Colunistas

avatar

Marcia Benalia

Profissão: Consultora de amamentação

Cidade:

Comunicóloga, com pós - graduação em Psicologia e Maternidade, Doula, Consultora de Amamentação e Instrutora de Shantala, certificada pelo Instituto GAMA (Grupo de Apoio a Maternidade Ativa) e Consultora em Aromaterapia para gestantes, certificada pela Aromaflora com especializações realizadas no IBRA( Instituto Brasileiro de Aromatologia) e no curso “Os óleos Essenciais e o Cuidado com a Pele” com Robert Tisserand.

  • Como saber se o bebê está mamando o suficiente

    Em toda mamada a dúvida é a mesma: será que o bebê mamou o suficiente?

    Postado dia 28 de novembro de 2016 às 08h em Meninas e Mulheres

     

    mamando

    Foto: Reprodução

    O bebê com um dia de vida possui um estômago do tamanho de uma cereja. No terceiro dia, do tamanho de uma noz. Com uma semana, de uma ameixa e com um mês, de um ovo grande.

    Se o estômago do bebê é pequeno, por que ele quer mamar toda hora?

    – Por ter um estômago pequeno, o bebê mama um pouco e já se satisfaz. O leite materno, ao contrário do leite artificial, é de fácil digestão. Então, o bebê mama, o alimento é digerido e… ele está pronto para outra mamada!

    O bebê chora sem parar e ao ser colocado no peito, se tranquiliza. É fome?

    – Amamentar é nutrição e prazer. Os bebês tem necessidade de sucção. Sugar dá prazer, tranquiliza. Portanto, se seu bebê acabou de mamar e ao ser tirado do peito começa a chorar, não significa necessariamente que ele está com fome. Significa que ele quer e precisa de aconchego, ficar perto da mãe, ter a pele dela em contato com a dele para se sentir seguro.

    Devo dar fórmula para complementar a amamentação?

    – O complemento deve ser dado com indicações reais de necessidade, detectadas pelo pediatra. Fora estes casos, não deve ser oferecido. O leite materno é completo e supre todas as necessidades do bebê.

    O corpo do bebê é preparado para receber leite humano, assim como o bezerro é preparado para receber leite de vaca!

    Meu filho não é gordinho como os bebês de propaganda. Meu leite é fraco?

    – Existe uma média de ganho de peso que o bebê deve adquirir nos primeiros meses de vida, mas saiba que os bebês herdam características físicas dos pais. Se a mãe tem estatura pequena e o pai mediana, não adiante sonhar com um bebê gigante. Bebê gordo não significa que ele seja saudável, assim como bebê magro não significa que ele seja doente. O pediatra, nas consultas mensais não avalia apenas o ganho de peso para saber se a criança está se desenvolvendo dentro dos parâmetros. Outros aspectos como a vivacidade do bebê, desenvolvimento motor e crescimento também são verificados. Minha filha, por exemplo, sempre foi comprida e magra!

    Amamente sem regras de horários. Dê o peito sempre que o bebê solicitar. Amamentar é amor! Não prive seu filho de receber este carinho. É cansativo para a mãe, porém é recompensador!

     

    Compartilhar:

  • Desmame, existe data certa para ele acontecer?

    Basta se preparar para este momento. Como tudo na vida, quando estamos prontas, conseguimos realizar qualquer coisa com facilidade

    Postado dia 22 de setembro de 2016 às 10h em Meninas e Mulheres

    desmame

    Foto: Reprodução/Internet

    O desmame é um assunto que aflige muitas mães. Seja o desmame porque a mãe acha que o bebê já está grande e não precisa mais mamar, seja o desmame noturno, desmame por conta da volta ao trabalho da mãe, entre outros. E aí, as dúvidas aparecem… Tem que ocorrer em uma data específica? É sempre traumático? Precisa acontecer mesmo sendo prazeroso para a mãe e o bebê?
    Antes de responder a essas perguntas, como consultora de amamentação, vou listar os benefícios do leite materno!

    O leite materno proporciona benefícios incontestáveis para o bebê. A OMS (Organização Mundial da Saúde) recomenda o aleitamento até os dois anos de idade. Então, não se sinta culpada se seu bebê já anda e fala e pede tetê!

    Caso você se sinta confrontada e compelida a interromper o aleitamento materno, use os argumentos abaixo:

    1 – Crianças amamentadas são mais ajustadas socialmente.
    2 – Crianças amamentadas têm menos alergias.
    3 – Crianças amamentadas adoecem menos.
    4 – O leite materno é uma fonte importante de proteína, gordura, cálcio e vitaminas.

