Colunistas

avatar

Fabio Gabas

Profissão: Médico

Cidade: São Paulo

Clínico dedicado aos estudos da medicina Preventiva e Integrativa. Atende na Clínica Healthy em São Paulo, e médico sócio da Clínica Gabas Revitaliza em Catanduva, desde 2003.
Criador e idealizador do Programa Despertando Vidas, que já atendeu milhares de pessoas em diferentes municípios, baseado em mais de uma década de suas pesquisas em saúde integrativa e qualidade de vida. www.programadespertandovidas.com.br
Autor do Livro “Despertando Vidas”
CRM 95.581

  • Longevidade sem mitos

    Estudos sugerem que essa conexão com a família e sociedade, o sentimento de pertencer a um grupo, acrescenta 14 anos à expectativa de vida

    Postado dia 4 de abril de 2017 às 10h em Saúde e Bem Estar

    longevidade

    Foto: Reprodução/Internet

    Bom dia amigos!

    Creio que a maioria de vocês já conhece o que é a medicina integrativa/funcional, seus conceitos de prevenção, interação do meio ambiente com nossas características constitucionais, determinando um terreno biológico, que este sim, é quem ativa os sintomas e doenças que conhecemos. No entanto, esse trabalho também é denominado por alguns grupos de medicina anti-aging, que significa medicina anti-envelhecimento. Mas será que é possível retardar, evitar ou mesmo reverter o envelhecimento?

    Infelizmente, diferente do que talvez alguns gostariam, hoje nada disso é possível. Não podemos parar, retardar e muito menos reverter algo que é natural e fruto de uma programação biológica universal e inevitável, repito, até hoje na Terra. No entanto, gostaria de fazer alguns comentários aqui, que de certa forma justificam este termo e no final quero compartilhar com vocês algumas características comuns as milhares de pessoas no mundo que hoje já passaram dos 100 anos de idade com saúde e qualidade de vida.

    Como a maioria de vocês já deve saber, nossos genes humanos tem uma programação para permitir vida até os 120 anos de idade. Porém observamos que passados os 70, 72 anos, as doenças crônicas degenerativas associadas à velhice comprometem drasticamente a saúde e o bem estar, debilitando física, emocional e mentalmente os idosos e contribuindo com esta expectativa de vida média, em países desenvolvidos, próxima aos 76 anos para homens e 80 anos para mulheres. Não podemos parar ou reverter o envelhecimento, mas podemos interferir para que mais pessoas consigam chegar com saúde e independência próximo desses 120 anos. E a esta possibilidade real de extensão de vida, não somente em anos mas principalmente em qualidade, através de inúmeras ferramentas disponíveis hoje, alguns denominam anti-envelhecimento.

    O escritor e explorador da National Geografic, Dan Buettner, pesquisou alguns países na chamada Blue Zone, comunidades de alguns países que vivem com vigor e alegria, batendo recordes em expectativa de vida, e elaborou uma pirâmide da longevidade, composta pelas seguintes faixas:

    Na faixa mais alta, ou no topo desta pirâmide, ele colocou “movimentar-se naturalmente”. Em suas pesquisas, ele observou que nas atividades diárias dessas pessoas, elas se movimentam frequentemente, seja em atividades no campo, caminhadas na natureza, ou mesmo o fato dos japoneses terem o habito de sentarem-se no chão e terem que levantar-se 30 à 40 vezes por dia. Se forem fazer alguma atividade como esporte, só o que realmente gostam!

    diagramaNa segunda faixa, abaixo do topo, ele coloca “Propósito de Vida e Atividades meditativas anti-estresse”. Ele ficou impressionado como em Okinawa – Japão, uma das comunidades desta Blue Zone, ninguém sabe o significado da palavra aposentadoria! Todos, desde jovens, buscam o chamado Ikigai, que pode ser traduzido por “a razão pela qual nos levantamos todos os dias” e sentem o dever de cumprirem e serem fieis a esta razão até o último suspiro. Do ponto de vista científico, sabemos que seguindo um propósito que nos engrandece, aumentamos 7 anos na expectativa de vida! Que tal encontrar seu Ikigai? Com relação às práticas meditativas anti-estresse, que tanto recomendo no meu trabalho como clínico, sabidamente geram mudanças de estado que reduzem as inflamações, que são a principal causa do envelhecimento precoce e doenças degenerativas.

