasil.
    Com investimentos da ordem de R$ 20 milhões para adaptações no empreendimento aos padrões Club Med, o resort vai operar sob a chancela de 4 Tridentes, seguindo a nomenclatura de categoria hoteleira da rede. A rede hoje já conta com três outros resorts no país: Rio das Pedras (Costa Verde do Rio de Janeiro), Trancoso (Bahia) e Itaparica (Bahia).

    Compartilhar:

Página 1 de 3123