    O mais incrível é a capacidade do corpo humano de produzir de acordo com a necessidade! Os fatores de imunidade do leite materno aumentam à medida que os bebês crescem e diminuem a frequência das mamadas, por conta da introdução dos alimentos necessários ao seu desenvolvimento.

    Ou seja, para a criança que mama menos conseguir obter o mesmo benefício das crianças menores que mamam com maior frequência, o corpo humano produz um leite mais “concentrado”, que proporciona a ingestão de todos os nutrientes que seriam ofertados em diversas mamadas!

    Se, mesmo com as informações acima, você ainda achar que seu filho já mamou o suficiente, saiba que, ao ingerir 500ml de leite materno, uma criança de 2 anos recebe:

    – 95% do total de vitamina C necessária.
    – 45% do total de vitamina A necessária.
    – 38%do total de proteína necessária.
    – 31% de caloria do total necessária.

    Mas, se o desmame for inevitável, antes de este momento chegar, decida com o pediatra sobre a alimentação do seu bebê. Se não for possível oferecer o leite materno, decida qual fórmula será escolhida e como este alimento será oferecido para ele.

    Eu recomendo o uso de copinho, caso o bebê tenha sido amamentado ao menos 6 meses no peito. Se for possível, pule a mamadeira. Ela parece maravilhosa, ainda mais quando se ganha uma coleção no chá de bebê, mas ela não é tão amiga quanto você pensa!!

    Então, como finalizar um ciclo tão importante tanto para o bebê quanto para a mãe, de forma tranquila? Difícil? Nem tanto. Basta se preparar para este momento. Como tudo na vida, quando estamos prontas, conseguimos realizar qualquer coisa com facilidade.

    Cabe a você, mãe, decidir o que é melhor para você e seu filho.

    O importante é passar por esta transição com muita tranquilidade para não causar traumas. O desmame é apenas uma das inúmeras fases que nós mães passaremos com nossos filhos. Depois, teremos que ampará-los na saída das fraldas!!!

    Na vida das mães, todo dia é um desafio e o prêmio por vencê-lo é o sentimento de satisfação de ver nossos filhos crescerem saudáveis e felizes.

    Compartilhar:

  • O que é uma doula pós-parto?

    Existem momentos na vida que precisamos de todo o apoio do mundo e o nascimento de um bebê é o maior de todos estes momentos! Não tenha receio de pedir ajuda. Ela é necessária!

    Postado dia 19 de agosto de 2016 às 09h em Meninas e Mulheres

    doula

    Foto: Reprodução/Internet

    Até pouquíssimo tempo atrás, ao conversar com gestantes e perguntar se elas haviam contratado uma doula para acompanhá-las nesta fase mágica que é a gestação e o parto, as respostas que eu recebia eram: “O que é uma doula?”  “O que ela faz?”  “Como é um parto com uma doula?”  “Doula é parteira?”

    Com a disseminação de informações, hoje sabemos que doula não faz parto e sim, dá suporte físico e psicológico à mulher, mas poucos conhecem realmente o significado de trazer um bebê ao mundo através de um parto humanizado e como dar continuidade a esta humanização após o parto!

    A chegada de um bebê na família causa modificações profundas na mãe, no pai, no ambiente e na relação de toda a família. Por mais que todos os envolvidos tenham se preparado, descobre-se que era necessário um pouquinho mais de mais preparo!!!

    Bebês não são bonecos que podemos ligar  e desligar. Os primeiros meses são intensos para a mãe. Amamentação em livre demanda, acolhimento ao bebê, cólicas, choro, dor ao amamentar. O puerpério não é nada fácil! Para completar, temos a dança dos hormônios no corpo da mulher, fazendo-a se sentir feliz por ser mãe e triste por ter que lidar com tanta demanda.

    Como suavizar este período? Com apoio! Rede de apoio é imprescindível para acolher a mulher que de filha, passou a ser mãe!

    Nas grandes cidades, a figura da avó, cunhada, irmã, tia ou demais parentes já não é mais tão presente no puerpério. A vida moderna obriga a todas a trabalharem fora para manter o orçamento familiar e por conta disso não conseguem cercar a puérpera(mulher que teve bebê recentemente) de atenção. É justamente nesse momento que a doula pós-parto se faz tão necessária.  Ela poderá oferecer auxílio na amamentação,  no sono do bebê, massagens (tanto para mãe, quanto para o bebê), informações sobre o cuidado com o recém-nascido, ficar com o bebê enquanto a mãe simplesmente se desliga de tudo e aproveita para tomar um banho demorado, fazer as unhas e cabelos ou simplesmente ficar sem fazer nada!