    Na terceira faixa da pirâmide, ele coloca “Alimentar-se sabiamente”. Uma característica comum a maioria destes centenários é a alimentação mais baseada em vegetais (verduras e legumes livres de pesticidas, claro), feijões, farinhas integrais, sementes, azeites, pouca carne (5 vezes por mês em média), vinho com moderação, queijos provenientes de animais criados no capim (ricos em ômega 3) e NÃO no milho (ricos em ômega 6), além de uma regra milenar, criada por Confúcio, chamada hara hachi bu que significa que devemos parar de comer quando o estômago atinge 80% da sua capacidade, ou seja, 80% satisfeitos. Pois leva um tempo para que o sinal de saciedade chegue ao cérebro e parando nos 80% logo ficaremos satisfeitos com menos alimento.

    Na última faixa, ou seja, na base da pirâmide, ele coloca “Conexão”. Conexão realmente é fundamental, quem inventou esse negócio de separação é o nosso ego, pois na verdade tudo está conectado. Pense bem no local que você está agora, veja a construção e objetos ao seu redor e imagine quantas pessoas trabalharam pra você estar aí desta forma… quantas milhares de pessoas participaram da elaboração de cada coisa que está olhando agora? Tudo está conectado e esse sentimento é necessário para nossa paz. Nestes locais que ele pesquisou, notou um respeito muito grande na família, desde crianças até os bem velhinhos, bem como uma conexão com a fé e a prática familiar desta fé.

    Estudos sugerem que essa conexão com a família e sociedade, o sentimento de pertencer a um grupo, acrescenta 14 anos à expectativa de vida! Essas pessoas convivem com outras pessoas de bons hábitos, claro, pois tendemos a espelhar os hábitos dos “amigos”. Uma pesquisa mostrou que se você tem 3 grandes amigos obesos, você tem mais de 50% de chance de ficar obeso também. Com quem você convive? Estão alinhados com seus objetivos e propósitos de vida? Se encontrar seu Ikigai, razão de ser, acrescenta 7 anos e pertencer verdadeiramente a um grupo familiar ou social, sentindo-se conectado, acrescenta mais 14 anos, somente agregando essas duas coisas já estará criando a possibilidade de uma vida mais longa e saudável em até 21 anos!!!

    Parece interessante, não é? A mim não impressionam esses 21 anos a mais, porém assistir às estórias dessas pessoas que tem clareza quanto ao seu Ikigai até seu último instante de vida e já expandiram sua cerca do ego para mais e mais pessoas, sentindo-se conectadas a tudo e todos, cuidando, respeitando e cultivando a Vida… isso sim!!! Isso para mim é uma vida que vale a pena ser vivida independentemente de quantos anos.

    E quero encerrar com uma frase do autor desta pesquisa, o Dan Buettner: “Seus amigos são os parceiros de aventura de longo prazo e portanto, talvez a coisa mais significante que você pode fazer para adicionar mais anos a sua vida e mais vida aos seus anos.”

    Gratidão a vocês amigos, pela parceria nesta jornada maravilhosa e tão especial!

    Abração a todos e uma ótima semana.

    Fabio Gabas

    Compartilhar:

  • O estresse como um aliado

    A maneira como você percebe o estresse e a maneira como você age, muda totalmente o efeito do estresse em seu corpo. Então procure ver o estresse como uma reação amiga, natural e corajosa para enfrentar os desafios

    Postado dia 24 de janeiro de 2017 às 08h em Saúde e Bem Estar

    estresse

    Foto: Reprodução

    Olá meus queridos amigos!

    Quero compartilhar algo que já está acontecendo, apesar de nem ainda termos finalizado o primeiro mês do ano, considerado mês de “férias”, que é a seguinte frase no consultório: “Nossa Fábio, acredita que nem bem começou o ano e já estou me sentindo estressado e até cansado!”

    Não sei se vocês se identificam com essa situação (espero que não) mas não custa relembrar alguns conceitos e estudos que se aplicados, podem auxiliar e muito, no gerenciamento e até reversão deste desconforto tão comum ultimamente, dado nosso cenário sócio-político-econômico.

