Colunistas

avatar

Juliano Abe

Profissão: Advogado

Cidade: Mogi das Cruzes

Juliano Abe, vice-prefeito de Mogi das Cruzes, é advogado pós-graduado em Direito Ambiental pela USP e consultor em meio ambiente com especialização em Gestão Ambiental e Sistemas de Gestão Integrada

  • Sorria para os drones!

    A utilização de drones permite a medição de áreas de desmatamento, fiscalização de queimadas e caça, além de patrulhamento contra pesca predatória.

    Postado dia 10 de maio de 2017 às 08h em Sociedade e Política

    Foto: Reprodução

    Foto: Reprodução

    Com 731 quilômetros quadrados de extensão territorial e os mais significativos fragmentos de Mata Atlântica da região metropolitana, Mogi ganha o poder da tecnologia na complicada tarefa de monitoramento ambiental. Desde 31 de janeiro, está autorizado o uso de drones para fiscalização pela Polícia Ambiental paulista. 

    O tamanho da área e o volume de agressões tornam a vigilância lenta e ineficaz. São poucos policiais e recursos insuficientes, o que facilita a proliferação de ilegalidades, dos danos ambientais e da impunidade. Há repetidos casos de devastação causada por construções em áreas protegidas, especulação imobiliária, caça de animais – até do nosso sagui-da-serra-escuro, ameaçado de extinção –, queimadas e todo tipo de agressão ambiental.    

    Foto: Juliano Abe

    Foto: Juliano Abe

    A utilização de drones permite a medição de áreas de desmatamento, fiscalização de queimadas e caça, além de patrulhamento contra pesca predatória. O equipamento chega a percorrer 90 quilômetros por hora a uma altura de 500 metros de quem o opera. A tecnologia minimiza a necessidade de acesso físico aos pontos monitorados, possibilitando mapear cursos d’água, matas e estradas fechadas. 

    O drone tem baixo custo de aquisição e manutenção, além de operação simples. Em estados onde a utilização do equipamento já começou, os operadores são agentes que praticavam aeromodelismo. Essa tecnologia proporciona efetividade até por ser um aparato discreto. Quando os transgressores percebem a aeronave não tripulada, os atos ilegais já foram fotografados e filmados. 

     A expectativa é que o governo paulista autorize o uso de drones pelas demais áreas da polícia. Também seria de grande valia, por exemplo, no combate a incêndios e até para coibir os tão corriqueiros roubos de carga, entre outros crimes. Vou além. Penso que precisamos regulamentar o uso dessa tecnologia nas áreas urbanas com alta densidade demográfica. Sorria para os drones!

    Compartilhar:

  • Atuação consorciada

    A palavra latina consórcio significa parceria. O conceito define o papel do Consórcio de Desenvolvimento dos Municípios do Alto Tietê (Condemat)

    Postado dia 20 de fevereiro de 2017 às 09h em Sociedade e Política

    consórcio

    foto: rperodução

    O crescimento geográfico transformou a conurbação numa patente de cidades cuja malha urbana está unificada. Igualmente, a maioria dos problemas são comuns e as soluções têm alicerce regional.

    A elevação da qualidade de vida exige, cada vez mais, a implementação de políticas públicas de caráter regional. “Pensar globalmente para agir localmente” é uma questão de sobrevivência. Os prefeitos reunidos no Condemat, todos com talento, experiência administrativa e boa vontade, terão desafios ainda maiores que reivindicar verbas e obras do Estado e da União.

    condemat

    É importante a atuação conjugada, apoiada pelos deputados federais e estaduais da Região, para pressionar por melhorias de interesse comum. Mas, os gestores têm cacife para desenvolver projetos e colocar em prática iniciativas consorciadas de alta repercussão social. Sem, necessariamente, depender de repasses financeiros das outras esferas de governo. Exceto, na condição de parceiros. E, claro, respeitando a realidade orçamentária de cada município.

    Vejam o Samu mogiano, que resulta de um consórcio entre Mogi, Biritiba Mirim, Salesópolis, Guararema e Arujá. Ninguém passou o pires para coletar recursos. O projeto foi acolhido dentro do programa federal existente, dotado de investimento e custeio já fixados para esse propósito.

    Vou mais longe. O Laboratório Municipal de Exames Diagnósticos de Mogi das Cruzes, administrado em parceria com Albert Einstein Medicina Diagnóstica, tem estrutura e recursos para atender também demandas de cidades vizinhas. Bastaria a formalização de consórcio para que cada município parceiro arcasse com sua cota financeira no serviço, contemplando sua população.

    O Condemat tem a função elementar de garantir o desenvolvimento de políticas públicas entre as cidades consorciadas, com o foco na melhoria da qualidade de vida dos habitantes. Assim tem sido desde a época da Associação dos Municípios do Alto Tietê (Amat). É indispensável participação e empenho direto de todos nós, homens públicos, no sentido de manter esse espírito coletivo e zelar para que o Condemat permaneça imune aos riscos de utilização político-eleitoral. Que venham os resultados esperados!

     

    Compartilhar:

Página 1 de 11