    Existem momentos na vida que precisamos de todo o apoio do mundo e  o nascimento de um bebê é o maior de todos estes momentos!  Não tenha receio de pedir ajuda.  Ela é necessária!

    Conheça mais sobre o trabalho de uma doula pós-parto acessando o site www.astramaterna.com.br.

    #:
    Compartilhar:

  • Amamentar é dar amor líquido ao seu bebê!

    Amamentar não é fácil, mas é um ato de amor! Insista nesta prática!

    Postado dia 26 de julho de 2016 às 09h em Meninas e Mulheres

    amamentar

    Foto: Reprodução/Internet

    Olá,

    Agosto está chegando e, junto com ele, a semana mundial da amamentação!

    Neste post, falaremos sobre a importância do leite materno e como ele contribui para a saúde e desenvolvimento do bebê.

    Logo que a criança nasce, é muito importante que ela fique com a mãe. Este primeiro contato, durante a primeira hora de vida, terá uma grande influência no sucesso da amamentação.

    Os bebês já nascem com o instinto de sugar, basta colocá-los para mamar. Mas, ao contrário dos filhos, muitas mães precisam de ajuda neste momento. Para algumas (muitas) mulheres, amamentar não é algo instintivo.

    Dor, pressão social, falta de apoio familiar, falta de conhecimento e capacidade de acreditar no próprio corpo são alguns dos fatores que acabam prejudicando o processo natural da amamentação.

    Nas primeiras mamadas, o bebê recebe o colostro, considerado a primeira vacina da vida da criança. Por mais que a indústria alimentícia tente, ela ainda não conseguiu criar uma fórmula que contenha todos os nutrientes presentes no colostro!

    A descida do leite, ou apojadura, acontecerá de dois a três dias após o parto. Muitas mães, sem saber deste prazo, já entram em desespero, achando que não possuem leite, que não conseguirão amamentar. E assim acabam sucumbindo ao leite artificial, oferecido aos bebês em mamadeiras.

    Para o sucesso na amamentação, são necessários muita paciência e amor. É uma doação da mãe para o bebê. É importante ter alguém do lado que entenda o momento pelo qual a puérpera está passando e que possa auxiliá-la.

     

    Vantagens do aleitamento materno:

    • Crianças amamentadas adoecem menos.
    • Crianças amamentadas têm menos alergias.
    • O leite materno é uma fonte importante de proteína, gordura, cálcio e vitaminas.
    • A amamentação fornece um vínculo único entre a mãe e o bebê.

    Amamentar não é fácil, mas é um ato de amor! Insista nesta prática!

    Compartilhar:

  • As mães é que sabem!

    O universo materno é um território fértil, de constante aprendizado

    Postado dia 30 de junho de 2016 às 08h em Meninas e Mulheres

    mães

    Foto: Reprodução/INternet

    Ser mãe de dois filhos encantadores, Vinícius, 17 anos, e Isadora, 4, contribuiu para que eu pudesse me conectar com o lado mais íntimo da maternidade, aprendendo e nutrindo o desejo de auxiliar mulheres que estejam passando por este momento mágico que é a chegada de um bebê.

    Diante da vontade de dividir meus conhecimentos, nasceu a Astra Materna, uma empresa voltada ao acolhimento da mulher na gestação, no parto, no puerpério e nos primeiros anos do bebê.

    Fui convidada a escrever para a Sociedade Pública e quero aqui, nesse espaço, compartilhar dicas para as mães e parceiros/as que queiram ter qualidade de vida com seus pequenos. A Astra Materna está aqui para fazer toda a diferença na vida das pessoas! A cada artigo, falarei um pouco mais sobre os benefícios de práticas como a shantala, que traz conforto, reduzindo cólicas e auxiliando no sono do bebê, as dificuldades na amamentação, preparação para o parto e o pós-parto, entre vários outros assuntos.

    Falar sobre maternidade é algo tão prazeroso que nos faz querer saber sempre mais! Vamos compartilhar experiências – afinal, ninguém sabe mais sobre filhos do que as próprias mães!

    Quero formar, aqui, uma rede de apoio para as mulheres que querem e precisam para criar seus filhos. Um porto seguro para onde elas possam correr quando tudo estiver fora do controle, sem que sejam julgadas.

    Deixo aqui um ensinamento: quando fazemos com o amor, o retorno é garantido!

    Até minha próxima coluna.

    Beijos da Márcia

     

    #:
    Compartilhar:

Página 1 de 11