    Já tive a oportunidade de apresentar em outro artigo, um trabalho super interessante da dra. Kelly McGonigal. Foi uma pesquisa com mais de 30 mil pessoas ao longo de 8 anos, que concluiu que o estresse não faz mal, faz mal é acreditar que o estresse faz mal!
    Acreditar que o estresse faz mal é o que gera as alterações no corpo prejudiciais à saúde, ao passo que acreditar que as reações do estresse, como o aumento da frequência cardíaca e respiratória, são preparações para seu corpo reagir e superar a situação ou evento, amenizam as alterações prejudiciais e até beneficiam sua saúde e resiliência!

    Hoje eu quero trazer novos resultados de pesquisa desta mesma autora entre outros, que espero que te abram uma nova perspectiva sobre este “mal do século”.

    O estresse libera um hormônio chamado oxitocina (liberado no parto) que é o hormônio da conexão, do amor, e que de certa forma te direciona a buscar ajuda nos outros. Quando uma situação está muito difícil, nossa resposta de estresse nos faz querer estar próximo de quem se importa conosco e gera um registro que também nos aproxima de quem está passando por dificuldades (basta observar a maior solidariedade que ocorre diante de situações catastróficas no mundo todo).

    estrese2

    O interessante é que a própria oxitocina que é liberada em resposta ao estresse, protege nosso coração dos seus efeitos negativos, causando vasodilatação e regenerando as células cardíacas lesadas pelo estresse, além das propriedades antinflamatórias próprias deste hormônio. Importante ressaltar que todos esses benefícios físicos são exacerbados diante da conexão e suporte de pessoas. Quanto maior sua conexão através deste suporte ou mesmo ajudando o próximo, mais libera oxitocina e melhor sua resposta ao estresse. Isso quer dizer que o próprio estresse tem um mecanismo para resiliência!!! E esse mecanismo se dá através da CONEXÃO HUMANA.

    O estudo que nos trouxe essas conclusões foi realizado com mais de 1000 pessoas entre 34 e 93 anos de idade pelo Departamento de Psicologia da Universidade de Buffalo NY. Perguntaram quanto estresse essas pessoas tiveram no ano anterior e também perguntaram quanto tempo passaram ajudando pessoas, parentes, vizinhos, enfim, sendo úteis e auxiliando no sofrimento alheio de sua comunidade. Acompanharam por 5 anos para registrar as mortes e para cada grande experiência estressante (financeira, morte na família ou crise familiar), houve um aumento de 30% no risco de morte. Porém, para quem se dedicou à ajuda na sua comunidade, esse risco foi NULO!!! O cuidado, conexão e utilidade criam resiliência.

    Essa experiência tocou profundamente meu coração. É impressionante a perfeição do funcionamento de todas as coisas na natureza, incluindo dentro de cada um de nós. Como é belo e bom, sentir que temos todas as ferramentas para nossa felicidade que talvez seja a “coisa” mais procurada por todos, basta procurar no lugar certo… Será que está aí fora? Nos bens materiais, na cultura, nas viagens luxuosas e festas sem fim? Eu acredito que também pode estar aí, desde que a gente não perca a consciência do simples, da conexão com o Todo, da Beleza e Grandiosidade da Vida em si, que só percebemos no PRESENTE.

    A maneira como você percebe o estresse e a maneira como você age, muda totalmente o efeito do estresse em seu corpo. Então procure ver o estresse como uma reação amiga, natural e corajosa para enfrentar os desafios e fortalecer-se! E lembre-se de que não precisa enfrentar sozinho, ajudar e ser ajudado é uma benção para todos segundo a própria ciência. E acima de tudo saiba que querendo ou não, essencialmente, você nunca está sozinho!

    Um grande abraço a todos e bom estresse!

    Compartilhar:

  • Consciência e foco para mudança

    Aprenda a usar seu cérebro. Consiga boas mudanças em sua vida aprendendo a modificar seus padrões de comportamento

    Postado dia 25 de agosto de 2016 às 09h em Saúde e Bem Estar

    consciência

    Foto: Reprodução/Internet

    Tenho me dedicado bastante aos estudos da neurociência, ciência que estuda o cérebro e todo o sistema nervoso quanto a suas estruturas, funções, ações e reações, com o objetivo de aprimoramento do ser humano.

    É extraordinário e sensacional saber o que nos constitui e conhecer a fundo nossas capacidades e a grandiosidade que habita dentro de cada um de nós.

    Antigamente, os cientistas acreditavam que as conexões e a estrutura física do cérebro, uma vez formadas, eram fixas e imutáveis, o que levaria o ser humano a ter sempre o mesmo tipo de reação frente aos estímulos do dia-a-dia.

    De fato, observamos que, em termos gerais, as pessoas tendem a manter o mesmo padrão de vida ou sobrevida sempre! Aquele que é medroso ou receoso mantém esse padrão mesmo que ele o prejudique; o que é hipocondríaco, parece que sempre continua manifestando suas doenças e pensando em tratamentos; o que é mentiroso, o que trapaceia ou o agressivo dificilmente fogem deste padrão ou vício, mesmo sabendo que podem se dar mal. E o que se acha melhor do que os outros sempre arruma um jeitinho de se sobrepor às conversas, falando de si próprio.

    Mas será que estamos mesmo condenados a escravidão dessas “lentes” ou “programas” determinados pela nossas conexões e circuitos neurológicos?

    Hoje a neurociência sabe muito bem que o sistema nervoso, principalmente o cérebro, é plástico, ou seja, tem a capacidade de se reestruturar física e funcionalmente. Assim como essas conexões e esses circuitos cerebrais determinam nossos padrões de pensamentos, emoções e hábitos, através da consciência e do foco em novos pensamentos, emoções e hábitos, também podemos interferir e modificar esses circuitos.

    Então a palavra mágica é não deixar no automático e colocar consciência o máximo possível (e cada vez mais) em tudo o que se passa internamente e com foco no seu objetivo de mudança. Afinal, se você não reconhece esse fator limitante ou não sabe o que quer mudar… nada vai acontecer e você continuará a repetir o passado no seu futuro!

    Todo este processo de crescimento consciente leva à expansão do seu nível de consciência, ou seja, expande as lentes estreitas com as quais vemos e percebemos o mundo. Enfim, muda nosso “sistema operacional”.

    Na prática, isso é o que diferencia as ações e reações das pessoas diante de um mesmo acontecimento. Um indivíduo, por exemplo, ao ser roubado por um ladrão, poderá descarregar uma metralhadora em sua cabeça sem hesitar. Outro, na mesma situação, poderá agradecer de todo coração porpoder viver e ter o suficiente até pra ser roubado, do que ter que roubar pra poder ter o suficiente pra viver… E ainda outros, como aconteceu veridicamente com Chico Xavier, ao ter sua calça do terno roubada do seu varal, correu atrás do ladrão gritando: “Volte aqui, volte aqui, você esqueceu de levar o paletó”. Diferentes níveis de consciência.

    Enfim, estamos num momento de mudança de sistema operacional mental na Terra. As crianças já estão vindo mais “sofisticadas” e precisamos ajudar, ou pelo menos não atrapalhar tanto, praticando conscientemente a nossa mudança interna.

    • Tenha consciência de que tudo que para você é verdade é apenas um “programa” que pode ser expandido! Busque esta expansão com a mente e o coração abertos. Não se “cristalize” neste nível pra não perder as maravilhas que a vida nos reserva.
    • Vigie e observe sem julgamentos seus pensamentos, emoções e intenções. Não se identifique com eles: você tem esses pensamentos, emoções e intenções, mas você não é isso. Comece a colocar luz da sua atenção em cada coisa, o que só é possível vivendo o presente, ou seja, cada momento de cada vez. Isso é transformador!
    • Pratique a meditação entre 30 e 60 minutos diariamente! Não há receita melhor do que essa para remodelar totalmente o seu cérebro e expandir suas lentes para perceber um novo mundo, uma nova realidade por trás do que acha que existe…. É como se um feitiço da ilusão do feio, do triste e do caos desabassem e você pudesse ver uma vida cristalina de luz, paz e serenidade.

    Use seu cérebro a favor do seu ser, treinando-o e preparando-o para esta grande mudança que já estamos presenciando na Terra. Até porque tudo que é obsoleto acaba sendo substituído.

    Grande abraço!

     

    Compartilhar:

  • Depressão na visão integrativa

    Estamos enfrentando uma epidemia de depressivos. E a solução não está nos remédios, mas sim na alimentação saudável e na prática de atividades físicas

    Postado dia 25 de julho de 2016 às 08h em Saúde e Bem Estar

    depressão

    Foto: Reprodução/Internet

    Temos observado um terrível aumento do número de suicídios ultimamente. Algo que era pouco expressivo até há algumas décadas passou a chamar a atenção de pesquisadores e de organizações internacionais por atingir a marca de 38.000 só nos Estados Unidos, número que nunca foi tão alto na história.

    Segundo o doutor David Healy, um dos maiores responsáveis por esse aumento é o próprio uso de antidepressivos (dá pra acreditar?). Dr. Healy é professor de psiquiatria na universidade de Bangor e autor de 20 livros, incluindo “The Antidepressant Era,” “The Creation of Psychopharmacology,” “Let Them Eat Prozac,” “Mania,” e “Pharmageddon,”.

    Os SSRIs (inibidores da receptação da serotonina), tais como fluoxetina, sertralina, paroxetina, entre outros, apesar do efeito “anti depressivo”, podem levar a pensamentos suicidas e homicidas com mais frequência. Segundo o pesquisador americano, entre 1.000 e 2.000 americanos, usuários destes medicamentos, cometem suicídio anualmente quando não o fariam se não fosse pela influência do medicamento.

    O próprio FDA que regulamenta as medicações, solicitou às indústrias farmacêuticas dados sobre os trabalhos que eles patrocinaram, incluindo os que não foram publicados. Descobriram que perto da metade dos trabalhos clínicos sobre antidepressivos nunca foram publicados. Somente 43% apresentaram um benefício estatisticamente significante da droga comparada ao placebo. Na maioria das triagens, 57%, as drogas não apresentaram maiores benefícios que o placebo.

    No entanto, algo tem que ser feito, pois estamos enfrentando uma epidemia de depressivos em nossa sociedade, desde a infância até a terceira idade. Hoje sabemos que 11% da população acima de 12 anos está sob uso de antidepressivos. Esta estatística salta para 25% quando se trata de mulheres entre 40 e 50 anos nos Estados Unidos.

    A minha visão é sempre integrativa e funcional. Portanto, considero muitos fatores responsáveis por essa situação triste, literalmente, e jamais considero o uso crônico e definitivo de antidepressivos como a solução, pois sempre busco tratar as causas e não amenizar os sintomas.

    Claro que existem casos de desordens psicológicas mais graves, como esquizofrenia, ou mesmo episódios psicóticos em que o uso de drogas pode até salvar vidas. Mas, para a maioria dos casos, a solução para a depressão está muito mais nos seus hábitos e no armário da cozinha do que no armário da farmácia.

    Existe um eixo nervoso comunicando intestino ao cérebro que é muito importante neste processo e deve ser bem analisado e cuidado. Aliás, o intestino é fundamental no controle do humor, pois mais de 90% da serotonina (neurotransmissor do bom humor) é produzida neste órgão. Basta lembrar o que acontece com um indivíduo quando o intestino não está funcionando bem, ele fica “enfezado”!

    Segundo o Journal of Gastroenterology and motility, existem determinados tipos de probióticos (bactérias que compõem a flora intestinal), como o Bifidobacterium longum, que normalizaram o comportamento de ansiedade em ratos com colite infecciosa por modular esse eixo intestino cérebro.

    Também apresentaram estudos em que o Lactobacillus rhamnosus tem efeito marcante nos níveis de GABA (neurotransmissor envolvido na regulação de diversos processos fisiológicos e psicológicos) em certas regiões do cérebro reduzindo o hormônio do estresse (cortisol) e aliviando o comportamento ansioso e depressivo.

    Outro dado importante é sobre os níveis de vitamina D que tanto viemos falando ultimamente. Níveis inferiores a 20 ng/ml no sangue aumentam sua chance de depressão em 85%, se comparado com níveis maiores do que 30 ng/ml. Em idosos, a redução da vitamina D aumenta o risco de depressão em 1.100%!!! E não só a vitamina D: a vitamina B12 também está intimamente envolvida com a saúde mental, bem como o uso de 5 OH triptofano, precursor natural da serotonina.

    Uma das palavras que aparece relacionada ao aumento dos quadros depressivos é a inflamação. Os processos inflamatórios crônicos são responsáveis por alterações neurológicas que afetam o equilíbrio do humor, causando e acentuando quadros depressivos. Por isso a alimentação é tão importante, bem como o controle da razão ômega 6 : ômega 3.

    Hoje em dia as pessoas têm essa razão muito elevada, chega a ser 20, 25 e até 50 pra 1, o que é altamente perigoso para nossa saúde, aumentando riscos inclusive de infartos e câncer. O ideal desta razão é 2:1 e no máximo 3:1. O psiquiatra de Harvard, dr. Andrew Stoll, em seu livro de 2001 “The Omega 3 connection”, nos apresenta este importante efeito antidepressivo de níveis ideias de ômega 3.

    O próprio exercício físico é bastante útil na redução dos transtornos de humor, pois reduz a insulina e, por consequência, a inflamação. Também aumenta a produção de endorfinas que geram sensação de bem estar e a biogênese de mitocôndrias (produção de novas “usinas” de energia celular), além de auxiliar na eliminação de toxinas inflamatórias.

    Considerando tudo que foi dito, gostaria de deixar algumas recomendações que poderão agregar no tratamento de transtornos de ansiedade e depressão, bem como prevenir as principais causas desta doença tão comum nos dias de hoje. Lembrando que sempre deverá consultar seu médico para acompanhamento do seu quadro e jamais retirar sua medicação sem o seu aval, ok?

    1ª Para variar: retire o açúcar, a frutose processada (refrigerantes, sucos de caixinha, barrinhas, etc…) e os carboidratos simples (refinados) da sua dieta. Esses produtos aumentam a produção da insulina, levando a períodos de hipoglicemia durante o dia. Essa hipoglicemia faz seu cérebro secretar glutamato que causa agitação, depressão, ansiedade e pânico, além do açúcar ser altamente inflamatório.

    2ª Evite o adoçante Aspartame, pois também afeta sua função mental (substitua por Xylitol).

    3ª Evite o glúten (é uma das causas de depressão em intolerantes).

    4ª Cuide bem de sua flora intestinal através do uso de probióticos ou do próprio Kefir, disponível gratuitamente pela internet.

    5ª Mantenha sempre em ordem seus níveis de vitamina B12, através do uso de sua forma metilada, a metilcobalamina.

    6ª Mantenha seus níveis de vitamina D3 no sangue, pelo menos entre 50 e 70 ng/ml. E lembre-se que a pessoa que faz uso crônico de vitamina D deve também associar a vitamina K2.

    7ª Pratique exercícios físicos regulares.

    8ª Durma uma média de 8 horas por noite.

    9ª Evite o excesso de contato com corantes e conservantes artificiais. Estudos revelaram que esses produtos  resultam em alterações no comportamento de crianças e adultos, no sentido de hiperatividade, agitação e irritação. Os principais examinados foram o amarelo de tartrazina, amarelo de quinoleína, a carmoisina, o vermelhor ponceau 4R e o vermelho allura AC.

    10ª Pratique exercícios de coerência cardíaca e meditação diariamente. Tenho dito em meus cursos e palestras que é praticamente impossível manter sua saúde emocional e mental, seu bom humor e felicidade, se não treinar sua mente através da meditação. A neurociência nos dá uma infinidade de provas de como a meditação afeta importantes centros cerebrais envolvidos em nossa percepção do mundo, no processamento dessas informações e em nossas reações. A meditação como prática diária nos permite ver sempre o copo meio cheio ao invés de meio vazio. Nos coloca uma lente mais colorida para ver a vida e o mundo que nos cerca, além de melhorar nossa criatividade, intuição e saúde física em geral. Deixar nossas vidas reféns das crenças e programações cerebrais, além de continuarmos repetindo o passado sempre, sintonizamos nosso estado emocional às emoções coletivas que o mundo está vivendo, ou seja, frustração, medo, ansiedade, desespero, depressão e pânico. Pare de se identificar com este corpo de dor que pode estar em você mas não é você! E tome as rédeas de sua vida sintonizando o seu verdadeiro Eu. O cérebro foi designado para garantir sobrevivência. Felicidade é você que tem que fazer! Medite! Eu criei o hábito de acordar 30 minutos antes do horário, sento na poltrona e medito todas as manhãs, no mínimo! Posso garantir que faz toda diferença em nossas vidas.

    Grande abraço e uma ótima semana a todos.

    Compartilhar:

  • Viroses

    No último ano foi Dengue, depois Zika, agora muito se fala do H1N1 e não vai parar por aí...

    Postado dia 29 de junho de 2016 às 04h em Saúde e Bem Estar

    viroses

    Foto: Reprodução/Internet

    Tenho observado um verdadeiro terrorismo com relação a essas doenças virais que cada vez mais acometem nossa população e fazem vítimas em diversas cidades do nosso país.

    Mas, antes de você ficar realmente assustado, quero te dizer que é praticamente impossível você evitar o contato em algum momento com o vírus – resta saber é se esse contato vai te deixar doente ou não e qual será a intensidade dos sintomas. E essas questões são determinadas pelas suas condições de saúde e eu posso te ajudar a melhorá-las evitando o adoecimento ou reduzindo significativamente a intensidade dos sintomas: ficou interessado (a)?

    Por que quando duas ou mais pessoas são expostas a um ambiente contaminado, uma fica fortemente gripada, outra pega uma gripe mais leve, com menos sintomas e se cura mais rapidamente, enquanto outras nem sequer dão um espirro? Isso depende de alguns cuidados, do nível de exposição e principalmente do status do seu sistema imunológico, pois o contato com o vírus nós certamente temos ou teremos!

    Ao invés de se esconder em uma redoma de vidro ou mesmo se intoxicar com mercúrio e outras toxinas superficialmente testadas das vacinas, o que você pode fazer pra se proteger?

    • Primeira coisa é beber bastante água, de preferência alcalina ou chás verdes e brancos quentes pois o vírus não resiste a maiores temperaturas.
    • Lavar sempre as mãos ou higienizar com álcool gel, principalmente se tiver contato com superfícies expostas a outras pessoas.
    • Fique atento para evitar tocar seu rosto com suas mãos enquanto estiver na rua.
    • Após o contato e infecção do vírus em sua garganta e narinas, leva aproximadamente entre 2 e 3 dias para iniciar os sintomas, portanto fazer gargarejos com água morna e sal diariamente, pode prevenir a proliferação do vírus. Isso é muito importante!
    • Dormir bem. O fato de dormir bem REDUZ o cortisol que é imunosupressor, ou seja, esse hormônio prejudica a atividade do seu sistema imunológico. Dormir bem é essencial para todo seu sistema de defesa contra infecções.
    • Com relação aos suplementos de fácil acesso em farmácias, eu recomendo o uso de vitaminas antioxidantes como a Vitamina C e E juntas (pois isoladas não são recomendáveis), o mineral zinco em doses de até 50 mg que também ativa nosso sistema imunológico e o extrato de alho que desodoriza nossas vias aéreas. Meus pacientes já sabem que sou fã de um suplemento chamado Epicor, um produto natural que fortalece de maneira impressionante nosso sistema imune para vias aéreas. Eu mesmo já estou tomando há 15 meses e só tenho elogios. Comece hoje a usar o Epicor de 500 mg (adultos) ou menores concentrações para crianças, em jejum pela manhã até o final do inverno que eu te garanto que vai se surpreender com os resultados!
    • Faça exercícios de relaxamento, meditação ou de coerência cardíaca pois treinar a sua mente a entrar neste estado de harmonia interior é a chave para a verdadeira prevenção! As pessoas acreditam que prevenir é fazer algumas coisas hoje pensando no amanhã, acontece que o amanhã é sempre “amanhã”, ou seja, nunca chega! O que existe é o AGORA. Prevenir é penetrar no estado de harmonia agora, o futuro é o movimento deste estado presente. Harmonia com suas emoções, com suas palavras, relacionamentos, harmonia com seu trabalho, seu prato de comida para nutrir suas células, com o que bebe, enfim, harmonia com tudo… Aprenda a penetrar e vigiar para que não saia desta faixa por muito tempo e certamente receberá com plena alegria e gratidão o que a vida lhe reserva neste eterno presente.

    Grande abraço e ótima semana a todos (com harmonia)

     

     

    Compartilhar:

  • O caminho da mudança

    Você já se pegou reclamando de alguma situação de sua vida em que, mesmo desejando muito mudar, não conseguiu? Possui hábitos que mesmo reconhecendo-os como prejudiciais, não consegue evitar? Quer saber como acelerar e aumentar drasticamente suas chances de sucesso?

    Postado dia 20 de abril de 2016 às 08h em Saúde e Bem Estar

    vida

    Foto: Reprodução/Internet

    Para as pessoas mudarem, são necessárias algumas chaves que permitirão o chamado “breakthrough” ou, em português, a quebra de limites! Esta quebra de limites é um momento na sua vida em que o impossível se torna possível. Ela pode acontecer naturalmente numa situação de frustração profunda, raiva ou estresse quando atingimos nosso limite e gritamos “Nunca mais, chega!!!”. E quem já não passou por situações num relacionamento em que chegou neste limite e terminou definitivamente? Ou nas suas finanças com aquele emprego ou chefe que te tirou do sério e te fez mudar? Ou até mesmo na balança em que num dado momento disse: Agora chega, vou emagrecer!!!

    No entanto, essas “quebras de limites” também podem ser criadas voluntariamente e as três áreas principais são finanças, relacionamentos e corpo físico (saúde).

    Quais são os três passos principais para criar uma quebra de limites?

    São eles:

    • Sentir raiva ou frustração profunda pela situação atual e projetar COM EMOÇÃO a situação ideal, vivenciar esta situação com clareza, alegria e confiança. Olhar no espelho e ver em seus olhos as virtudes e a segurança deste momento que já está dentro de você. Por que deseja isso? Que razões o compelem? Está disposto a fazer qualquer coisa por isso?
    • Estratégia. A maioria das pessoas que tentam alcançar algo ou realizar mudanças não fazem sua lição de casa no sentido de pesquisar exaustivamente qual a melhor estratégia para seu objetivo e, portanto, se deparam com diversos “paredões” que as fazem desistir rapidamente. Para os mais persistentes e fortes, a ausência de uma boa estratégia faz com que briguem loucamente contra esses paredões até que vão galgando novos degraus neste caminho de maneira mais exaustiva, estressante e por vezes mais lenta. Porém, o ideal é conhecerem e se aprofundarem na estratégia de pessoas que conseguiram o que desejavam e seguir com afinco esse caminho que já foi trilhado.
    • Mudança de crenças e programações e mudança de estado! As nossas crenças nos contam histórias sobre nós mesmos que geram emoções e são nossas emoções que conduzem os comportamentos e ações.

    Vou dar um exemplo da importância daquilo que acreditamos, impactando nossas vidas e nossa saúde. A dra. Kelly Mc Gonigal, psicologista da Universidade de Stanford nos EUA, fez uma pesquisa que mostrou que adultos que experimentam “muito estresse” e acreditando que o estresse é prejudicial, tinham aumento de 43% no seu risco de morte, enquanto que adultos que experimentam esse mesmo nível de estresse, porém cientes que o estresse é algo positivo em suas vidas, o aumento do risco foi nulo! E o que é necessário para que esta mudança ocorra?

    Conforme falamos até aqui, mudar a estratégia, crenças e seu estado emocional. E lembre-se da célebre frase do grande Henry Ford: “Quer você acredite que pode ou quer você acredite que não pode, você está certo!” Se você acreditar que sua vida é muito estressante, injusta, ou que é necessário “matar um leão a cada dia”, assim será! Mude a estratégia para conduzir sua vida, aprenda com quem já chegou e se mantém aonde você quer chegar, inclusive no peso da balança.

    Mude seu estado! Pare de deixar seu cérebro pessimista assumir o controle 24 horas por dia pois estará vendo sempre o lado negativo e só o que pode dar errado. O cérebro foi designado para gerar sobrevivência, felicidade é você que tem que fazer!

    E finalmente mude suas crenças, a historinha de sua vida. “Minha vida é assim”, “eu sou muito nervoso mesmo”, “Pra mim as coisas são sempre difíceis”,  “Eu tenho que trabalhar e viver assim, não há outra opção”… Até quando vai ficar preso (a) nesta historinha que você “comprou”, se identificando com ela e reclamando? Perceba que não é o que você é, mas sim o que você está! E não tem que ser assim, você pode mudar como tantos mudaram. A opção é sua e só depende de você… de seguir algo chamado AÇÃO com CORagem (COR-AÇÃO). Eu sei que você pode e estou torcendo por você, pela sua felicidade! Até a próxima.

    Grande abraço

    Fabio Gabas

     

    Compartilhar:

Página 1 de 11